Radar traz Petrobras (PETR4), BB Seguridade (BBSE3) e PetroRio (PRIO3)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

O Radar Corporativo desta segunda-feira (3) está movimentado com notícias de operações de fusões e aquisições, distribuição de dividendos e balanços.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

O BB Seguridade (BBSE3) registrou um lucro ajustado de R$ 977,1 milhões no balanço do primeiro trimestre de 2021 (1TRI21), crescimento de 10,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

Enquanto isso, a Porto Seguro (PSSA3) reportou lucro líquido, sem business combination, recorrente de R$ 296,6 milhões, alta de 49%.

Já a Petrobras (PETR3 PETR4) comunicou o início da fase vinculante referente à venda da totalidade de suas participações, de 51%, na Transportadora Gasoduto Bolívia-Brasil e de 25%, na Transportadora Sulbrasileira.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

A Ame, empresa financeira da Lojas Americanas (LAME4) e da B2W (BTOW3), fechou um acordo para a compra da fintech Nexoos Holding.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

BTG (BPACC11) fechou a aquisição de 100% do capital social da Fator S.A. Corretora de Valores, o que não os negócios do Banco Fator, Fator Seguradora e Fator Asset Management.

A Méliuz (CASH3) fechou a associação Acessopar e Acesso Soluções de Pagamento, com incorporação de 100% das ações, por meio de troca de novas ações, numa transação de R$ 324,5 milhões.

Petro Rio (PRIO3) tem desdobramento das ações aprovado, à razão de 1/5, de forma que cada ação passe a ser representada por 5 ações.

Já a Cosan (CSAN3) também informou sobre desdobramento de ações, de modo que a cada uma ação passa a representar quatro ações da mesma espécie.

Por fim, informaram sobre proventos: Ambipar (AMBP3), Elektro (EKTR4), Track & Field (TFCO4), Cemig (CMIG4), Cosern (CSRN3), São Carlos (SCAR3), CPFL (CPFE3), Positivo (POSI3), Helbor (HBOR3), Mitre (MTRE3), Vivara (VIVA3), Cosan (CSAN3), Hapvida (HAPV3), Tenda (TEND3) e Guararapes (GUAR3).

Veja o Radar Corporativo na íntegra:

O que você verá neste artigo:

Balanços

BB Seguridade (BBSE3) lucra 10,7% a mais no balanço do 1TRI21

O BB Seguridade (BBSE3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 977,1 milhões no balanço do primeiro trimestre de 2021 (1TRI21), crescimento de 10,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

A instituição financeira considerou o resultado positivo. Isso porque o 1T20 foi pouco impactado pelas adversidades impostas pela pandemia da Covid-19, enquanto o 1T21 foi impactado na sua totalidade.

Porto Seguro (PSSA3) lucra 49% a mais no balanço do 1TRI21

A Porto Seguro (PSSA3) reportou lucro líquido de R$ 296,6 milhões no balanço do primeiro trimestre (1TRI21). Os números refletem uma alta de 49% sobre o lucro líquido do 1TRI20, com R$ 199,1 milhões.

Cias Abertas

Petrobras (PETR4) inicia venda da TBG e TSB

A Petrobras (PETR4) comunicou o início da fase vinculante referente à venda da totalidade de suas participações, de 51%, na Transportadora Gasoduto Bolívia-Brasil e de 25%, na Transportadora Sulbrasileira.

Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções detalhadas sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas vinculantes.

A Petrobras declarou que a operação está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à maximização de valor para os seus acionistas.

Petrobras (PETR4) prorroga prazo de linha de crédito compromissado

A Petrobras (PETR4) informou que prorrogou parte da linha de crédito compromissada (Revolving Credit Facility- RCF) com vencimento em março de 2024, no valor de US$ 3,25 bilhões.

Assim, 63% do total da linha de crédito, ou seja, US$ 2,05 bilhões, poderão ser sacados até 2026. O restante permanece com o vencimento no prazo original.

A Petrobras possui atualmente US$ 7,6 bilhões e R$ 6 bilhões em linhas de crédito compromissadas para serem utilizadas.

