IPOs de abril sofrem com turbulência política e econômica

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução / YouTube / B3

Após um mês de março sem ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês), abril tinha tudo para se destacar, com a abertura de capital de nove empresas, inicialmente, previstas.

No entanto, o agravamento da pandemia, a turbulência política e o aumento da insegurança com as recentes intervenções do governo nas estatais fizeram com que algumas empresas adiassem os seus planos de abertura de capital.

Além disso, Viveo (VVEO3) e Blau Farmacêutica (BLAU3) realizaram modificações na operação e postergaram os seus IPOs para próxima semana.

Já a LG Informática optou por suspender por 60 dias a oferta, alegando condições adversas de mercado.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Por outro lado, quem decidiu levar a oferta adiante vem enfrentando muita disputa em torno de preço.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Dasa (DASA3) tem captação abaixo das expectativas

O re-IPO da Dasa (DASA3), que se esperava ser um enorme sucesso, saiu abaixo das expectativas.

A rede de laboratório teve que conceder um deságio de aproximadamente 10% em relação ao piso da faixa indicativa, mesmo após a família Bueno adquirir R$ 500 milhões para ancorar o preço.

Apesar de estar no setor de saúde, “queridinho dos investidores” , a Dasa levantou ao final R$ 3,3 bilhões, bem abaixo da expectativa de captar R$ 5 bilhões.

Cabe lembrar que, no final do ano passado, a Rede D’Or São Luiz (RDOR3), maior grupo independente de hospitais do Brasil, levantou R$ 11,4 bilhões em um dos maiores IPOs já realizados no Brasil.

Allied capta menos da metade do esperado

Já a abertura de capital da controlada da Avent, Allied Informática, também saiu abaixo do intervalo de preço sugerido. Inicialmente a faixa de preços era de R$ 20 a R$ 26.

Mas para continuar com a operação, a empresa reduziu o tamanho da oferta e a faixa de preço, além de suspender a tranche secundária.

Dessa forma, o IPO foi precificado em R$ 18,00 por papel e a companhia embolsou R$ 180 milhões. Antes, a previsão era de uma oferta de R$ 500 milhões.

Mater Dei e Care Caledônia seguem firmes

Apesar do cenário turbulento, as redes de hospitais Mater Dei e Care Caledônia seguem adiante com seus respectivos planos de abertura de capital.

O Mater Dei espera movimentar quase R$ 2 bilhões em seu IPO. Enquanto o Care Caledonia estima levar aproximadamente R$ 790 milhões.

Por fim, alguns especialistas acreditam que esta segunda janela de ofertas do ano poderia decepcionar, em relação ao volume recorde de operações visto em janeiro e fevereiro. Há estimativas que sugerem menos de 15 ofertas, contra as 40 em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

IPO: veja as empresas com pedido na CVM 

EmpresaPedido de IPOSituação
BLAU FARMACÊUTICA05/02/2021Em andamento
LG INFORMÁTICA08/02/2021Suspenso
ALLIED25/03/2021Em andamento
 CM HOSPITALAR03/02/2021Em andamento
HOSPITAL MATER DEI12/02/2021Em andamento
HOSPITAL CARE CALEDONIA18/02/2021Em andamento
GPS PARTICIPAÇÕES01/03/2021Em andamento
 INFRACOMMERCE CXAAS01/03/2021Em andamento
RIO ALTO ENERGIAS RENOVÁVEIS01/03/2021Em andamento
  KORA SAÚDE25/02/2021Em andamento
GRUPO AVENIDA01/03/2021Em análise
GETNINJAS18/02/2021Em análise
PETRORECÔNCAVO18/02/2021Em análise
RIO ENERGY PARTICIPAÇÕES03/03/2021Em análise
ATHENA SAÚDE BRASIL10/03/2021Em análise
UBOOK EDITORA12/03/2021Em análise
CDF ASSISTÊNCIA E SUPORTE DIGITAL16/03/2021Em análise
RIO BRANCO ALIMENTOS26/02/2021Em análise
LIBRELATO25/02/2021Em análise
TEGRA INCORPORADORA26/02/2021Em análise
BIONEXO01/03/2021Em análise
SÃO SALVADOR ALIMENTOS23/02/2021Em análise
LIVETECH DA BAHIA INDÚSTRIA22/02/2021Em análise
ENTALPIA PARTICIPAÇÕES22/02/2021Em análise
DOTZ22/02/2021Em análise
TRÊS TENTOS AGROINDUSTRIAL19/02/2021Em análise
LABORATÓRIO TEUTO19/02/2021Em análise
PRIVALIA BRASIL17/02/2021Em análise
NADIR FIGUEIREDO05/02/2021Em análise
NOVA HARMONIA10/02/2021Em análise
CASA & VÍDEO BRASIL22/01/2021Em análise
CTC22/10/2020Em análise
GUARARAPES PAINEIS12/12/2020Em análise
VITTIA17/11/2020Em análise
CORTEL23/11/2020Em análise
CFL INC PAR21/07/20201Em análise
METODO ENGENHARIA23/10/2020Em análise
GRUPO BIG19/10/2020Em análise
GRUPO FARTURA20/10/2020Em análise
OLEOPLAN21/10/2020Em análise
GRUPO UNI.CO21/10/2020Em análise
BOA SAFRA 22/10/2020Em análise
IGUA SANEAMENTO23/08/2020Em análise

IPOs de 2021, são estes:

Acesse aqui material sobre IPOs.

Abertura de capital recorde

Foram movimentados em 2020 aproximadamente R$ 112 bilhões (considerando IPOs e follow-ons).

Assim, superou-se a cifra recorde de 2019, quando o volume de emissões foi de R$ 90 bilhões – perdendo apenas para 2010, quando houve a megacapitalização da Petrobras.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo.