BDRs têm volume recorde; Tesla (TSLA34) e Mercado Livre (MELI34) lideram em 2020

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Reprodução Instagram Tesla

Os volumes financeiros e a quantidade de negócios movimentados pelos BDRs (Brazilian Depositary Receipts) atingiram recorde histórico em dezembro de 2020. Os mais negociados no ano foram Tesla (TSLA34) e Mercado Livre (MELI34), segundo estudo da Economatica.

Os BDRs foram liberados pela B3 no Brasil em outubro de 2020. Desde então, a quantidade de BDRs negociados vem crescendo mês a mês.

Dezembro registrou 522.120 negócios, valor acima dos 472.145 de novembro e mais do que o dobro dos 207.370 de outubro. Antes da liberação para todos os investidores, até setembro, a quantidade de negócios não passava de 60 mil negócios.

Quantidade de negócios BDRs negociados na B3 em 2020

Maior volume financeiro em 2020

No ano anterior, até dezembro de 2019, o volume financeiro médio diário mensal movimentado pelos BDRs na bolsa B3 no foi de 34,3 milhões. Mas um ano depois, no fechamento de dezembro de 2020 foram R$ 274,4 milhões. Ou seja, crescimento de oito vezes, aponta estudo da Economatica.

Até o mês de agosto de 2020 o volume médio diário dos BDRs não ultrapassava os R$ 100 milhões em média por dia.

Um pico de negociação foi registrado no mês de setembro quando foi movimentado R$ 189,3 milhões em média por dia. Em outubro houve um recuo para R$ 125,9 milhões em média por dia e nos meses de novembro e dezembro o volume atingiu mais de R$ 200 milhões em média por dia.

Volume médio diário mensal BDRs negociados na B3 em R$ (2020)

BDRs com maior liquidez do mercado

A Economatica listou os 20 BDRs com maior volume financeiro médio diário em 2020.

O BDR da Tesla (TSLA34) foi o ativo com maior liquidez no ano de 2020 com R$ 10,23 milhões negociados em média por dia.

A valorização percentual em 2020 em reais foi de 997,49%, já a rentabilidade percentual em dólares foi de 751,24% – a diferença se deve à valorização do dólar que no ano de 2020 foi de 28,93%.

Na sequência vem Mercado Livre (MELI34), Apple (AAPL34), Amazon (AMZO34) e Microsoft (MSFT34).

Dentre os 20 BDRs mais negociados no ano passado, 18 são de empresas dos EUA, uma é da Argentina (Mercado Livre) e uma de Hong Kong (Grupo Alibaba).

Todos os BDRs registraram rentabilidade positiva em 2020 em reais. Já em dólares só o banco Jpmorgan Chase & Co tem rentabilidade negativa com queda de -6,87%.

BDRs com maior liquidez em 2020

Mas o que são BDRs?

Os Brazilian Depositary Receipts são ativos que representam ações de empresas estrangeiras, mas são emitidos no Brasil.

Quando o investir compra um BDR ele está, indiretamente, participando de uma empresa no exterior. Assim, ele tem também direito aos dividendos distribuídos pela companhia lá fora (mas não são todas que pagam dividendos).

Porém, é importante deixar claro que BDRs não são investimentos no exterior. Ou seja, você não está investindo diretamente nas empresas. O que este ativo faz é acompanhar a variação das ações de empresas fora do Brasil.

Hoje, na B3, estão listados 671 BDRs.