Petrobras (PETR4) inicia contratação de nona unidade do campo de Búzios

A Petrobras (PETR4) informou o início do processo de licitação para aquisição de um novo FPSO (Floating Production Storage and Offloading, sigla em inglês que identifica uma unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo) para o campo de Búzios — a 180 km da costa brasileira e a mais de 5 mil metros de profundidade, com área de 850 km², no pré-sal da Bacia de Santos.

Batizada de P-80, a plataforma será a nona unidade a operar no campo, com capacidade para processar diariamente 225 mil barris de óleo e 12 milhões de m3 de gás.

A previsão é de que a P-80 entre em operação em 2026. A unidade será contratada na modalidade EPC (engenharia, suprimento e construção) e é resultado da estratégia da Petrobras de desenvolver novos projetos de plataformas próprias, incorporando as lições aprendidas nos FPSOs já instalados no pré-sal, incluindo aspectos de contratação e construção.

Petrobras conclui venda de participação de 10% na NTS

A Petrobras (PETR4) comunica que concluiu a venda de sua participação remanescente de 10% na Nova Transportadora do Sudeste S.A. (NTS) para a Nova Infraestrutura Gasodutos Participações (NISA), empresa formada pelo Nova Infraestrutura Fundo de Investimentos em Participações Multiestratégia (FIP).

O fundo de investimentos é gerido pela Brookfield Brasil Asset Management Investimentos, e pela a Itaúsa (ITSA4), atuais acionistas controladores da NTS.

Conforme divulgado, o valor da transação foi de R$ 1,8 bilhão.

Vale (VALE3) informa sobre a suspensão de Assembleia Geral Ordinária

A Vale (VALE3) suspendeu a realização da Assembleia Ordinária no dia 30 de abril tendo em vista a alegação, por parte de determinados representantes de acionistas  de ADRs de emissão da Vale, de haver divergências entre os votos proferidos por meio dos proxy cards e os votos transmitidos à Companhia pelo depositário das ADRs.

“A Companhia entende que a suspensão temporária da AGO permitirá que tais divergências sejam corretamente apuradas e sanadas, assegurando a lisura e solidez das deliberações da AGO”, disse a empresa.

Os trabalhos da AGO serão retomados na próxima segunda-feira, 03 de maio, às 10h, de modo exclusivamente digital via plataforma Zoom.

Vale (VALE3) pode atingir R$ 858 bi de valor de mercado

A Vale atingiu na semana passada um valor de mercado próximo de R$ 600 bilhões na B3, consolidando a posição de empresa mais valiosa da América Latina, conforme informou o Estadão.

Beneficiada pela explosão do preço do minério de ferro, a mineradora brasileira aparece quase R$ 120 bilhões à frente do Mercado Livre, segundo ranking da consultoria Economática.

Em um ano, as ações da Vale mais do que dobraram de valor – com alta de 160%. Analistas dizem que há espaço para novos ganhos.

Atualmente, o preço das ações da mineradora está em torno de R$ 110, ainda longe do preço-alvo de até R$ 158 projetado pelo mercado no fim deste ano.

BB (BBAS3) anuncia novos vice-presidentes

O Banco do Brasil (BBAS3) informou que no dia 30 de abril o Sr. Carlos Renato Bonetti, Vice Presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos, e o Sr. Bernardo de Azevedo Silva Rothe, Vice-Presidente de Negócios de Atacado, renunciaram aos respectivos cargos por motivo de aposentadoria.

O BB comunicou ainda que a Sra. Ana Paula Teixeira de Sousa foi indicada ao cargo de Vice Presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos e o Sr. João Carlos de Nobrega Pecego foi indicado ao cargo de Vice-Presidente de Negócios de Atacado.

Jalles Machado (JALL3) celebra contrato de parceria agrícola

Os membros do conselho de administração da Jalles Machado (JALL3) deliberaram pela aprovação e ratificação da revisão da política de parcerias rurais.

Além disso, os membros ratificaram a aprovação para celebração de contrato de parceria agrícola com a empresa Agrojalles.

Cielo (CIEL3) se junta com BNDES para expandir no mercado de crédito

A Cielo vai explorar de forma agressiva o mercado de crédito para pequenas e médias empresas, segundo reportagem do Estadão.

