Radar traz Petrobras (PETR4), Vale (VALE3), Telefônica (VIVT3) e Cemig (CMIG4)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Foto: radar

No Radar Corporativo desta sexta-feira (18) destaque para Petrobras (PETR4), que protocolou a oferta pública secundária de suas ações na BR Distribuidora (BRDT3) – com expectativa de movimentar até R$ 11,5 bilhões.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Já o Plenário do Senado aprovou a MP que permite a desestatização da Eletrobras (ELET3 ELET6), que agora precisa ter a aprovação  final do Congresso até o dia 22, quando perde a validade.

A JBS (JBSS3) concluiu a aquisição da Vivera e comunicou que sua subsidiária Pilgrim’s Pride Corporation (PPC) comprou os negócios de alimentos preparados e refeições da Kerry Consumer Foods, numa operação com enterprise value de £ 680 milhões.

A Yduqs (YDUQ3) informou sobre a aquisição da Qconcursos.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Já o Banco de Brasília, BRB (BSLI3), fechou parceria estratégica com a Wiz (WIZS3) para a comercialização de produtos de seguridade, em uma nova empresa a ser constituída, numa operação de de R$ 585,235 milhões.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Enquanto isso, a Vale (VALE3) aprovou dividendos no valor total bruto de R$ 11,045 bilhões e a Telefônica Vivo (VIVT3) JCP no total de R$ 630 milhões; Cemig (CMIG4) e Copasa (CSMG3) também informaram distribuição de proventos, por meio de JCP.

O que você verá neste artigo:

CIAS ABERTAS

Petrobras (PETR4): Tribunal anula multa milionária

A Petrobras (PETR3 PETR4) informou nesta quinta-feira (17) que o Tribunal Agroambiental da cidade de Sucre, na Bolívia comunicou à sua subsidiária integral Petrobras Bolivia (PEB) sobre a decisão de anular sentença de primeira instância que obrigava a PEB a pagar US$ 61 milhões, além de juros e custas.

O valor era a título de indenização por uso de propriedade onde estão localizadas as instalações do campo de San Alberto, na própria Bolívia.

“A decisão do Tribunal indicou evidências de violação a direitos fundamentais e garantias constitucionais da PEB na sentença de primeira instância”, ressalta a Petrobras.

O Tribunal, então, anulou todos os atos desde o início do processo, “destacando a ausência de demonstração de propriedade da área por parte da autora da ação”.

Petrobras (PETR4) pede à CVM registro para oferta de ações da BR (BRDT3)

A Petrobras (PETR4) protocolou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedido de registro de oferta pública de distribuição secundária de ações ordinárias da BR Distribuidora (BRDT3) e de titularidade da Petrobras.

O pedido de registro da oferta está sob a análise da CVM. O percentual das ações a serem ofertadas pela Petrobras será de 37,5% do capital social da BR, que corresponde à totalidade da participação atualmente detida pela petroleira.

A Petrobras informou, no prospecto preliminar enviado à CVM, que a oferta de ações da BR Distribuidora pode chegar a R$ 11,5 bilhões.

Petrobras (PETR4): conselho não indicará nome para vaga em aberto

A Petrobras (PETR4) esclarece, em nota após questionamento da CVM (Comissão de Valores Mobiliários),  que não haverá nomeação, pelo Conselho de Administração, de membro substituto para o cargo vago em decorrência da renúncia do conselheiro Marcelo Gasparino da Silva.

A estatal diz que, conforme fato relevante divulgado em 15 de junho de 2021, o Conselho de Administração da companhia deliberou pela convocação de Assembleia Geral Extraordinária para a eleição dos oito conselheiros eleitos por voto múltiplo, concedendo prazo de até 45 dias para a publicação do edital de convocação.

“Fatos julgados relevantes sobre o tema serão tempestivamente divulgados ao mercado”, diz a companhia.

B3 (B3SA3) aprova pedido de migração da Dasa (DASA3) para o segmento Novo Mercado

A Diagnósticos da América S.A., Dasa (DASA3), informou que submeteu, em 7 de abril último, perante a B3 (B3SA3) o seu pedido de migração do segmento de listagem Básico para o segmento especial de listagem Novo Mercado. Ontem (16), recebeu o deferimento da B3.

D imediato, a Dada assinou o Contrato de Participação no Novo Mercado.

A partir de 23 de junho de 2021, as ações da Dasa serão negociadas no segmento Novo Mercado, por meio do código DASA3. O último dia de negociação das ações no segmento Básico será 22 de junho de 2021.

Cemig (CMIG4) tem recomposição do Conselho de Administração

O Conselho de Administração da Companhia Energética de Minas Gerais, Cemig (CMIG4), propôs à Assembleia Geral Extraordinária (AGE) a recomposição do Conselho, por meio de eleição por voto múltiplo, “haja vista a renúncia de um dos membros desse colegiado”.

Não haverá eleição do membro representante dos acionistas preferencialistas e do membro representante dos empregados, pois o sistema de escolha foi realizado por meio de votação em apartado, lembra a companhia mineira.

Eletrobras (ELET6): Senado aprova texto-base da MP sobre a privatização

O Plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira (17) a medida provisória que permite a desestatização da Eletrobras (ELEt6). O texto foi modificado pelos senadores e, por isso, voltará para a Câmara dos Deputados. A MP precisa da aprovação final do Congresso até o dia 22, quando perde a validade.

Os senadores retomaram pela manhã a discussão sobre a proposta, que havia sido iniciada na quarta-feira (16). Foram cerca de nove horas de debates, no total, com a apresentação de três pareceres diferentes pelo relator, senador Marcos Rogério (DEM-RO).

A disputa se refletiu no resultado final da votação: a MP recebeu 42 votos favoráveis, um a mais do que o mínimo necessário para a aprovação, e 37 contrários.

Ser Educacional (SEER3) tem rating AA-(bra), com perspectiva Estável

A Fitch Ratings afirmou hoje o rating nacional de longo prazo “AA-(bra)” da Ser Educacional (Ser) e de sua segunda emissão de debêntures. A Perspectiva do rating corporativo é Estável.

Segundo a Ser, o rating “reflete a sua mediana escala de negócios no setor de educação superior, apesar do forte posicionamento de suas marcas nas regiões Norte e Nordeste do país”.

“A classificação incorpora, ainda, a expectativa de crescimento gradual da base de alunos e da geração operacional de caixa, embora o cenário de elevada competição e os desafios trazidos para o setor a partir do início da pandemia possam prejudicar o desempenho esperado”, analisa a agência. “A empresa deve manter adequada liquidez, beneficiada por fluxos de caixa livres (FCFs) positivos nos próximos anos, e alavancagem financeira líquida limitada a 2,0 vezes, aliadas a um cronograma de amortização da dívida gerenciável”, ressalta.

PetroReconcavo (RECV3) reporta aumento de 3,4% na produção total

A PetroReconcavo (RECV3) informou ao mercado, nesta quinta, seus dados de produção preliminares e não auditados referentes ao mês de maio de 2021.

O destaque foi o aumento de 3,4% na produção total e 6,9% na produção do Distrito Potiguar, quando comparados com o mês anterior.

A produção total no Distrito Potiguar, em óleo e gás, fechou maio com 8.403 boepd (barris de óleo equivalente por dia), “incremento de produção decorrente principalmente de projetos de estimulação para desenvolvimento da concessão Riacho da Forquilha”, segundo a empresa. No mês anterior, a produção havia sido de 7.863 boepd. Maior, portanto, tem a maior produção alcançada no ano.

No Distrito Recôncavo, a produção foi de 3.671 boepd, uma queda em relação aos 3.811 boepd de abril, “queda decorrente principalmente da falha de alguns poços de alta vazão, os quais possuem intervenções de reparo programadas para as próximas semanas”.

No total dos dois distritos, a produção foi de 12.074 boepd, acima dos 11.674 boepd de abril.

Wiz (WIZS3) assina contrato para ofertar produtos de seguridade no BRB (BSLI3)

O Banco de Brasília, BRB (BSLI3), concluiu as negociações dos termos e condições da parceria estratégica com a Wiz (WIZS3) para a comercialização de produtos de seguridade, por meio dos canais de distribuição do banco.

O BRB e a Wiz celebraram o contrato de compra e venda de ações, por meio do qual a Wiz se comprometeu a adquirir 50,1% das ações de emissão de uma nova corretora de seguros, NewCo, a ser constituída pelo BRB ou por uma de suas afiliadas, mediante cessão de ativos e obrigações relacionados à atual operação de produtos de seguridade do conglomerado BRB.

A operação foi no valor de R$ 585,235 milhões, com uma parcela à vista, correspondente a R$ 300 milhões, três parcelas fixas anuais de R$ 57,047 milhões, com vencimentos em 2023, 2025 e 2026, e três parcelas anuais variáveis, estimadas no valor de R$ 38,031 milhões.

Governo deve vetar indicação para o BB Seguridade (BBSE3)

O Palácio do Planalto deve barrar o nome de Amauri Aguiar de Vasconcelos para presidir o BB Seguridade. Teria pesado na decisão a relação de Vasconcelos com a família do senador cearense Cid Gomes (PDT-CE), adversário do presidente Jair Bolsonaro, segundo reportagem do Estadão.

SLC Agrícola obtém crédito verde de R$ 200 mi

A SLC Agrícola fechou um “green deal”, financiamento ligado a metas de sustentabilidade, de R$ 200
milhões com o Rabobank Brasil, de acordo com reportagem do Valor.

Diferentemente de outras operações ESG (sigla em inglês para critérios ambientais, sociais e de governança), o “sustainability linked loan”, utilizado para esse financiamento, não vincula o montante ao cumprimento das metas sustentáveis. No entanto, para conseguir o desconto no empréstimo, a companhia assume o compromisso de executá-las, mesmo que a fonte de recursos seja outra.

Tenda Atacado vai investir R$ 250 milhões

Para ganhar mercado na região cada vez mais ocupada, a Tenda engrossa a lista das cadeias de “atacarejo” que
elevam investimentos neste ano, depois da nova onda de migração do consumidor do varejo para o atacarejo.

Em 2021, a companhia estima R$ 250 milhões em investimentos em um novo centro de distribuição e quatro
aberturas de lojas para 2021.

AQUISIÇÕES

Yduqs (YDUQ3) informa aquisição da Qconcursos

A Yduqs (YDUQ3) divulgou fato relevante informando que sua subsidiária Athenas Serviços Administrativos celebrou contrato  de  compra  e venda para a aquisição da totalidade da QCX Serviços Educacionais Ltda. (Qconcursos), sociedade 100% digital da área de educação continuada que oferta cursos preparatórios, guias de estudos, simulados e provas para concursos das mais diferentes carreiras.

Com essa aquisição, a Yduqs ultrapassa a marca de 1 milhão de alunos e amplia seus serviços e sua presença no ecossistema de educação digital. “Além de potencializar seu ensino personalizado e de alta qualidade, a Yduqs aproveitará a expertise e know-how da Qconcursos para despontar na liderança do ensino superior digital brasileiro”, afirma o comunicado.

A Qconcursos é uma edtech com mais de 10 anos de atuação no segmento de lifelong learning, com operação   100%   digital   e   orientada   a   cursos   preparatórios   para concursos,  com ênfase em questões comentadas, provas e simulados. O valor do negócio não foi informado.

JBS (JBSS3) conclui aquisição da europeia Vivera

A JBS informou também que concluiu a aquisição da Vivera, terceira maior produtora de produtos plant-based na Europa.

