Radar traz Gol (GOLL4), Petrobras (PETR3) e Soma (SOMA3)

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar Corporativo de hoje traz que a Petrobras (PETR3 PETR4) pagará R$ 63,7 milhões aos detentores das primeira e segunda séries da sua sétima emissão de debêntures.

O Grupo Soma (SOMA3) informou que assembleias de acionistas aprovaram a combinação de negócios com a Hering (HGTX3).

A Bradespar (BRAP4) aprovou aumento de capital da companhia de R$ 4,1 bilhões para R$ 5,7 bilhões. Essa elevação se dará mediante a emissão de 45.062.565 ações, sendo 15.818.449 ordinárias e 29.244.116 preferenciais.

A Cielo (CIEL3) informou que celebrou a cessão dos direitos relacionados à plataforma de operação do aplicativo de carteira digital Bitz.

A Plano & Plano (PLPL3) aprovou programa de recompra de ações.

Por fim, AES Brasil (AESB3), Hermes Pardini (PARD3), Taesa (TAEE11), Paraná Banco (PRBC4) e Indústrias Romi (ROMI3) anunciaram o pagamento de proventos.

Confira a cobertura completa do Radar Corporativo:

O que você verá neste artigo:

Cias abertas

Gol (GOLL4) expande parceria com American Airlines

A Gol (GOLL4) informa a expansão de sua cooperação comercial com a American Airlines (AA) por meio de um acordo de codeshare exclusivo pelos próximos três anos. O acordo prevê um investimento em equity de US$ 200 milhões (R$ 1,05 bilhão) na Gol pela AA.

A companhia aérea norte-americana passará a deter uma participação de 5,2% na Gol com a aquisição de 22,2 milhões de ações prioritárias recém-emitidas pela empresa brasileira, a um preço de US$ 9 por ação (câmbio de 14/9).

Grupo Soma (SOMA3): assembleias aprovam combinação com Hering (HGTX3)

O Grupo Soma (SOMA3) informou que assembleias de acionistas aprovaram a combinação de negócios com a Hering (HGTX3). Com isso, fica aprovado o pagamento de R$ R$ 9,5415843 por cada ação ordinária de emissão da Hering, aos seus acionistas.

O fechamento da operação está previsto para 17 de setembro.

Vibra (BRDT3) esclarece questionamentos sobre estimativas no Investor Day

A Vibra (BRDT3), ex-BR Distribuidora, emitiu comunicado esclarecendo um questionamento da Superintendência de Relações com Empresas, da CVM, sobre estimativas divulgadas pela Companhia em comunicado ao mercado de 1 de setembro de 2021, no âmbito do Investor Day.

De acordo com a empresa, as expectativas apresentadas baseiam-se em estudo de consultoria independente, refletindo um dos possíveis cenários diante das mudanças macroeconômicas e discussões envolvendo temas referentes à transição energética.

A companhia reforça que não divulga projeções ou guidance de qualquer forma. E que, portanto, quaisquer referências numéricas no referido material não possuem tal finalidade.

Com isso, a empresa incluirá em seu Formulário de Referência os dados citados e os excluirá como sendo projeções.

CVC Brasil (CVCB3) esclarece sobre movimentação atípica de valores

A CVC Brasil (CVCB3) emitiu um comunicado esclarecendo um ofício enviado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O órgão quer saber detalhes sobre o porquê das oscilações dos papéis, registradas entre os dias 30 de agosto e 13 de setembro.

Em resposta, a CVC informou que não possui conhecimento sobre qualquer informação que possa constituir atoou fato relevante não divulgado que justifique as movimentações.

De acordo com a empresa, essa movimentação ocorre por causa do número de negócios, as quantidades negociadas. Além disso, alega que as referidas oscilações mencionadas no ofício poderiam estar relacionadas, mas não limitadas ,à percepção do mercado em relação a certos eventos comunicados pela companhia ou de eventos de conhecimento público.

Eletrobras (ELET3 ELET6) comunica sobre homologação de outorga de usinas

A Eletrobras (ELET3 ELET6) informou que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) homologou os prazo de extensão de outorga de algumas usinas da empresa. A extensão já havia sido decidida de forma parcial e agora ocorre de forma complementar.

As usinas que tiveram aprovação são aquelas que sofreram impacto nos cálculos de extensão de outorga, verificada em resolução do órgão regulador.

Portanto, decorrente da homologação complementar efetivada na deliberação da Agência, constam 10 hidrelétricas das empresas subsidiárias da Eletrobras, de um total de 28.

Eletrobras (ELET3 ELET6) propõe indicação de membros no conselho da Eletropar

A Eletrobras (ELET3 ELET6) divulgou proposta de indicação de novos membros para o conselho de administração de sua controlada, a Eletropar.

Foram indicados para os cargos, Renato de Lima França, que passar por escrutínio no dia 14 de outubro; e Salvador Giuliano, que deverá passar por processo de seleção na mesma data.

Blue Tech (JBDU3): diretor de novos negócios renuncia

A Blue Tech (JBDU3) informou ao mercado que o seu diretor de novos negócios, Guilherme Moralles, entregou sua carta de renúncia.

O cargo de diretor de novos negócios será acumulado por Yuri Marcel Dias da Silva. Ele é atualmente diretor de relação com investidores.

Blue Tech (JBDU4) tem renúncia de membro do conselho

A Blue Tech (JBDU4), ex-JB Duarte, recebeu renúncia de membro do conselho de administração. Thalis Leon de Ávila Saint Yves deixou o cargo no último dia 12.

Ânima (ANIM3) aprova novo membro do conselho

A Ânima Educação (ANIM3) aprovou, em assembleia geral extraordinária, a eleição de Marcelo Barbalho Cardoso como membro do conselho de administração. O novo membro do conselho era o antigo CEO da Laureate, que a Ânima adquiriu no começo do ano.

Além disso, a assembleia aprovou também a renovação da outorga dada ao conselho do ato de aprovar novos executivos da companhia. E também um bônus a executivos por atendimento de metas.

Mills (MILS3) aprova renúncia de diretora

A Mills Engenharia (MILS3) aprovou a renúncia da diretora Adriana Bianca. Ela havia sido eleita pelo conselho de administração no último dia 22 de fevereiro. A saída dela passará a vigorar na quarta-feira (15).

PDG Realty (PDGR3) responde sobre oscilações

A PDG Realty (PDGR3) respondeu sobre o grande volume de transações envolvendo papéis da companhia nesta segunda – foram, até o meio dia, R$ 2,5 milhões em negócios, mais do que a média comum para um dia.

A companhia informou que não tem conhecimento de qualquer ato ou fato que possa justificar as oscilações registradas na cotação das ações.

Terra Santa comunica saída de diretor executivo

A Terra Santa comunicou a saída do diretor executivo Marcelo Lambrecht, que renunciou ao cargo.

Aquisições

Cielo (CIEL3) realiza cessão de direitos da plataforma Bitz

A Cielo (CIEL3) informou nesta terça-feira (14) que celebrou a cessão dos direitos relacionados à plataforma de operação do aplicativo de carteira digital Bitz à Bitz Serviços Financeiros S.A., empresa pertencente ao grupo Bradesco.

A Cielo desenvolveu uma plataforma que permite o processamento de carteiras digitais. Os softwares objeto da cessão foram desenvolvidos e customizados a partir desta plataforma.

A plataforma original permanece de propriedade da Cielo. Os softwares, que atendem exclusivamente à Bitz, e vinham sendo utilizados sob licenciamento, serão transferidos à Bitz em caráter definitivo, com todos os seus direitos de uso relacionados.

Em contrapartida, a Bitz pagará à companhia o montante total de R$ 21,9 milhões.

A transação foi realizada em observância às normas legais e regulamentares aplicáveis no âmbito da companhia, incluindo as previstas no Estatuto Social e na Política de Transações com Partes Relacionadas e Demais Situações Envolvendo Conflito de Interesses.

Renova Energia (RNEW3) acerta venda da Brasil PCH por R$ 1,1 bilhão

A Renova Energia (RNEW3) acertou a venda da Brasil PCH pelo valor de R$ 1,1 bilhão para a SF 369 Participações Societárias, subsidiária do fundo de investimentos Mubadala. Com isso, haverá a transferência da totalidade das ações ordinárias (ON) detidas pela Renova no empreendimento.

Alteração acionária

Usiminas (USIM5) comunica alterações acionárias

A Usiminas (USIM5) informou que recebeu, em 13 de setembro de 2021, carta sobre “Redução de Participação Acionária Relevante” enviada pelo GQG Partners LLC.

A empresa informou que informar que carteiras de clientes sob sua gestão alienaram ações preferenciais classe A de emissão da Usiminas, detendo atualmente, portanto, 25.836.965 ações preferenciais classe A, representando, aproximadamente, 4,72% das ações preferenciais classe A emitidas pela companhia.

Vittia (VITT3) informa alteração acionária

A Vittia Fertilizantes e Biológicos (VITT3) comunicou que, em 10 de setembro de 2021, recebeu uma correspondência da JGP Gestão de Recursos Ltda e JGP Gestão Patrimonial Ltda, informando o aumento de sua participação no capital social da companhia.

Assim, a empresa passou a deter, de forma agregada, 6.893.800 de ações ordinárias de emissão da Vittia, correspondentes a, aproximadamente, 5,04%.

Sanepar (SAPR11): agência aprova consulta pública

A Sanepar (SAPR11) informa que a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) aprovou consulta pública para alterar cobrança de ligação de esgoto.

Emissões

Bradespar (BRAP4) aprova aumento de capital para R$ 5,7 bilhões

O conselho de administração da Bradespar (BRAP4) aprovou aumento de capital da companhia de R$ 4,1 bilhões para R$ 5,7 bilhões.

Essa elevação se dará mediante a emissão de 45.062.565 ações, sendo 15.818.449 ordinárias e 29.244.116 preferenciais.

Com isso, será capitalização o saldo da conta Reserva de Lucros –Reserva Estatutária. E o saldo da conta Reserva de Lucros –Reserva Legal.

Plano & Plano (PLPL3) aprova recompra de ações

A Plano & Plano (PLPL3), por meio do conselho de administração, aprovou programa de recompra de ações. Serão adquiridas 6.000.000 de ações ordinárias (ON) da companhia. Estas representam 9,33% do total de papéis da empresa.

No âmbito do referido programa está autorizada, ainda, a eventual celebração de operações de derivativos referenciados em ações de emissão da própria companhia, com vigência até 13 de março de 2023.

Viver Incorporadora (VIVR3) emite até R$ 792 milhões em ações

A Viver Incorporadora (VIVR3), aprovou, através de seu conselho, um aumento de capital de no mínimo R$ 99 mil reais e no máximo R$ 792 milhões.

A operação se dará mediante a emissão de, no mínimo, 5 mil ações ordinárias e, no máximo, 40 milhões, todas nominativas e sem valor nominal, ao preço de emissão de R$ 19,80 por unidade.

O capital social da Viver, no caso de subscrição máxima, sairá de R$ 2,4 bilhões para R$ 3,1 bilhões. A companhia deve usar a maior parte do dinheiro levantado para pagar seus credores e suas controladas, de acordo com o que foi firmado no processo de recuperação judicial.

Proventos

Petrobras (PETR3; PETR4) pagará R$ 63,7 milhões a debenturistas

A Petrobras (PETR4; PETR4) anunciou nesta terça-feira (14) que pagará R$ 63,7 milhões aos detentores das primeira e segunda séries da sua sétima emissão de debêntures. Serão pagos R$ 20,37258873 por papel da primeira série. E mais R$ 22,05446384 da segunda.

De acordo com a companhia, haverá incidência de imposto de renda na fonte referente a investimentos financeiros de renda fixa, sobre o montante a ser pago.

AES Brasil (AESB3) paga R$ 50,4 milhões a debenturistas

A AES Brasil (AESB3) pagará um total de R$ 50,4 milhões de juros a debenturistas da AES Tietê.

Será pago montante total de R$ 33,7 milhões referente à 1ª série da 9ª emissão, sendo R$ 24,06313700 por cada uma das 1.380.000 debêntures.

Também será creditado total de R$ 17,2 milhões da 2ª série da mesma emissão, sendo R$ 26,84762861 por cada uma das 641.090 debêntures. Os valores serão pagos nesta quarta-feira (15).

Hermes Pardini (PARD3) pagará JCP

O conselho de administração da Hermes Pardini (PARD3) aprovou o pagamento de R$ 9,2 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP).

O provento é referente ao segundo trimestre deste ano. Cada acionista receberá por papel que possui uma quantia de R$ 0,07285749676.

Paraná Banco (PRBC4) aprova pagamento de JCP

O conselho de administração do Paraná Banco (PRBC4) aprova o pagamento de R$ 4,8 milhões de juros sobre o capital próprio (JCP) a acionistas. O valor a ser pago por ação será de R$ 0,001488289.

Indústrias Romi (ROMI3) paga R$ 26,3 milhões em JCP

O conselho de administração da Indústrias Romi (ROMI3) aprovou o pagamento de R$ 26,3 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP).

O primeiro crédito será efetuado no próximo dia 20 de setembro e corresponderá ao montante de R$ 9,5 milhões, sendo R$ 0,13 por ação. No dia 28 de outubro, será pago mais um montante de R$ 16,8 milhões, sendo R$ 0,23 por cada papel da empresa.

Taesa (TAEE11) pagará juros de debêntures

A Taesa (TAEE11) pagará nesta quarta-feira os detentores da primeira série da sua quarta emissão de debêntures – será R$ 51,11 por cada um dos 255 mil papeis, totalizando R$ 13,5 milhões.

Algar Telecom paga juros a debenturistas

A Algar Telecom anunciou na noite desta terça-feira (14) que pagará os detentores de papéis da sua sexta e sétima emissões de debêntures – a última dividida em duas séries.

Serão distribuídos R$ 1,9 milhão aos detentores da sexta emissão (150 mil papéis), sendo R$ 13,06 para cada. Na sétima, os detentores dos 523,5 mil papéis da primeira emissão receberão R$ 23,4 por unidade. Os donos dos 76,4 mil títulos emitidos na segunda, R$ 32,9 por ação.