De carona na iniciativa do BNDES de pulverizar e popularizar o acesso ao crédito fora dos grandes bancos, a companhia e o banco de fomento constituíram um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), onde foram aportados R$ 529,4 milhões – dos quais R$ 450 milhões do BNDES e R$ 79,4 milhões da Cielo.

Os recursos serão oferecidos a 56 mil empresas com necessidade de capital de giro para atenuar os impactos da pandemia. O juro é de 3,25% ao mês e o prazo máximo do empréstimo é de 30 meses.

Ecorodovias (ECOR3) prorroga contrato

A Ecorodovias (ECOR3) e a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) chegaram a um acordo para a resolução de passivos regulatórios da Ecovias dos Imigrantes, que prevê a extensão do contrato até março de 2033 e R$ 1,1 bilhão de novos investimentos na Baixada Santista e no sistema Anchieta-Imigrantes. As informações são do Valor.

O Termo Aditivo Modificativo (TAM) preliminar firmado entre governo e Ecorodovias prevê também um depósito de R$ 613 milhões em conta garantia ao Estado de São Paulo.

Yduqs (YDUQ3) segrega cursos de medicina

A Yduqs decidiu separar as operações de medicina dos demais cursos de sua grade e criar uma nova marca. Batizada de Idomed, a nova área de negócios reunirá as 14 escolas de medicina do grupo, de acordo com reportagem do Valor.

Segundo a Yduqs, a medida era necessária para o mercado enxergar o tamanho do negócio e compreender sua importância para o grupo como um todo.

O aluno de medicina na Yduqs paga mensalidade de R$ 8,7 mil, em média. No setor de ensino, os índices de renovação de matrículas em cursos de medicina costumam ser altos e a evasão, baixa.

Sabesp (SBSP3) informa que não se consorciou com Igua Saneamento para explorar o bloco 2

A Sabesp (SBSP3) informou que não se consorciou com a Iguá Saneamento, vencedora do leilão para explorar o bloco 2 da CEDAE.

No entanto, a companhia diz que detém uma opção de integrar a SPE detentora da concessão do bloco 2,com uma posição minoritária e sem custo, exceto as capitalizações exigidas dos acionistas para fazer jus às obrigações da futura concessionária, caso venha a exercer a referida opção.

Braskem (BRKM5) vendas dos principais químicos caem 3% em relação ao 4T20

A Braskem (BRKM5) divulgou na sexta-feira (30) o relatório de produção e vendas do primeiro trimestre de 2021.

No mercado brasileiro, as vendas dos principais químicos, que inclui produtos como propeno, gasolina, benzeno e tolueno, recuaram 3% em relação ao quarto trimestre de 2020.

Fusões e aquisições

LAME4 e BTOW3: Ame, empresa financeira, adquire Nexoos

A Ame, empresa financeira da Lojas Americanas (LAME4) e da B2W (BTOW3), fechou um acordo para a compra da fintech Nexoos Holding, que atende pequenas e médias empresas que buscam investidores. O valor da transação não foi revelado.

Segundo o comunicado, a aquisição está em linha com o plano de negócios da Ame, possibilitando a aceleração do seu desenvolvimento e maximizando suas frentes de negócios. No entanto, ainda é prematuro estimar seus efeitos nos resultados da Americanas e da B2W.

BTG (BPACC11) fecha aquisição de 100% da Fator

O BTG Pactua (BPAC11) informa que assinou documentos definitivos referentes à aquisição de 100% (cem por cento) do capital social da Fator S.A. Corretora de Valores.

A aquisição faz parte da estratégia de expansão do BTG no segmento de assessoria de investimentos. A Transação não inclui os negócios do Banco Fator, Fator Seguradora e Fator Asset Management.

O negócio ainda depende de aprovações regulatórias junto ao Banco Central.

Méliuz (CASH3) adquire Acessopar

A Méliuz (CASH3) informa que assinou acordo de associação com a Acessopar Investimentos e Participações S.A. (Acessopar) e a Acesso Soluções de Pagamento S.A., fintech especializada em soluções de pagamento e banking as a servisse, e que opera utilizando as marcas “Acesso”, “Acesso Bank”, “Bankly” e “Banco Acesso” (“Acesso”).

