CAGR mostra taxa de crescimento anual composta; entenda este indicador

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Uma das métricas utilizadas na análise de investimentos é a CAGR. Esta sigla significa, em inglês, Compound Annual Growth Rate. Em português, significa Taxa de Crescimento Anual Composta.

A CAGR é usada para mostrar tendências relacionadas a receitas, despesas ou outros indicadores ao longo do tempo. Ela fornece a taxa anualizada de mudança entre o ano base e o ano final da amostra.

Na análise de empresas, você pode encontrar com facilidade os indicadores de CAGR de receitas ou lucros, geralmente calculados para o intervalo de 5 anos.

Para entender

Veja um exemplo dado pela Encyclopedia of Education Economics and Finance para entender o conceito:

No ano fiscal de 2007, New Jersey recebeu US$ 10,3 bilhões para apoiar escolas da região.

No ano fiscal de 2013, o recebimento foi de US$ 11,7 bilhões, aumento de 2,15% ao ano em média.

Em outras palavras, o montante de US$ 10,3 bilhões com uma taxa de crescimento anual composta de 2,15% por seis anos equivale a US$ 11,7 bilhões.

Como utilizar a CAGR

Ao usar a CAGR, você consegue atenuar a volatilidade que pode ter ocorrido ao longo do tempo, chegando a um crescimento médio.

No exemplo acima, não faz diferença se houve um crescimento pequeno a cada ano. Tampouco faz diferença se houve avanços maiores em alguns anos, ou mesmo se chegou a haver alguma queda.

Na análise de investimentos, a CAGR calcula o retorno necessário que um investimento deve ter para sair de um valor inicial e chegar até um saldo final.

Por isso, é usado por analistas e investidores para fazer a análise de rentabilidade de investimentos. Usando a CAGR, conseguem saber qual é a previsão de retorno ao longo de um período de tempo.

A CAGR também pode ser usada para analisar o comportamento de ações de empresas ao longo do tempo. Neste caso, a CAGR elimina a volatilidade que existiu no período, e pode ser usada para traçar tendências futuras de longo prazo.

Vale destacar que a CAGR pode variar de forma significativa de acordo com o intervalo de tempo analisado. Por isso, é interessante analisar não apenas o período desejado, mas também períodos anteriores.

Desta forma, você pode verificar como os fatores externos impactaram o retorno, como mudanças políticas ou tributárias, por exemplo.

Confira um exemplo de como este indicador ajuda a planejar investimentos:

Se você precisa de US$ 13 mil em três anos e possui US$ 10 mil disponíveis para investir, a taxa de retorno necessária é de 9,1%. Portanto, a CAGR entre os dois períodos seria de 9,1%.

A partir deste dado, você pode buscar os investimentos que atendem esta especificação, segundo a Encyclopedia of Education Economics and Finance.

Como é calculada

Para calcular a CAGR, é preciso saber o valor inicial e o valor final do investimento, assim como a quantidade de anos a ser analisada.

Veja a fórmula:

 

Nesta conta, VF é o valor final e VI é o valor inicial, enquanto n é o número de anos.

Vale destacar que a CAGR não mostra a taxa real de crescimento dos investimentos. Na verdade, ela é uma representação que mostra o quanto um investimento teria crescido se o seu crescimento fosse igual em todos os anos, e se os lucros fossem reinvestidos ao final de cada ano.

A Investorpedia descreve que um desempenho como este é muito improvável no mundo real. No entanto, a CAGR pode ser usada para atenuar a volatilidade, o que torna mais fácil a comparação com outros ativos.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Outro exemplo

Segundo a mesma fonte, a CAGR é uma ferramenta importante para comparar diferentes ativos. Veja este exemplo:

Imagine que um investidor colocou em 2013 US$ 10 mil numa conta por cinco anos, com uma taxa de juros anual de 1%.

Outro investidor colocou US$ 10 mil num fundo mútuo. Seria difícil comparar os dois investimentos nos anos seguintes.

Considere que ao final de cinco anos, a conta teria US$ 10.510, enquanto o investimento no fundo teria US$ 15.348,52.

Usando a fórmula da CAGR, chegaríamos aos retornos. No primeiro caso, a CAGR foi de 1%. No segundo, foi de 8,95%.

Olhando desta forma, o fundo parece ser um investimento melhor, com retorno quase nove vezes maior. No entanto, destaca a Investorpedia, o CAGR não mostra o quanto o fundo foi volátil e arriscado.

Em outras palavras, a CAGR tem esta limitação na hora de comparar ativos, pois ignora risco e volatilidade.

Outra limitação é que, quanto menor for o tempo analisado, menos provável que o CAGR se reflita no futuro. Por isso, o ideal é sempre usar este indicador junto com outras métricas para analisar investimentos.