Carteira de investimentos diversificada: dicas para montar uma

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores

Uma carteira de investimentos diversificada pode significar um aumento considerável na rentabilidade dos seus investimentos.

Mas uma dúvida bastante comum entre os investidores é o que uma carteira de investimentos bem diversificada deve conter. Em tempos de juros baixos, apostar em um único tipo de investimento pode significar o aumento do risco e possíveis perdas para quem não diversifica as suas aplicações.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Por isso, montar uma carteira de investimentos diversificada é essencial para quem deseja otimizar o seu retorno. Além disso, com a estratégia diminui os riscos que o mercado oferece.

Existem diversas formas de se fazer essa diversificação e isso varia de pessoa para pessoa. Em resumo, cada investidor possui um perfil e objetivos a atingir. Por isso, desconfie de quem entrega uma carteira pronta e “infalível”.

Neste post, você encontrará dicas preciosas de como montar uma carteira de investimentos diversificada. Além disso, entenderá, de uma vez por todas, o quão é importante a diversificação para quem investe.

Porque você deve diversificar os seus investimentos

Existe um velho ditado popular que diz: “você não deve colocar todos os ovos em uma mesma cesta”. Em outras palavras, imagine que você é um fazendeiro e que todos os dias recolhe os ovos de suas galinhas. Após cumprir essa tarefa, você volta para casa com uma cesta cheia de ovos e a coloca em cima da mesa enquanto prepara o café.

Certo dia, o seu gato de estimação resolveu brincar perto dessa cesta e acabou derrubando a cesta. Apesar de não ter sido a intenção do bichinho, ele acabou causando um grande prejuízo. Isso porque todos aqueles ovos se quebraram.

Talvez, se você tivesse dividido esses ovos em duas cestas e as colocado em lugares diferentes, esse acidente poderia resultar em um prejuízo menor. Apenas parte dos ovos teriam se quebrado.

A história acima se encaixa perfeitamente ao mundo dos investimentos. Ela nos mostra o quanto é importante não deixar todo o seu dinheiro em apenas uma aplicação, por mais segura que ela pareça ser.

Cesta de investimentos

Imagine que você seja uma pessoa mais conservadora. Portanto, deixa o seu dinheiro em aplicações de renda fixa cujo rendimento é atrelado à Selic. Se o governo decide baixar essa taxa de juros, a sua rentabilidade também cai. Isso pode representar um grande problema para os seus planos.

Isso não aconteceria, por exemplo, se o seu dinheiro estivesse investido em duas ou mais aplicações com rentabilidades atreladas a indicadores diferentes. Nesse caso, se uma delas sofresse com a queda dos juros, as demais poderiam manter o seu rendimento mais próximo do objetivo até que o mercado mude novamente.

O mercado financeiro é algo extraordinário, porém, é bastante sensível a diversos fatores como a política e as questões econômicas do país. Por isso, não é possível prever com 100% de precisão se uma aplicação considerada ótima hoje continuará a ser interessante daqui a alguns anos.

É justamente por isso que o mercado oferece uma vasta gama de investimentos. Eles são divididos basicamente em duas classes: renda fixa e renda variável. Dentro de cada uma delas há uma série de produtos, tais como títulos públicos pré e pós-fixados, fundos de investimentos, letras de câmbio, certificados de depósito, ações, dentre outros.

Escolher qual é o melhor investimento entre todos os que estão disponíveis pode ser uma tarefa complicada. Mas com um pouco de estudo, além da ajuda de um assessor de investimentos, é possível chegar a resultados até melhores do que os esperados.

O que é uma carteira de investimentos

A expressão “carteira de investimentos” é muito utilizada. Contudo, nem todas as pessoas que investem sabem exatamente o que é esse conceito.

Uma carteira de investimentos nada mais é do que um grupo de ativos que pertence a um determinado investidor. Por exemplo: João investe mensalmente 10% do seu salário, que equivale a R$ 1.000.

Desse valor, R$ 500 são aplicados em renda fixa, entre títulos do Tesouro Direto e CDBs de bancos que pagam mais de 100% da CDI. R$ 300,00 são direcionados para fundos de investimentos dos mais variados tipos. Por fim, R$ 200,00 são utilizados para comprar ações na Bolsa de Valores.

A carteira de investimentos de João é formada por todos esses ativos em que ele tem investido o seu dinheiro.

Se João investisse esse dinheiro apenas em poupança, apesar de ser uma péssima escolha, essa ainda seria a carteira de investimentos de João, composta por apenas um ativo.

Assim, percebemos que “carteira de investimentos” é mais um conceito do que algo físico. Não é como a sua carteira de couro, elegante, que você carrega no bolso ou na bolsa, pois não há como pegar os seus ativos e levá-los consigo.

Vantagens de ter uma carteira de investimentos diversificada

No exemplo acima, João utiliza a estratégia de diversificar a carteira de investimentos para obter maior rentabilidade. Perceba que ele direciona parte do dinheiro para renda fixa. Ele é um investidor de perfil moderado e preza pela segurança ao investir.

Outra parte do dinheiro é utilizada para comprar ações. São investimentos de alto risco, mas que também podem garantir bons retornos.

Nesse caso, se as ações adquiridas por João sofrerem alguma queda, a rentabilidade dos fundos de investimentos e da renda fixa poderão cobrir parte desse prejuízo.

Agora imagine se João apostasse todo o dinheiro em ações. Certamente ele estaria desesperado nesse momento, pois veria o seu patrimônio reduzir bastante em um curto intervalo de tempo.

