Um fevereiro atípico: confira o balanço dos IPOs no mês

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Fevereiro será lembrado como um mês de muitas estreias na B3. A fila das ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) reúne empresas de varejo, educação, tecnologia, mineração, óleo e gás e indústria química.

Nove empresas já realizam sua estreia e mais três acontecem ao longo desta semana, em número histórico para o período. Isso porque normalmente fevereiro é um mês morto para o mercado de capitais em função do Carnaval.

Caso todas operações sejam mesmo concluídas, a cifra movimentada deve superar os R$ 20 bilhões.

A principal oferta de ações do mês deve vir de CSN Mineração (CMIN3), que pode levantar R$ 5.302 bilhões com a oferta.

IPOs já realizados em fevereiro

Intelbras (INTB3) estreia com alta de 25,33%

A ação da Intelbras (INTB3) estreou na bolsa no dia 4 de fevereiro, com forte alta. Os papéis fecharam com um salto de 25,33%, cotados a R$ 19,74. O volume total negociado nesse primeiro dia de pregão foi de R$ 476,22 milhões.

Mas a oferta total movimentou R$ 1,3 bilhão – 55,55% dos recursos vão para o caixa da empresa e o restante, para os acionistas vendedores.

Mosaico (MOSI3) estreia em disparada de 70%

Mosaico Tecnologia (MOSI3), dona dos sites Buscapé, Zoom e Bondfaro, estreou na Bolsa de Valores em disparada de 70% no dia 5 de fevereiro.

Os papéis da Mosaico saltaram 96,97% cotados a R$ 39. A Mosaico teve a melhor estreia na história da bolsa, com alta recorde, em volume negociado de R$ 876 milhões.

Segundo a Economatica, a disparada configura a estreia com a maior alta desde 2011.

A oferta consistiu na distribuição primária de 29,2 milhões papéis, somando R$ 578,6 milhões. Já na tranche secundária foram 32,1 milhões ações, no total de R$ 636,4 milhões, incluindo a colocação dos lotes adicional e suplementar.

A faixa indicativa de preço da oferta estava entre R$ 15,40 e R$ 19,80.

IPO da Mobly (MBLY3): alta de 25,71%

As ações da Mobly avançaram 25,71% na estreia, negociados a R$ 28,29. A movimentação da loja online de móveis foi de R$ 812 milhões.  A oferta foi coordenada por Morgan Stanley, Bradesco BBI, Itaú BBA e Goldman Sachs.

IPO da Focus Energia (POWE3) fecha com queda

A Focus Energia (POWE3) fechou com queda de 13% seu primeiro pregão. Ainda assim, levantou R$ 765 milhões em sua oferta primária. Além da venda de ações novas, sócios da companhia venderam o equivalente a R$ 122,4 milhões em participação. Com isso, a oferta total movimentou R$ 887,4 milhões.

A oferta foi coordenada por Morgan Stanley, Santander, Citigroup e UBS BB.

Cruzeiro do Sul Educacional (CSED3): papel recua na estreia

A Cruzeiro do Sul Educacional fez IPO com 100% de oferta primária.

A empresa do setor de educação movimentou R$ 1,23 bilhão com a oferta. A oferta inicial de ações (IPO) do grupo saiu a R$ 14 por papel.

Mas no pregão sua ação recuou 7,29%, a R$ 12,98.

Com 330 mil alunos de graduação, pós-graduação e extensão na modalidade presencial e a distância, o Cruzeiro do Sul é o quarto maior grupo de ensino superior privado do País em número de estudantes.

A empresa surgiu em 1965, em São Paulo, e começou sua expansão nos anos 1990 e 2000.

Até setembro de 2020 a empresa teve um prejuízo líquido de R$ 78,3 milhões, revertendo um lucro de R$ 79,4 milhões em igual período de 2019.

A receita líquida da empresa totalizou R$ 1,3 bilhão até setembro de 2020, contra R$ 1,109 bilhão no mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, os recursos da oferta primária serão direcionados para realização de operações de fusão e aquisição; expansão e investimentos greenfields.

A longo prazo, além da aquisição de outras instituições, a empresa quer expandir os polos EAD e investir mais visando à modernização das infraestruturas.

Oceanpact (OPCT3) fecha estreia de forma estável

A Empresa de óleo e gás estreou na bolsa de valores na sexta-feira (12) e encerrou o seu primeiro pregão de forma estável, cotadas a R$ 11,15.

Durante o pregão, as ações da companhia chegaram a máxima de R$ 11,48 (+2,96%) e à mínima de R$ 10,75 (-3,59%).

A empresa levantou aproximadamente R$ 1,22 bilhão com o IPO. Os coordenadores da oferta foram Itaú BBA, Bradesco BBI e J.P. Morgan.

Os recursos serão direcionados para aquisição e customização de embarcações; e aquisição de máquinas e equipamentos, ambos os itens via aquisição direta do ativo ou M&A.

A empresa foi criada em 2007, no Rio de Janeiro, com foco inicial na área de consultoria e resposta a emergências ambientais. Hoje, a OceanPact é uma das principais prestadoras de serviços de suporte marítimo no Brasil, oferecendo serviços para estudo, proteção, monitoramento e uso sustentável do mar, do litoral e dos recursos marinhos.

A Oceanpact atingiu uma receita líquida consolidada de R$640 milhões e Ebitda de R$167 milhões no período de 12 meses findo em 30 de setembro de 2020.

Westwing (WEST3)

empresa de varejo captou R$ 1,16 bilhão com a venda de 89,3 milhões de ações. O preço por ação, decido na última terça-feira (09) foi de R$ 13. Mas os papéis registraram baixa de 8,46%, cotados a R$ 11,90.

A loja de decoração online usará os recursos da oferta para aceleração do core business, aumento de investimento em produtos de marca própria, tecnologia e logística.

Fundada em 2011 como subsidiária de uma multinacional alemã de mesmo nome, a empresa estabeleceu operação em vários países como o Brasil e também na Europa e na Ásia. Mas em 2018 a empresa tornou-se totalmente independente do grupo alemão.

Conforme os dados da empresa, a Westwing tem mais de 8 milhões de usuários cadastrados, que visitam suas plataformas e redes sociais em busca de inspiração e boas oportunidades de compras.

O lucro líquido dos primeiros nove meses de 2020 totalizou R$ 17 milhões no acumulado do ano até setembro, contra prejuízo de R$ 1 milhão no mesmo período de 2019.

Já a receita líquida foi de R$ 167,8 milhões nos nove primeiros meses de 2020, ante R$ 93,1 milhões no mesmo período de 2019.

IPO da Bemobi (BMOB3)

A oferta primária de ações da Bemobi, realizada no último dia 10 de fevereiro, captou R$ 1,26 bilhão. Recursos estes que a companhia pretende direcionar para a aquisição de ativos. Além de pagar obrigações decorrentes de reorganização societária e dividendo de exercícios sociais passados.

Na estreia, a ação abriu com forte alta e chegaram a subir 29,55% ao meio-dia. Mas, durante a tarde, os papéis foram enfraquecendo e viraram de maneira forte e abrupta. Acabaram fechando em queda de 2,73%, a R$ 21,40

Jalles Machado (JALL3)

Produtora e exportadora de açúcar orgânico, a Jalles Machado (JALL3) disparou 9% no dia do seu IPO (Oferta Pública Inicial). E movimentou R$ 641,4 milhões.

O preço por ação ficou em R$ 8,30, abaixo da faixa estimada pelos coordenadores da oferta, entre R$ 10,35 e R$ 12,95.

A empresa desistiu de ofertas ações extras. Mas ainda poderá haver emissões suplementares, o que poderá elevar a captação para R$ 747,7 milhões.

IPOs previstos

CSN Mineração (CMIN3)

A CSN Mineração deve ser o maior IPO de fevereiro – e um dos maiores do início deste ano. A estreia acontece na quinta-feira (18).

A expectativa é levantar R$ 5.302 bilhões com a oferta, coordenada por Morgan Stanley.

A precificação é em 11 de fevereiro, mas a faixa indicativa já foi definida: entre R$ 8,50 a 11,35.

A empresa controlada pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) fará distribuição primária de 161.189.078 novas ações e a distribuição secundária de, inicialmente, 372.749.743 ações dos acionistas vendedores: a CSN, a Japão Brasil Minério de Ferro e a Posco.

Os recursos levantados na tranche primária serão direcionados para execução de seus projetos de expansão. Seriam beneficiados o Itabirito P15 e os Projetos de Recuperação de Rejeitos de Barragem Pires e Casa de Pedra.

Orizon Valorização de Resíduos (ORVR3)

O IPO da empresa de indústria química Orizon Valorização de Resíduos está sendo coordenado pela Credit Suisse e acontece na quarta (17).

A expectativa é levantar R$ 478 milhões com a oferta, que deve ser precificada em 11 de fevereiro.

A faixa indicativa de preços está entre R$ 20 a 27.

Os recursos serão destinados integralmente para investimentos; aquisições potenciais; amortização de dívida; e capital de giro.

A Orizon atua exclusivamente na fase final da cadeia de tratamento de resíduos e na prestação de serviços ambientais no Brasil.

A receita líquida da empresa somou R$ 348,1 milhões em 2019, contra R$ 295,9 milhões de 2018.

Eletromidia (ELMD3)

A companhia de painéis de publicidade pode captar R$ 868 milhões com o IPO coordenado pelo Morgan Stanley, também na quarta (17)

A faixa indicativa de preços está em R$ 17,81 a 23, com precificação a ser feita em 11 de fevereiro.

Os recursos levantados na oferta primária serão direcionados para expansão em andamento; investimentos em tecnologia e transformação digital; e aquisições e novas concessões.

A Eletromidia diz ser a maior companhia de mídia out-of-home (fora de casa, em tradução livre) no Brasil em termos de faturamento e número de telas.

A empresa está à frente de 60 mil pontos de contato que aproximam as empresas de seu público-alvo.

O lucro líquido da Eletromidia em 2019 foi de R$ 16 milhões, contra R$ 9 milhões de 2018. A receita líquida atingiu R$ 296 milhões em 2019, contra R$ 215 milhões de 2018.

Entender mais sobre IPO