Money Week: confira os melhores momentos da última edição

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação

A quarta edição da Money Week reuniu mais de 25 horas de conteúdo, com dezenas de convidados incríveis. Pela primeira vez, mudanças foram feitas no formato do evento, trazendo uma dinâmica diferente.

Foram palestras aprofundadas em um tema, paineis de debate, entrevistas e alguns quadros novos: mulheres contaram no quadro “O que tem na sua bolsa” onde elas investem e assessores da EQI trouxeram soluções para dúvidas comuns no quadro “EQI Responde”. Nenhum formato ultrapassou 50 minutos, algo tão dinâmico que aproximou o evento de programas de TV ao invés das lives do mercado.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Agora, a Money Week está chegando com a sua quinta edição e mais uma vez traz nomes icônicos do mundo dos investimentos para evento online e gratuito.

Entre os dias 25 e 29 de outubro, mais de 50 convidados vão falar e tirar dúvidas sobre o cenário econômico atual, balanceamento de carteira, educação financeira, renda fixa, e diversos outros temas. Se inscreva agora!

Enquanto a nova edição não começa, confira um pouco do que ocorreu em cada dia da quarta edição da Money Week:

1º dia: debate cenário macro, fiscal e de investimentos

Em seu primeiro dia, a 4ª edição da Money Week não poderia ter começado melhor, com a participação de Luis Stuhlberger e Rogério Xavier, que participaram da abertura do evento.

Três especialistas em contas públicas analisaram o cenário atual do país. Segundo eles, o Brasil já entrou na pandemia com uma situação fiscal fragilizada e enfrentou uma cenário diferente de países desenvolvidos.

No médio e longo prazo, porém, especialistas falam da importância das reformas que estão na fila do Congresso. Os economistas falam em uma reforma possível, mesmo que não seja a ideal.

Diversificação foi o tema final do primeiro dia de MoneyWeek. Guto Antunes, diretor do MezaPro e CEO do Meubank, que desenvolve um trabalho intenso de análise de investimentos, falou sobre criptoativos.

“A primeira lição é estudar e conhecer os ativos que irão compor a sua carteira. Hoje em dia são mais de 4 mil criptoativos”, afirmou. Segundo ele, os dois mundos (investimentos reais e criptoativos) hoje em dia não são mais tão distantes, mas é sempre importante acompanhar a tecnologia do ativo para saber se está em um investimento adequado.

2º dia: debate oportunidades na bolsa

Em seu segundo dia, a 4ª edição da Money Week contou com a participação de Louise Barsi, que falou sobre o “jeito Barsi” de investir.

Para debater o papel das mídias sociais na educação financeira e o consequente investimento em bolsa, Money Week trouxe Gilvan Bueno, da Financier Educação; Eduardo Mira, de Me PoupeCharles Wicz, do Economista Sincero.

3º dia trouxe palestras sobre ESG, fundos e cases de empresas

Em seu terceiro dia, a 4ª edição da Money Week trouxe assuntos muito buscados por investidores em suas decisões de carteira. O dia começou com um painel sobre fundos de ações.

“Existe uma gama muito grande de fundos, com estilos diferentes, mas não existe um fundo correto, mas sim um para cada apetite do investidor. Há um super cardápio, e o investidor tem que estudar ou recorrer aos profissionais que o ajudem a escolher o melhor produto”, comentou Roberto Chagas, Head da EQI Asset, dando a primeira pitada sobre tudo o que foi discutido no painel.

Ainda, Paulo Morais, CoCEO da Espaçolaser (ESPA3), explicou sobre a atuação da companhia e o espaço de crescimento. “Apenas 5% das depilações no Brasil são feitas com laser. Há muito espaço pra expandir”, avaliou.

A empresa fez o IPO na B3 em fevereiro de 2021.

A Money Week trouxe ainda o presidente da B3 (B3SA3), Gilson Finkelsztain, analisando a situação do mercado.

4º dia trouxe oportunidades de diversificação para o investidor

Em seu quarto dia, a 4ª edição da Money Week trouxe assuntos voltados a investidores de perfil moderados e arriscados, que buscam alternativas além do tradicional.

Referência no Brasil em Riqueza Pessoal e Antifragilidade, Luiz Fernando Roxo foi o responsável pelo painel “Investindo com Opções para Gerar Renda e Proteger a Carteira”. Roxo é gestor da Polyface Invest, sócio-fundador da Zen Economics, e autor do livro “Comprando e Vendendo Opções”, além de apresentador do “A Hora das Opções”.

Um dos principais painéis do dia foi sobre como o investidor brasileiro pode aproveitar a recuperação econômica dos EUA para investir no exterior.

Conforme o sócio e diretor de distribuição da Geo Capital, Gustavo Aranha, o momento de estímulo fiscal vem desde a crise financeira de 2008, mas se acelerou – e muito – com a crise da pandemia, com trilhões de dólares injetados.

Fundos Imobiliários e small caps fecharam o último dia

Em seu quinto e último dia, a 4ª edição da Money Week trouxe assuntos buscados pelo investidor pessoa física, a começar pela primeira palestra do dia, sobre fundos imobiliários.

Roberto Varaschin (sócio da EQI Investimentos) comandou a conversa que teve como convidados Caio Conca (Capitania), Eduardo Malheiros (Hectare Capital) e Bruno Eiras (Devant Asset). Eles se juntaram para dar importantes dicas sobre fundos imobiliários, especificamente sobre investimentos em FIIs de CRI.

Um painel comandado por Luiz Razia, apresentador do Auto Esporte e sócio-diretor da Rockset Produtora, discutiu oportunidades no mundo de small caps. Frederico Mesnik, CEO da Trígono Capital, começou por definir o que é o grupo.

Confira também os bastidores da última edição!