No entanto, como a sua carteira de investimentos é diversificada, João pode descansar tranquilo. Ele sabe que a maior parte do seu patrimônio está protegida até que suas ações voltem a se valorizar.

O exemplo nos mostra qual é a principal vantagem de se ter uma carteira de investimentos diversificada: a tranquilidade.

Ao diversificar os investimentos, você reduz o risco existente em alguns tipos de aplicações da carteira. Além disso, potencializa os ganhos, pois cada tipo de investimento tem um retorno diferente. O retorno é proporcional ao risco que se corre.

Assim, ao ter em sua carteira aplicações de alto e de baixo risco, o retorno pode ser bem maior do que se você possuísse apenas aplicações de baixo risco. Por outro lado, a chance de perder todo o dinheiro acaba sendo menor do que se você investisse apenas em renda variável.

Esse equilíbrio na carteira é algo buscado por investidores de todos os estilos, até mesmo os mais agressivos. Isso porque  eles sabem que o mercado é volátil. Portanto, apostar tudo em um único ativo é um erro que pode custar caro.

Dicas para montar uma carteira de investimentos bem diversificada

Até aqui, você aprendeu que uma carteira de investimentos bem diversificada deve conter ativos variados e de classes distintas. Mas como escolher esses ativos? Quais são os melhores investimentos para se montar uma carteira diversificada?

A resposta a essas perguntas têm muito a ver com a dica número um do mundo dos investimentos: descubra qual é o seu perfil de investidor!

Não existe uma “carteira de investimentos ideal” ou mesmo um modelo de sucesso predefinido no mundo dos investimentos. Cada investidor tem um estilo diferente. Assim, o que é considerado um bom investimento par João pode não ser para Maria e vice-versa.

Perfil de investidor

Descobrir e entender qual é o seu perfil de investidor é o primeiro passo para o sucesso no mundo dos investimentos, por isso, falaremos um pouco acerca dos três tipos mais comuns de perfis existentes:

Conservador: é um tipo de investidor que preza pela segurança e não deseja correr riscos ao investir o seu dinheiro. Para esse estilo de investidor, aplicações em renda fixa, principalmente as que possuem a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), costumam ser as mais recomendadas.

Moderado: é um tipo de investidor que ainda preza bastante pela segurança. Contudo, aceita correr certo risco em busca de retornos melhores. Para esse estilo, aplicações em renda fixa e em fundos de investimento costumam ser recomendadas. Mas nada o impede de se aventurar no mercado de renda variável com uma pequena parte dos seus ativos.

Arrojado/agressivo: esse é o estilo de investidor que costumamos encontrar na Bolsa de Valores. Para o arrojado, o risco não é um problema, desde que o potencial de retorno das aplicações também seja elevado. Para esse estilo, os investimentos em ações e em alguns fundos com maior risco são recomendados. Mas também é preciso manter parte do patrimônio em renda fixa, para reduzir o efeito de eventuais perdas na renda variável.

Há duas maneiras simples para descobrir qual é o seu estilo de investidor. Uma delas é realizando um teste de perfil de investidor, como o que disponibilizamos gratuitamente aqui na EuQueroInvestir.

A outra maneira é buscando a orientação de um assessor de investimentos, que é um profissional especializado em finanças e que pode te ajudar a descobrir e entender todas as principais características do seu estilo de investidor.

Para entrar em contato com um assessor de investimentos de forma gratuita agora, utilize o formulário que está disponível ao final deste artigo.

Momento de vida

Após saber e conhecer o seu estilo de investidor, as próximas etapas para montar uma carteira de investimentos se tornam mais simples.

Em primeiro lugar, procure entender em qual ciclo financeiro a sua vida está. Esses ciclos são três: acumulação, rentabilização e preservação do capital.

Cada um desses ciclos requer uma estratégia diferente quando o assunto são os investimentos. No ciclo de acumulação, por exemplo, o seu principal objetivo deve ser aumentar o seu capital.

Já no ciclo de rentabilização é aquela em que você deve utilizar o capital obtido na fase anterior a fim de obter a maior rentabilidade possível. Para isso, a estratégia de diversificação se faz muito importante.

Por fim, o ciclo de preservação do capital normalmente ocorre quando estamos no fim da nossa vida produtiva. Por isso, os investimentos devem ser voltados para manter o seu atual padrão de vida, sem reduzir o patrimônio acumulado.

Ao longo de todas essas etapas, você deve buscar conhecer as diferentes classes de ativos. Só assim poderá definir quais delas irão compor a sua carteira de investimentos. Mas sempre tenha por base o seu perfil de investidor e os seus objetivos.

Assim, você conseguirá definir a proporção ideal de cada ativo que irá compor a sua carteira ao longo de todo esse tempo. No entanto, lembre-se de fazer uma revisão desses ativos periodicamente, pois isso ajuda a balancear a sua carteira de investimentos, retirando aplicações que rendem pouco e incluindo novas aplicações com melhores rentabilidades.

Conte com a EuQueroInvestir para ter uma carteira de investimentos diversificada

A melhor maneira de se fazer uma diversificação da carteira de investimentos é tendo conhecimento sobre o mercado e pesquisando bastante sobre o assunto.

Se você chegou até aqui, está no caminho certo, pois tem buscado se informar sobre o mercado e isso fará uma enorme diferença daqui para frente.

Caso você tenha alguma dúvida sobre o assunto, ou queira realizar um diagnóstico de suas atuais aplicações para saber como diversificar sua carteira de investimentos, entre em contato com a EuQueroInvestir por meio do formulário no fim da página.

Um assessor de investimentos entrará em contato em seguida para sanar todas as suas dúvidas e te ajudar nesse processo em busca dos seus sonhos.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo