Como saber se empresa está cara ou barata

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Na hora de comprar a ação de uma empresa, a grande dúvida de qualquer investidor é sempre esta: como saber se a ação está cara ou barata?

Muitos cometem o erro de ir na onda de dicas do momento e compram papéis que estão na moda. Mas já pensou como seria bom conseguir fazer esta avaliação você mesmo, de forma independente? Isso é possível, basta um pouco de curiosidade e paciência.

Para te ajudar nesta tarefa, preparamos um guia completo com os principais indicadores usados pelos especialistas para medir a atratividade de uma ação.

EmpreendedorismoTécnicas para Renda Fixa. Tendências. Privatizações. Estratégias para proteção de investimentos.

Tudo isso hoje na MoneyWeek

No mercado financeiro, este tipo de avaliação de uma ação é conhecido como “análise fundamentalista”.

A análise fundamentalista tem como objetivo determinar o valor intrínseco de um ativo de uma determinada empresa. Desta forma, você pode verificar se o preço do mercado está alto ou baixo, e se é uma boa oportunidade para investir.

Quando você se aventura no mundo das ações, vai encontrar muitos dos indicadores fundamentalistas nos resultados trimestrais das empresas e também nos relatórios produzidos por analistas de mercado e instituições financeiras.

Ou seja, é uma boa pedida entender do que se trata. Assim, você vai saber exatamente do que eles estão falando.

Dividend Yield (DY)

O Dividend Yield é uma das formas de medir o desempenho de uma empresa aberta. Em português, o nome seria Rendimento de Dividendos.

Para simplificar, ele mede o desempenho da empresa de acordo com os dividendos pagos aos seus acionistas. O DY mostra qual é a relação entre os dividendos distribuídos e o preço atual da ação.

Quanto maior for a distribuição de dividendos, mais elevado será o percentual de DY. Para quem quer comprar ações, um DY elevado é um ótimo sinal. Veja como calcular e interpretar o DY neste link.

Preço da ação/Lucro (P/L)

O indicador P/L é bastante utilizado no mercado de ações. Por isso, é importante para o investidor entender como ele é calculado e como é possível analisar uma empresa com base neste dado.

Antes de mais nada, o indicador P/L mede a relação entre o preço atual de uma ação e o lucro por ação acumulado nos últimos 12 meses.

Ou seja, a fórmula é preço por ação dividido por lucro por ação. Confira mais detalhes aqui.

Quanto mais elevado for o P/L da empresa analisada, maior é a disposição do mercado em pagar pelos lucros da empresa. Um P/L alto também pode significar que o mercado tem expectativas altas para o papel, pressionando o preço para cima.

Um P/L baixo pode indicar que o mercado não está tão confiante em relação àquele papel. Mas também pode indicar que aquela ação é uma boa oportunidade que ainda não foi percebida pelo mercado. Em outras palavras, um múltiplo baixo pode sinalizar que a ação está atrativa.

Preço da ação sobre Valor Patrimonial (P/VP)

Além do P/L, outro indicador que todo investidor deve conhecer é o P/VP.

P/VP é o valor da empresa em bolsa dividido pelo patrimônio líquido. Você também vai encontrar este raciocínio na fórmula P/VPA, que é o preço da ação dividido pelo valor patrimonial por ação

Quando o P/VP está abaixo 1, significa que a empresa vale em bolsa menos do que o seu patrimônio líquido. A depender do contexto, isso pode ser uma oportunidade para o investidor.

Em momentos de crises muito graves, por exemplo, muitas empresas são negociadas abaixo do valor patrimonial devido à aversão generalizada dos investidores ao risco.

Ao mesmo tempo, o P/VP abaixo de 1 pode indicar que o mercado está vendo alguma desvantagem naquele ativo. Aprenda tudo sobre o P/VP neste artigo.

Preço da ação/Ebit (P/Ebit)

Outra forma de descobrir se uma ação está cara ou barata é usando o indicador P/Ebit.

Ele representa a relação entre o preço da ação e o Ebit da companhia, dividindo um indicador pelo outro.

