Small caps de transportes: invista em ações de concessionárias a agências de viagens

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução / Pinterest

O segmento de transporte nas small caps contam com companhias que vão desde concessionárias até agência de viagens. Este último exemplo é o caso de Ecorodovias (ECOR3) e CVC Brasil (CVCB3). Há ainda aéreas como Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4). Estas empresas, inclusive, têm o maior peso entre as small caps de transportes.

Embora tenha sido um setor que tenha sofrido de frente os impactos no último ano por conta da pandemia do Covid-19, que impôs restrições à viagens e deslocamentos em boa parte do ano, ainda assim são papéis considerados de bom retorno.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

Além disso, as small caps contam com o diferencial de não ter tanto envolvimento de grandes investidores. Ou seja, atraem a atenção dos pequenos investidores. Assim, podem ainda ter um bom potencial de ganho. Ações é o que não faltam!

Conheça as small caps de transporte

Azul (AZUL4)

Em primeiro lugar, separamos a Gol. A empresa é uma das principais empresas do setor aéreo e atua no ramo bens industriais e e transporte aéreo.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

O principal acionista é o empresário David Neelman, fundador da companhia. Neelman possui 67% de participação no capital social das ações preferenciais. Outro acionista é a Trip Participações, com 21,78%. Porém, com relação às ações ordinárias, os demais acionistas representam 64,74%. O fundo Capital Research Global Investors possui 10,70%. Estão em circulação, 633,8 milhões de papéis na bolsa.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

No terceiro trimestre de 2020, impactado pelo Covid-19, a Azul registrou prejuízo de R$ 1,2 bilhão. No mesmo período do ano anterior, o prejuízo foi de R$ 550,5 milhões. Ou seja, as perdas cresceram 122,7% das perdas.

Locamérica (LCAM4)

Como atividade principal, a Locamérica tem por objeto a locação de veículos nacionais e importados com ou sem motorista.

A companhia tem a maioria dos papéis bem diluídos entre os acionistas individuais. Os fundos Enterprise Holdings Brazil e Fitpart Fund Administration Services Limited possuem 7,74% cada uma delas.

Mas os maiores acionistas individuais são os empresários Luis Fernando Memoria Porto e Sérgio Augusto Guerra de Resende. Cada um possui 9,02% das ações. Já os demais acionistas em bolsa possuem 55,38% dos papéis. Estão em circulação 323,7 milhões de ações.

No acumulado de 2020, a locadora de automóveis registrou lucro líquido de R$ 385,6 milhões contra 338,1 milhões do ano anterior.

Embraer (EMBR3)

Uma das mais conhecidas companhia do Brasil, a Embraer (EMBR3) atua em projeto, desenvolvimento, fabricação, comercialização de aeronaves e sistemas e fornecimento de suporte, além de serviços de pós-venda.

A maior parte dos papéis, 78,92%, são negociados em bolsa. O governo, por meio do braço de participações acionárias do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDESPar), possui 5,37%. Já o fundo Brandes Investments Partners possui 15,14% dos papéis. Atualmente, estão em circulação, 736,1 milhões de ações.

A companhia teve um avanço no prejuízo líquido nos nove primeiros meses de 2020. Em resumo, o prejuízo teve perdas de R$ 3,5 bilhões contra um prejuízo de 428,7 milhões no mesmo período do ano anterior.

CVC Brasil (CVCB3)

A agência de viagens CVC Brasil (CVCB3), de acordo com a página da B3, atua nos ramos de serviços de turismo, compreendendo a intermediação, individualmente ou na forma agregada, de passagens aéreas, transporte terrestre, reservas de hotéis, passagens de cruzeiros marítimos, entre outros.

A maior parte das ações – 81,63% – são negociadas em bolsa, mas o fundo Opeg Fundo de Investimento em Ações Investimento No Exterior é o maior acionista individual, com 8,80% de participação. Possui 172,7 milhões de ações negociadas.

No acumulado dos nove primeiros meses de 2020, a empresa acumulou prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão, ante lucro líquido de R$ 93,8 milhões do mesmo período do ano anterior.

Gol (GOLL4)

A Gol Linhas Aéreas (GOLL4) é uma das principais do setor aéreo nacional. Sua atividade principal é listada como gestão de participação societária.

Todas as ações ordinárias da empresa estão nas mãos do Fundo de Investimento em Participações Volluto Multiestratégia Investimento No Exterior. Mas os papéis preferenciais estão outro fundo, o Mobi Fundo de Investimento em Ações, que detém 37,57% do total. Constantino de Oliveira Junior, da família fundadora da empresa, possui 0,67% dos papéis, enquanto 61,04% das ações deste tipo pertencem a demais acionistas. Estão em circulação, 137,7 milhões de ações.

Entre janeiro e setembro de 2020, a empresa acumulou prejuízo líquido de R$ 6 bilhões contra prejuízo de R$ 468,9 do mesmo período do ano anterior.

Simpar (SIMH3)

A Simpar (SIMH3), resultado da reorganização societária do Grupo JSL, é uma holding que controla seis companhias e também está no grupo de small caps. A atividade principal da companhia é participação em outras sociedades empresariais, como sócia ou acionista.