O Acordo prevê a incorporação pela Méliuz de 100% das ações de emissão da Acessopar, holding controladora da Acesso, em troca de novas ações de emissão da Méliuz.

O valor da transação totaliza R$ 324,5 milhões.

Segundo o comunicado emitido ao mercado, a associação com a Acesso e sua equipe de gestão marca mais um passo na expansão do ecossistema de serviços financeiros do Méliuz, permitindo o desenvolvimento de soluções em contas digitais, pagamentos, e outros temas relacionados a serviços e produtos transacionais.

Fleury (FLRY3) conclui aquisição

O Fleury (FLRY3) informa que, por meio de sua subsidiária integral, o Fleury Centro de Procedimentos Médicos Avançados, fechou a operação de aquisição de 80% das ações de emissão das seguintes companhias: Clínica de Olhos Dr. Moacir Cunha, Instituto de Oftalmologia 9 de Julho e Centro Avançado de Oftalmologia.

A receita bruta estimada da Clínica, nos 12 meses findos em março de 2020, atingiu R$ 37,8 milhões.

Por ela, a Fleury pagará o valor de R$ 29,5 milhões.

AES Brasil (AESB3) fecha aquisição do complexos eólicos

A AES Brasil (AESB3), controladora direta da AES Tietê, comunica que adquiriu a totalidade das ações representativas do capital social das sociedades de propósito específico (SPEs) que compõem o Complexo Eólico MS e o Complexo Eólico Santos.

Os complexos pertenciam à Cubico Brasil S.A. O valor total da operação foi de R$ 772 milhões, que será, segundo a AES Brasil, ajustado conforme a variação de capital de giro e dívida líquida do projeto em relação ao balanço-base da transação.

Aegea (AEGP23) e Iguá (IGSN3) vencem leilão da Cedae (RJ)

O leilão de concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) do Rio de Janeiro resultou na venda de três blocos por R$ 22,69 bilhões, com ágio de até 187% em um dos blocos. O consórcio da Aegea (AEGP23) venceu dois dos quatro blocos leiloados. A Igua Saneamento (IGSN3) arrematou um dos blocos.

O processo ocorreu nesta sexta-feira (30), na bolsa de valores B3 (B3SA3), em São Paulo, e contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do governador do Rio, Claudio Castro, e de ministros.

Emissões e dívida

Petro Rio (PRIO3) tem desdobramento das ações

O conselho de administração da Petro Rio (PRIO3) aprovou o desdobramento das ações à razão de 1/5, de forma que cada ação passe a ser representada por 5 ações.

Serão emitidas 702.664.676 novas ações, sendo que o capital da companhia se mantém no valor de R$ 5.526.451.830,79, passando a ser composto por 878.330.845 ações ordinárias.

Cosan (CSAN3) informa sobre desdobramento de ações

A Cosan (CSAN3) informou que foi aprovada a proposta de desdobramento das ações ordinárias, de modo que a cada uma ação passa a representar quatro ações da mesma espécie.

O novo número de ações representativas do capital social passou de 468.517.733 para 1.874.070.932 de ações ordinárias.

A posição acionária a ser considerada para o desdobramento das ações ordinárias é a de 05 de maio.

Unidas (LCAM3) aprova debêntures no total de R$ 750 milhões

A Unidas (LCAM3) aprovou a 20ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no montante de R$ 750 milhões.

A Emissão, destinada exclusivamente a investidores profissionais, será realizada em até duas séries.

Proventos

Ambipar (AMBP3) aprova pagamento de dividendos

A Ambipar (AMBP3)  aprovou o pagamento de dividendos no montante de R$ 10,646 milhões, equivalentes a R$ 0,0942680 por ação ordinária.

O pagamento de dividendos será efetuado, em uma única parcela, em 14 de maio.

Elektro (EKTR4) anuncia dividendos

A Elektro (EKTR4) comunicou a distribuição de dividendos no montante de R$ 37,88 milhões correspondentes a: R$ 0,1857667886 por ação ordinária e R$ 0,2043434675 por ação preferencial classe A.

O pagamento dos dividendos será feito de forma individualizada a cada acionista a partir de 12 de maio, sem atualização monetária, com base na posição acionária de 09 de abril de 2021.

