Aegea (AEGP23) e Iguá (IGSN3) vencem blocos em leilão da Cedae (RJ)

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

O leilão de concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) do Rio de Janeiro resultou na venda de três blocos por R$ 22,69 bilhões, com ágio de até 187% em um dos blocos. O consórcio da Aegea (AEGP23) venceu dois dos quatro blocos leiloados. A Igua Saneamento (IGSN3) arrematou um dos blocos.

O processo ocorreu nesta sexta-feira (30), na bolsa de valores B3 (B3SA3), em São Paulo, e contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e do governador do Rio, Claudio Castro, e de ministros.

Aegea ficou com blocos 1 e 4

A companhia foi dividida em quatro blocos. O bloco 1 foi arrematado pelo consórcio Aegea, por R$ 8,2 bilhões, com ágio de 103,13%.

O bloco 4 também foi vendido ao consórcio Aegea por R$ 7,203 bilhões, com ágio de 187,75%. O bloco 3 não obteve proposta, pois o único interessado, o consórcio Aegea, não prosseguiu na oferta.

A Aegea divulgou comunicado sobre o leilão: “A empresa anuncia que o consórcio Aegea, do qual figuraram como partes a companhia, na condição de líder do consórcio, o Grupo Equipav, o GIC (Fundo Soberano de Singapura) e Itaúsa (ITSA4), sagrou-se vencedor das ofertas apresentadas para os blocos 1 e 4,pelo valor de R$ 8,200 bilhões e R$ 7,203 bilhões, respectivamente.”

O bloco 1 inclui a zona sul do município do Rio, o município de São Gonçalo e mais 16 municípios do interior do estado.

O bloco 4 inclui os bairros do centro e da zona norte da capital, mais oito municípios da Baixada Fluminense.

“As concessões terão prazo de 35 anos e se juntam às operações da Aegea no Estado do Rio de Janeiro, onde a Aegea detém a Prolago – Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto, com atuação nos municípios de Armação dos Búzios, Iguaba Grande, Cabo Frio, São Pedro da Aldeia e Arraial do Cabo”, informa a companhia.

“Com a incorporação destas novas concessões ao seu portfólio, a Aegea passará a operar um total de 42 concessões, 6 PPPs (parcerias público-privadas) e 1 subconcessão, presente em 153 municípios, em 12 estados, atendendo 21 milhões de habitantes”, acrescenta a nota da Aegea.

“A conquista [de blocos no leilão da Cedae] é mais um passo importante para a consolidação da companhia como líder no setor de saneamento privado e representa a concretização de mais uma importante etapa do planejamento estratégico da Aegea, que visa o seu crescimento qualificado e a contribuição para o desenvolvimento do saneamento básico no Brasil”, conclui.

Iguá conquista bloco 2

O bloco 2 ficou com o consórcio Iguá Projetos, por R$ 7,286 bilhões, com ágio de 129,68%.

O bloco 2 inclui os bairros cariocas de Barra da Tijuca e Jacarepaguá, mais os municípios de Miguel Pereira e Paty do Alferes. O bloco 3, que não foi arrematado, inclui os bairros da zona oeste do Rio, mais seis municípios do interior e da região metropolitana.

A Iguá também divulgou nota sobre o leilão: “O contrato de concessão terá prazo de 35 anos e beneficiará aproximadamente 1,2 milhão de habitantes1. Esta conquista é um marco no plano de crescimento da companhia, reforçando não só sua posição como uma das líderes no setor de saneamento no Brasil, mas também sua estratégia de ser a melhor empresa de saneamento para o país.”

Água e esgoto para 12,8 milhões de pessoas

Os vencedores do leilão deverão universalizar o fornecimento de água e esgoto para mais de 12,8 milhões de pessoas em até 12 anos, objetivo previsto no novo marco regulatório do saneamento. O projeto deve gerar 45 mil empregos e investimentos de cerca de R$ 30 bilhões.

O presidente Bolsonaro falou rapidamente ao final do leilão e destacou a importância do ato. “Este é o momento que marca a nossa história e a nossa economia. Um governo voltado para a liberdade de mercado, na confiança dos investidores e na crença de que o Brasil pode ser diferente”, afirmou.

Em discurso, o governador Claudio Castro destacou o aspecto social do leilão, que, segundo ele, vai ampliar o saneamento básico para a população do estado do Rio de Janeiro.

“Apesar do inquestionável êxito econômico dessa operação, eu gostaria de ressaltar o alcance social dessa concessão: 12 milhões de pessoas serão beneficiadas com água encanada e coleta e tratamento de esgoto. São questões básicas, mas que ainda são um problema em nosso país inteiro”.

Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, usou a palavra confiança para descrever o resultado do leilão. “São mais de R$ 50 bilhões que são colocados nesses compromissos social, econômico, ambiental, de saúde pública. Essa confiança é a palavra que resume o quadro que nós observamos agora”.

*Com Agência Brasil