Primeiramente, para começar a entender o que é este indicador, é importante explicar o que é Ebit. Ebit é uma sigla em inglês que significa earnings before interest and taxes. Ou seja, lucro antes de juros e impostos sobre a Renda.

O P/Ebit é que ele mostra qual é a lucratividade da empresa em relação à sua atividade principal. Por isso, é um retrato mais fiel da operação da empresa, refletindo sua produtividade e eficiência. Uma forma interessante de utilizar o P/Ebit é comparar o indicador entre empresas do mesmo setor. Veja mais como funciona.

Valor da empresa sobre Ebit (EV/Ebit)

Este múltiplo compara o valor da empresa (enterprise value, em inglês, ou EV) com o lucro antes de impostos e taxas (Ebit).

O EV/Ebit é a divisão do EV pelo Ebit da companhia. Aprenda a calcular este indicador.

Um índice elevado indica que a ação da empresa está sendo bem avaliada pelo mercado. Neste caso, isso pode significar que a ação pode passar por um ajuste.

Ao mesmo tempo, um EV/Ebit baixo sinaliza que a ação está sendo subavaliada, o que mostra um potencial de alta. Por isso, um indicador baixo mostraria que a ação está mais atrativa.

PSR

PSR significa Price to Sales Ratio em inglês, ou Preço/Vendas.  Quando o PSR é menor que 1, significa que a ação está barata ou que seu mercado está muito desaquecido.

Já quando o PSR é maior que 1, é indicador de que o mercado valorizou a sua ação em relação à receita. Pode ser um sinal de que a ação está cara.

Da mesma forma que ocorre com o indicador P/VP, quanto maior o PSR, maior o risco para a sua carteira de investimentos. Aprenda mais sobre PSR aqui.

ação

Agora que falamos sobre vários indicadores que indicam a atratividade do preço da empresa, confira agora alguns indicadores de rentabilidade.

Os dados a seguir são bastante comuns nos resultados trimestrais das empresas, então fique de olho.

Margem Líquida

A margem líquida de uma empresa é um dos indicadores usados para medir a rentabilidade de uma companhia. Ele representa qual foi o resultado líquido de vendas da empresa durante um período.

Em outras palavras, a margem líquida mostra quanto cada real de receita resultou em lucro líquido para o negócio depois da dedução de todas as despesas, inclusive o imposto de renda.

Além de indicar a rentabilidade, a margem líquida ajuda o investidor a avaliar como a empresa está sendo administrada. Afinal, boas decisões da administração vão aumentar a capacidade de lucro sobre a receita da empresa. Aprenda tudo sobre a margem líquida aqui.

Margem Ebit

A Margem Ebit que mostra como está a eficiência operacional das companhias. Este indicador mede a lucratividade da empresa sem considerar o efeito de juros e impostos.

O Ebit ajuda o investidor a avaliar como está a real capacidade de uma empresa gerar caixa. Ou seja, quanto maior este indicador, mais eficiente é a operação da empresa.

Quando a Margem Ebit está baixa, é sinal de que a lucratividade da empresa está baixa também.

Esta medida é uma forma interessante de comparar empresas do mesmo setor. Leia mais sobre Margem Ebit neste artigo.

Margem Bruta

A margem bruta de uma empresa mostra o quanto a empresa retém de lucros depois de deduzir todos os custos diretos com a produção de seus produtos ou com a prestação de seus serviços.

Quanto maior for a margem bruta, mais condições a empresa terá para cobrir despesas em outras áreas, como marketing e pesquisa e desenvolvimento.

Uma margem bruta elevada pode estar associada a custos de produção baixos e também a um preço de venda favorável.

Ao mesmo tempo, uma margem bruta baixa pode sinalizar custos altos e dificuldade em precificar os produtos de forma vantajosa para a empresa. Neste cenário, a empresa pode buscar reduzir seus custos de produção ou aumentar preços.

Outras possibilidade seria aumentar o foco nos produtos que são mais rentáveis dentro do seu portfólio. Em outras palavras, a margem bruta é um indicador de eficiência para a empresa, conforme explico em detalhes neste texto.

empresa

ROE

A sigla ROE é muito utilizada na análise das empresas abertas, tanto por analistas quanto por investidores.