Track & Field (TFCO4) informa dividendos

A Track & Field (TFCO4) aprovou o pagamento de dividendos no valor de R$ 6,134 milhões, equivalente a R$ 0,039149308 por ação preferencial e R$ 0,003914931 por ação ordinária.

A base de cálculo dos dividendos será a posição acionária no encerramento do pregão do dia 30 de abril. A partir de 03 de maio as ações serão negociadas na B3 “ex” dividendos.

Cemig (CMIG4) anuncia dividendos e JCP

A Cemig (CMIG4) informou que será destinado o montante de R$ 1,48 milhões em proventos.

Dessa forma, R$ 553,488 mil serão pagos na forma de juros sobre o capital próprio, sendo equivalente a R$ 0,07904259285 por ação ordinária/preferencial, declarados em 22/09/20 e R$ 0,28553346242 por ação ordinária/preferencial, declarados em 23/12/2020.

Além disso, será pago dividendos no montante de R$ 928,65 mil, que correspondem a R$ 0,61169613494 por ação ordinária/preferencial.

Cosern (CSRN3) aprova distribuição de dividendos

A Cosern (CSRN3) aprovou a distribuição de dividendos no montante de R$ 28,73 milhões, correspondentes aos valores brutos de R$ 0,1671772107 por ação ordinária, R$ 0,1838949318 por ação preferencial classe A e R$ 0,1838949318 por ação preferencial classe B.

São Carlos (SCAR3) distribui dividendos e JCP

A São Carlos (SCAR3) aprovou a distribuição de dividendos no montante de R$ 20,74 milhões ou R$ 0,366203 por ação.

Terão direito aos proventos os detentores de ações de emissão da Companhia em 30 de abril, sendo as ações negociadas ex-dividendos a partir de 3 de maio.

CPFL (CPFE3) anuncia dividendos

A CPFL Energia (CPFE3) aprovou a distribuição de dividendos no montante de R$ 1,73 bilhão, equivalentes a R$ 1,501834847 por ação ordinária.

O pagamento de dividendos será efetuado, em uma única parcela, em 29 de junho de 2021.

Positivo (POSI3) paga dividendos

A Positivo Tecnologia (POSI3) aprovou o pagamento de dividendos no montante de R$ 48,054 milhões, equivalentes a R$ 0,340860213471151 por ação ordinária.

Os beneficiários dos dividendos serão os acionistas detentores de ações no fechamento do pregão do dia 30 de abril. As ações passam a ser negociadas ex-dividendos a partir de 3 de maio de 2021 (inclusive).

Os proventos serão pagos aos acionistas em três parcelas, sendo R$ 12.013.704,89 em 17 de maio; R$ 12.013.704,89 em 20 de setembro e R$ 24.027.409,77 em 20 de dezembro.

Helbor (HBOR3) comunica remuneração

A Helbor (HBOR3) aprovou a distribuição de dividendos no valor de R$ 6,29 milhões, correspondente a R$ 0,0474631991 por ação ordinária.

Os dividendos declarados serão pagos no dia 31 de maio, com base na posição acionária de 30 de abril.

Mitre (MTRE3) informa dividendos

A Mitre (MTRE3) aprovou a distribuição, a título de dividendos, do montante de R$ 47,28 milhões.

Dessa forma, os dividendos serão pagos aos acionistas em uma única parcela, em 29 de junho, com base na posição acionária de 05 de maio.

Vivara (VIVA3) anuncia dividendos

A Vivara (VIVA3) anunciou o pagamento de dividendos no montante total de R$ 12,48 milhões, equivalente a R$ 0,0528439830 por ação ordinária.

Terão direito ao dividendo declarado as pessoas inscritas como acionistas da Companhia na data-base de 30 de abril.

Cosan (CSAN3) paga dividendos e JCP

A Cosan (CSAN3) informou sobre a distribuição de dividendos, aprovado em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária (AGOE) de 30 de abril de 2021, referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2020.

Serão pagos aos acionistas dividendos no valor total de R$ 481 milhões, a R$ 1,03059279 por ação ordinária, sem retenção de Imposto de Renda na Fonte

Hapvida (HAPV3): distribuição de dividendos

A Hapvida (HAPV3) comunica que foi aprovada a distribuição de dividendos no total de  R$ 9,72 milhões, correspondentes a R$ 0,0026177761869954 por ação.

Terão direito aos dividendos todos os acionistas detentores de ações ordinárias de emissão da companhia ao final do pregão na data base de 05 de maio de 2021.

Tenda (TEND3) remunera

A construtora Tenda (TEND3) aprovou a distribuição e o pagamento de dividendos no montante equivalente a 25% do lucro líquido do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2020, a título de dividendo mínimo obrigatório.

Sendo assim, serão distribuídos dividendos no valor total de R$ 17.08 milhões, em complemento aos dividendos declarados e distribuídos durante o exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2020 (em 24 de setembro de 2020 e 05 de novembro de 2020), no valor total de R$ 47,57 milhões.

O valor mencionado acima, de R$ 17.08 milhões é equivalente a R$ 0,17774743 por ação, excluindo as ações em tesouraria do total de ações emitidas.

Guararapes (GUAR3) paga JCP

A Guararapes (GUAR3) aprovou que juros sobre capital próprio (JCP) no montante de R$ 202,57 milhões serão pagos aos acionistas a partir de 7 de maio de 2021.

Os JCP terão no valor bruto de R$ 0,4058 por ação ordinária, observadas as posições acionárias na data base, quando o Conselho de Administração aprovou a remuneração.

 IPO 

IPOs: das nove estreias previstas para a semana apenas quatro se concretizaram

Somente quatro das nove empresas com estreias marcadas para esta semana prosseguiram com suas operações. Foram elas: Caixa Seguridade (CXSE3), GPS Participações e Empreendimentos (GGPS3), Boa Safra Sementes (SOJA3) e ModalMais (MODL11).

Como visto ao longo do mês de abril várias empresas optaram por adiar ou mesmo cancelar suas ofertas sob a alegação de que vão esperar uma janela mais favorável de mercado, dado que a demanda por suas ações ou o preço que estava sendo oferecido pelos investidores era aquém do esperado.

A incerteza sobre o cronograma de vacinação no País, intervenções do presidente Bolsonaro nas estatais e à falta de apetite do investidor por novas prejudicaram as operações previstas para abril.

Os hospitais Kora Saúde e Hospital Care, Infracommerce e Rio Alto Energias Renováveis decidiram suspender seus IPOs por 60 dias.

Já a Vittia Fertilizantes optou por cancelar sua oferta inicial de ações.

Blau Farmacêutica,  Allier Tecnologia e Hospital Mater Dei também fizeram suas estreias em Bolsa no mês de abril.

IPOs previstos para maio

Para o mês de maio estão previstos 5 ofertas iniciais de ações. Entre elas, a Athena Saúde, que tem pretensão de movimentar entre R$ 1 bilhão a R$ 2,5 bilhões.

Já a plataforma de oferta de serviços GetNinjas deseja captar entre R$ 500 milhões e R$ 700 milhões. Ambas estão em apresentações a analistas e investidores.

Outros IPOs marcados para maio são: Dotz, G2D Investimentos e Petrorecôncavo.

Mudança acionária

Boa Safra Sementes (SOJA3): gestora Truxt alcançou participação de 6,75% do total de ações ON

A Boa Safra Sementes (SOJA3) comunicou que recebeu, no dia 30 de abril, correspondência encaminhada pela Truxt Investimentos informando que passou a deter um total de 7.500.000 ações.

Dessa forma, a acionista possui atualmente um conjunto que representa, aproximadamente, 6,75% do total de ações ordinárias emitidas pela Companhia.

br Malls (BRML3) tem alteração acionária

A br Malls (BRML3) informou que o Morgan Stanley atingiu, de forma agregada, posição equivalente a 5,0% do número total de ações ordinárias da companhia.

A posição corresponde, segundo a companhia, a 31.124.140 ações ordinárias de American Depositary Receipts (ADRs); e o instrumento financeiro derivativo com previsão de liquidação física inclui posição comprada de 12.953.500 ações.

(Com Marco Antônio Lopes, Claudia Zucare, Rodrigo Petry e Redação)

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.