PSR ajuda investidor a avaliar se ação está atrativa ou não; entenda este indicador

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Os investidores estão sempre analisando os preços das ações para saber se estão caros ou baratos. Uma das formas de fazer esta avaliação é usar o indicador PSR. 

PSR significa Price to Sales Ratio em inglês, ou Preço/Vendas. Ou seja, ele mostra a relação entre o preço da ação e as vendas da companhia. Veja como funciona:

Como é calculado

O PSR é calculado da seguinte forma:

Monitore completamente sua Carteira

PSR= Cotação da ação / (receita líquida/quantidade de ações)

O primeiro passo é estabelecer, para cada ação da empresa, a parcela que corresponde de geração de receita.

Depois, basta dividir o valor da ação por esta parcela.

Faça o Rebalanceamento de sua Carteira para outubro

O valor que resulta deste cálculo representa quantas vezes o preço de mercado desta ação está acima ou abaixo de sua capacidade de geração de receita, segundo o livro Avaliando Empresas, Investindo em Ações.

Esta relação mostra se o mercado está entusiasmado ou desanimado com o papel, destacam os autores.

Como interpretar o PSR

Quando o PSR é menor que 1, significa que a ação está barata ou que seu mercado está muito desaquecido.

Já quando o PSR é maior que 1, é indicador de que o mercado valorizou a sua ação em relação à receita. Pode ser um sinal de que a ação está cara.

Da mesma forma que ocorre com o indicador P/VP, quanto maior o PSR, maior o risco para a sua carteira de investimentos.

Isso porque um PSR alto indica que a ação tem grandes chances de passar por uma correção. Em outras palavras, seu preço pode cair.

Cuidados ao usar o PSR

De acordo com a Investorpedia, o PSR pode ser usado para identificar se o preço da ação está superestimado. Mas ele também pode ser uma ferramenta para identificar situações em que uma companhia tem potencial de recuperação.

No entanto, para ter um quadro completo da situação, outros indicadores importantes são as margens de lucro e os dados de endividamento da companhia. 

“Se duas empresas tiverem o mesmo PSR, é melhor optar por aquela que tem menor endividamento”, afirma a Investorpedia.

Outro alerta, segundo a mesma fonte, é que empresas com alta dívida e à beira da falência podem apresentar uma taxa baixa de preço por vendas. 

Isso porque as vendas podem não ter caído, enquanto o preço da ação e do valor de mercado já entraram em colapso.

Ao mesmo tempo, vale destacar que empresas de diferentes setores tendem a apresentar padrões diferentes de PSR.

Por exemplo, empresas de construção tendem a ter vendas elevadas com lucros modestos. 

Ao contrário, as empresas de softwares conseguem gerar receita líquida de forma mais intensa. Isso significa que as vendas não podem ser avaliadas da mesma forma para todas as companhias.