“A companhia adquirida oferece um amplo portfólio de produtos em mais de 25 países, com presença relevante nos mercados da Holanda, Reino Unido e Alemanha”, salienta a JBS.

A transação inclui três unidades produtivas e um centro de pesquisa e desenvolvimento localizados na Holanda.

JBS (JBSS3) anuncia acordo para aquisição da Kerry Consumer Foods

A JBS (JBSS3) comunicou que a Pilgrim’s Pride Corporation (PPC), sua subsidiária indireta, celebrou um acordo para adquirir os negócios de alimentos preparados e refeições da Kerry Consumer Foods, no Reino Unido e na Irlanda.

“A operação fortalece a posição da PPC como uma das empresas líderes na indústria de alimentos na Europa, criando uma das maiores e mais completas plataformas integradas de alimentos, com um portfólio de produtos de valor agregado com marcas”, ressalta a JBS.

A aquisição foi avaliada em um enterprise value de £ 680 milhões, “que representa um múltiplo de 8,5x o EBITDA esperado para 2021 dos negócios adquiridos”. 

PetroRio (PRIO3) conclui aquisição

A PetroRio (PRIO3) informou nesta quinta-feira (17) que a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou a cessão das participações de 35,7% no Bloco BM-C-30, o Campo de Wahoo, e de 60% no Bloco BM-C-32, o Campo de Itaipu, para a empresa. Assim, a PetroRio se torna a operadora de ambos os campos de pré-sal.

Com a transação, realizada em 18 de novembro do ano passado, a PetroRio afirma que “visa a criação de um segundo cluster de produção através da interligação (tieback) de Wahoo a Frade dando sequência a estratégia de otimização operacional dos seus ativos”.

O primeiro óleo de Wahoo está previsto para o início de 2024, salienta a empresa. “De acordo com o relatório de certificação de reservas da DeGolyer & MacNaughton (D&M) realizado em 2021, o Campo de Wahoo, possui aproximadamente 125 milhões de barris classificados como recursos 1C, além de aproximadamente 7 milhões de barris 1C a serem adicionados ao campo de Frade, referente à sua extensão de vida”, explica. 

Varejistas de alimentos são foco de aquisições

As companhias regionais de varejo alimentar e atacarejo estão no centro do que pode ser uma nova onda de aquisições, conforme informou o jornal Valor.

Os donos do Grupo Mateus têm recebido ofertas de negócios em Estados onde a empresa não atua. Há inicialmente certa resistência do controlador em avançar agora por esse caminho. Um desses ativos é a rede baiana Atakarejo, com 23 lojas e líder na região.

Na paranaense Companhia SulAmericana de Distribuição (CSD), que desistiu do IPO no ano passado, o fundo de participação Actis, com 30% da empresa, estuda opções de saída do negócio.

EMISSÕES/DÍVIDAS

Wilson Sons (WSON33) aumenta capital com emissão de ações

A Wilson Sons declarou que foram emitidas 14 mil novas ações para a criação de Certificados de Depósitos Brasileiros (BDRs) em 15 de junho de 2021, o que resultou um aumento de capital de R$ 475.720,00.

Após esta emissão de ações, o capital social integralizado da Wilson Sons passou a ser de 72.647.860 ações ordinárias, das quais 31.203.860 estão lastreadas com BDRs, segundo a empresa.

Braskem (BRKM5) divulga consideração definitiva para oferta de recompra dos bonds 2023 e 2041

A Braskem Netherlands Finance anunciou hoje a consideração para recomprar toda e qualquer posição em aberto de seus bônus de 3,5%, com vencimento em 2023. O mesmo faz a Braskem America Finance Company com relação a toda e qualquer posição em aberto de seus bônus de 7,125%, com vencimento em 2041.

Os valores e vencimentos estão na tabela abaixo:

Cada oferta expira às 17h00, horário de Nova York, no dia 17 de junho de 2021, salvo prorrogações ou cancelamentos que podem vir a ocorrer.

JHSF (JHSF3) aprova emissão de debêntures no valor de R$ 100 milhões

O conselho de administração da JHSF (JHSF3) aprovou a emissão de debêntures no valor de R$ 100 milhões.

Os recursos obtidos por meio da Emissão serão integralmente utilizados para o reforço do capital de giro.

PROVENTOS

Vale (VALE3) aprova dividendo de R$ 2,1770 por ação

A Vale (VALE3) aprovou a distribuição de dividendos aos acionistas no valor de R$ 2,177096137 por ação.

E sublinha que esta distribuição não guarda relação com o dividendo a ser pago em setembro de 2021, a ser deliberado pelo Conselho de Administração nos termos da Política de Remuneração aos Acionistas vigente.

A empresa vai pagar o valor total bruto de R$ 11,045 bilhões em dividendos. 

Telefônica Vivo (VIVT3) anuncia pagamento de JCP no total de R$ 630 milhões

A Telefônica (VIVT3) informou nesta quinta-feira (17) sobre os Juros Sobre Capital Próprio (JSCP) relativos ao exercício social de 2021. O valor total é de R$ 535,500 milhões, já abatido o imposto devido, com base no balanço patrimonial de 31 de maio de 2021.

A empresa avisa que “o valor por ação ordinária poderá sofrer ajustes futuros, até 30 de junho de 2021, em função de eventuais aquisições de ações no âmbito do Programa de Recompra de Ações da companhia”.

É, inclusive, 30 de junho a data-base para a posição acionário que fará jus aos JCP. O pagamento ocorre até o próximo dia 31 de julho, em data ainda a ser definida pela Telefônica.

O valor líquido por ação ficou em R$ 0,31781521257.

Cemig (CMIG4) paga proventos milionários

A Companhia Energética de Minas Gerais, Cemig (CMIG4) anunciou hoje que efetuará no dia 30 de junho próximo o pagamento de R$ 276.744 mil o que corresponde a R$ 0,18228802764 por ação ordinária/preferencial, referentes à primeira parcela dos JCP do exercício 2020.

Pagará também R$ 464.329 mil, o que corresponde a R$ 0,30584806747 por ação ordinária/preferencial, referentes à primeira parcela dos dividendos do exercício 2020.

Copasa (CSMG3) aprova JCP no total de R$ 55,1 milhões

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, Copasa (CSMG3) aprovou o pagamento de JCP referente ao 2º trimestre de 2021.

O valor bruto é de aproximadamente R$ 55,173 milhões, o que equivale a R$ 0,1455079202 por ação, na base acionária de 22 de junho de 2021, com pagamento daqui a até 60 dias.

MUDANÇA ACIONÁRIA

Banrisul (BRSR6) tem mudança acionária

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul, Banrisul (BRSR3 BRSR5 BRSR6), recebeu comunicado da LSV Asset Management, declarando a aquisição de participação acionária relevante.

Como resultado da aquisição, os fundos e as contas administradas pela LSV detêm, de forma agregada o total de 10.267.400 ações preferenciais classe B (BRSR6), representando 5,07% das ações deste tipo.

IPO

Havan busca ancoragem para IPO

A Havan retomou o pedido de registro de empresa aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas ainda não vinculado a uma oferta. O plano da Havan, desta vez, é avançar com a oferta se fechar ancoragem, apurou o Valor.

A ancoragem daria mais segurança para a empresa retomar a operação, mas também seria uma forma de chamar outros institucionais para a oferta.

BR Partners – precificação de oferta de units

A BR Parteners precificou a oferta em R$ 16,00 preço por Unit e o efetivo aumento do capital social da Companhia no montante de R$ 364 milhões mediante a emissão de 68.250.000 novas Ações Subjacentes às Units.

O novo capital social da Companhia passará a ser de R$ 632,8 milhões, dividido em 307.126.200 ações.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.