Conforme explico aqui, ROE é a sigla para o termo em inglês Return on Equity, que significa Retorno sobre o Patrimônio.

Este indicador mostra qual é a eficiência da empresa na hora de gerar lucro a partir dos seus recursos investidos pelos acionistas.

ROA

Já o ROA indica qual é a porcentagem de cada dólar (ou real) investido no negócio voltou para você sob a forma de lucro.

Quanto mais alto for o ROA, mais eficiente é a companhia. Isso porque ela é capaz de gerar mais lucros com ativos menores.

Se uma empresa apresenta um ROA baixo, pode significar que seus investimentos foram direcionados para projetos pouco rentáveis. também pode significar que a seus ativos tem baixa produtividade. Aprenda tudo sobre ROA neste link.

ROIC

Outra forma de avaliar a rentabilidade de uma empresa é o ROIC. Esta é a sigla para a expressão em inglês Return on Invested Capital.

O Retorno sobre o Capital Total Investido mostra a eficiência da empresa na hora de alocar o capital que detém para fazer investimentos rentáveis. O indicador mostra como a empresa está usando seu dinheiro para gerar lucro. Aprenda a calcular o ROIC.

ação

Confira a seguir alguns indicadores sobre endividamento das empresas.

Dívida líquida/Patrimônio Líquido

Existem várias maneiras de analisar o endividamento de uma empresa. Uma delas é usando a relação Dívida Líquida/Patrimônio.

Quando menor for este índice, mais saudável financeiramente está a companhia.

Quanto maior, mais alavancada está a empresa, o que aumenta o risco para os investidores. Entenda como este indicador é calculado e interpretado.

Dívida líquida/Ebitda

Um indicador muito utilizado pelo mercado para avaliar o nível de endividamento de uma empresa é a Dívida Líquida/Ebitda.

Ele mostra o quanto uma empresa está alavancada. Em outras palavras, mostra quantos anos a empresa levaria para pagar a sua dívida líquida usando sua geração de caixa.

O cálculo considera que a dívida e a geração de caixa se mantenham constantes, conforme explicado aqui.

Liquidez corrente da empresa

A liquidez corrente mostra a capacidade de pagamento de uma companhia no curto prazo.

Em outras palavras, esta métrica indica que para cada R$ 1 de dívidas vencíveis dentro de um ano, a empresa conta com uma quantidade de valores disponíveis e realizáveis no mesmo período.

Quando a liquidez corrente é maior que 1, é um sinal de que a empresa tem uma boa capacidade de pagar suas obrigações.

Giro do Ativo: vendas x ativos da empresa

O giro do ativo compara as vendas da empresa (giro) com os seus ativos totais.

Em outras palavras, o objetivo do giro do ativo é avaliar se uma empresa está utilizando seu ativo de forma produtiva para gerar riqueza com a venda de seus produtos ou serviços.

Este indicador ajuda a administração da companhia a tomar decisões e eventualmente mudar o rumo do negócio para criar mais lucro a partir do seu ativo.

CAGR

Uma das métricas utilizadas na análise de investimentos é a CAGR. Esta sigla significa, em inglês, Compound Annual Growth Rate. Em português, significa Taxa de Crescimento Anual Composta.

A CAGR é usada para mostrar tendências relacionadas a receitas, despesas ou outros indicadores ao longo do tempo. Ela fornece a taxa anualizada de mudança entre o ano base e o ano final da amostra.

Na análise de empresas, você pode encontrar com facilidade os indicadores de CAGR de receitas ou lucros, geralmente calculados para o intervalo de 5 anos.

Liquidez média diária

Para fechar esta série de indicadores, vamos falar sobre a liquidez média diária. Trata-se do valor financeiro médio da empresa negociada em bolsa.

Este indicador permite que você avalie em quanto tempo poderá comprar ou vender uma quantidade de ações de uma empresa.

Agora que você conhece vários indicadores fundamentalistas importantes, não esqueça de colocar seu conhecimento em prática. Sempre que se deparar com estes termos, retome o conteúdo deste guia até que os conceitos fiquem cada vez mais claros.

E bons investimentos!