Fundos Imobiliários: o que esperar dos FIIs para 2021? Veja as perspectivas

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Foto: img-capa-fiis

Os Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) sofreram com a crise desencadeada pela pandemia da Covid-19, mas, ao contrário da bolsa, eles não conseguiram recuperar totalmente suas perdas – o que pode abrir oportunidades para 2021.

Índice que mede o desempenho dos FIIs na bolsa, o Ifix acumulou perdas de 10,2% em 2020, mesmo após o mês de dezembro positivo, com alta de 2,19%.

Para este ano, porém, o interesse em FIIs deve crescer, em meio ao cenário de juros baixos, com investidores buscando alternativas à renda fixa.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Com o mercado otimista para 2021, é preciso saber, contudo, conhecer os tipos de FIIs.

Veja neste artigo quais tipos de fundos podem se destacar e suas características.

Setor de logística

O consenso é que os Fundos Imobiliários de empresas de logística continuem indo bem. O crescimento do e-commerce durante a pandemia deixou o setor mais atrativo. “Os FII de logística devem continuar crescendo, com mais ativos e maior diversificação”, disse Alessandro Vedrossi, sócio-diretor da Valora Investimentos.

De acordo com Caio Braz, sócio da Urca Capital Partners, por mais que os FIIs de logística tenham a tendência de performar bem, é preciso analisá-los isoladamente. Isto é, considerar a perspectiva da região que estão inseridos e seus locatários.

Desenvolvimento imobiliário

Braz acrescenta que o setor de desenvolvimento imobiliário é outro que está voltando a ficar aquecido. “As linhas de crédito para compra de imóveis estão com taxas em mínimas históricas com a baixa da Selic. Os FIIs voltados para desenvolvimento imobiliário, especialmente de unidades residenciais ou loteamentos, tem uma ótima perspectiva para 2021”, afirmou.

Além disso, segundo Braz, houve uma mudança na percepção de que a compra de imóveis e terrenos para investimentos “voltou a ser um bom negócio”. Por conta de todos esses motivos, muitos investidores tomaram gosto por esse tipo de FIIs.

Shoppings e recebíveis

Os especialistas ainda batem na tecla da vacina contra a Covid-19 para uma melhora significativa, de forma geral. Para os Fundos Imobiliários, há uma grande expectativa para os FIIs de shoppings e lajes corporativas, que sofreram durante o ano passado.

No entanto, na avaliação de Braz, o ano ainda será desafiador para esses dois segmentos, especialmente os que têm locatários com maior facilidade de deslocamento para instalações mais baratas.

Ele projeta um cenário mais pessimista para os shoppings também pelo futuro incerto a respeito do consumo das famílias. “O fim dos estímulos do governo aliado ao alto desemprego devem tornar o ano desafiador para shopping centers e propriedades comerciais”, explicou.

Por outro lado, Vedrossi acredita que os shoppings, ao lado de FIIs de recebíveis, devem ser os principais destaques do ano. “Os de recebíveis em virtude da expectativa de aumento da inflação e da taxa de juros. Os de shopping devem ter uma recuperação lenta, mas com a vacina o movimento nos shoppings deve se recuperar rápido”, explicou.

Braz concorda e acredita que os FIIs de recebíveis imobiliários pulverizados têm boas chances de serem os destaques de 2021.

Lajes corporativas

Por conta da pandemia e a aceleração do home office em diversas empresas, muitos imóveis corporativos sofreram para manter seus locatários. Em 2021, esse segmento terá obstáculos para superar.

“Existe ainda um desafio para os FIIs de lajes corporativas, principalmente pela questão da recomposição do IGP-M em contratos de locação, além da ainda lenta recuperação econômica”, explica o sócio-diretor da Valora Investimentos.

Entretanto, para ele, os ativos de maior qualidade provavelmente terão uma performance superior.

Retrospectiva 2020

Em 2020, todos os FIIs sofreram baque. Contudo, alguns se destacaram no quesito de recuperação.

No início da crise todos os FIIs sofreram desvalorização. Porém, os FII Logísticos e de Recebíveis foram os que tiveram recuperação de preço mais rápida.

Para Caio Braz, os fundos de CRI focados em home equity, recebíveis pulverizados e FOFs que tiveram uma gestão ativa eficiente foram os destaques do ano.

De acordo com o levantamento exclusivo da SmartBrain, fintech de plataforma de controle e consolidação de investimentos, os FIIs com melhor rentabilidade de janeiro a dezembro de 2020 foram HCTR11, que atua na compra de imóveis para aluguel e venda.

Na sequência aparece IRDM11, do segmento de recebíveis (CRIs). E por fim, o NVHO11, que investe prioritariamente em empreendimentos imobiliários de hospitais.

Quer saber como investir em Fundos Imobiliários? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para auxiliar na sua trajetória de investimentos.