A Jsp Holding detém a maioria das ações, com 55,57% dos papéis. Os demais 41,59% estão distribuídas na bolsa, enquanto fatia de 2,84% são referentes a ações da tesouraria. Estão em circulação, 85,6 milhões de ações.

Entre janeiro e setembro de 2020, a holding registrou lucro líquido de R$ 137,7 milhões contra R$ 193 do mesmo período de 2019.

Movida (MOVI3)

A Movida (MOVI3) tem como atividade principal aluguel de carros e gestão de frotas.

Faz parte do grupo Simpar, tanto que esta possui 55,11% das ações da Movida. Outra fatia de 44,48% é negociada em bolsa. O total de ações em circulação no mercado chega a 132,1 milhões.

Ao longo de 2020, a empresa obteve lucro líquido de R$ 109 milhões contra lucro de R$ 227,8 milhões do ano anterior.

Ecorodovias (ECOR3)

A concessionária Ecorodovias (ECOR3) tem como atividade principal descrita na bolsa a exploração direta ou indireta de negócios de concessão de obras e serviços públicos e organização logística do transporte de carga.

A Primav Infraestrutura é a principal acionista individual com 63,99% dos papéis. Além disso, uma fatia de 30,89% pertencem aos demais acionistas. A Igli S.p.a possui ainda 4,99 % do total, enquanto as ações em Tesouraria respondem por 0,13% do total. Por fim, estão em circulação 171,1 milhões de ações.

A empresa registrou lucro líquido de R$ 206,7 milhões nos nove primeiros meses de 2020. Com isso, reverteu o prejuízo de R$ 264,6 milhões do mesmo período do ano anterior.

Marcopolo (POMO4)

Já a fabricante de ônibus Marcopolo (POMO4) tem como atividade principal indústria e comércio de ônibus e carrocerias, peças e acessórios.

O fundo Bellpart Participações possui 44,48% das ações sendo o maior acionista individual da empresa, no que diz respeito a ações ordinárias, seguido por outro fundo, a Alaska Investimentos, que detém 16,38%. A empresária Viviane Maria Pinto Bado possui 13,16%, sendo uma das principais acionistas individuais da empresa. Faria de 19,78% das ações ordinárias são negociada na bolsa. Com relação às ações preferenciais, são negociadas em bolsa, 61,62% dos papéis totais. Já a Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) possui 13,76% das preferenciais. Estão em circulação, 741 milhões de ações.

Ao longo de 2020, a companhia registrou lucro líquido de R$ 90 milhões contra R$ 212 milhões de lucro obtido em 2019.

Log-In (LOGN4)

A Log-In (LOGN4) tem como atividade principal soluções logísticas integradas por meio de transporte marítimo em navios porta-contêineres, terminal portuário, terminais intermodais e transporte rodoviário de curta distância.

A maior parte das ações – 53,70% – são negociadas em bolsa, enquanto 40,02% estão nas mãos da Alaska Investimentos. O Itaú Unibanco é dono de 5,13% dos papéis da empresa. Estão em circulação, 100,1 milhões de ações.

Nos nove primeiros meses de 2020, a companhia registrou prejuízo líquido de R$ 120,3 milhões ante R$ 2,2 milhões de prejuízo no mesmo período do ano anterior.

Smiles (SMLS3)

Única remanescente da extinta Varig, a Smiles (SMLS3) atua como programa de fidelização que reúne, em único ambiente ou plataforma, diversos parceiros ou outros programas de fidelização, permitindo que seus clientes possam acumular ou trocar milhas por prêmios.

Tem como principal acionista individual a Gol (GOLL4), que possui participação de 52,60% das ações, enquanto outra fatia de 36,47% é negociada na bolsa. Outros acionistas são o fundo Centauro de de Investimento Multimercado Crédito Privado Investimento No Exterior Longo Prazo, com 5,71%, e o banco JP Morgan, com 5,22% de participação. Circulam no mercado, 58,8 milhões de ações da empresa.

Como resultado financeiro, a Smiles reportou lucro líquido de R$ 106,1 milhões entre janeiro e fevereiro de 2020 contra R$ 447,1 milhões de lucro no ano anterior.

Tegma (TGMA3)

Por fim, no grupo de small caps, também há empresas de logística. A Tegma (TGMA3) atua como atividade principal prestação de serviços de logística para a indústria automotiva, gerenciamento de estoques e pátios, atividades de armazém geral, entre outros.

Fatia de 43,43% das ações da empresa são negociadas na bolsa mas o principal acionista individual é a Mopia Participações e Empreendimentos, com 23,33% das ações, seguida pela Cabana Empreendimentos e Participações, com outros 7,30%. O fundo Kayne Anderson Rudnick Investment Management possui ainda 5,04%. Estão em circulação, 32 milhões de ações.

A empresa acumulou entre janeiro e setembro, lucro líquido de R$ 44,8 milhões contra R$ 150,5 milhões de lucro reportado no mesmo período do ano anterior.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo.