Money Week: pensar no longo prazo mitiga risco da bolsa, diz Louise Barsi

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Louise Barsi e Luiz Barsi Filho deram dicas sobre a bolsa (Reprodução/YouTube)

Maior investidor pessoa física da bolsa brasileira, Luiz Barsi Filho, e sua herdeira, Louise Barsi, apresentaram durante palestra da terceira edição da Money Week sua fórmula de sucesso para vencer no mercado de ações.

Sempre pensem no longo prazo. Vai ajudar a mitigar muitos dos riscos”, disse Louise.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Segundo ela, recentemente, por conta da pandemia, que derrubou os preços das ações, alguns investidores ganharam dinheiro rápido, mas, em sua visão, essa foi uma situação bastante particular.

O brasileiro quer ser um ‘Vila Rica’ da vida. Quer sempre ganhar muito em curtíssimo prazo”, completou Luiz Barsi Filho, com autoridade.

Para ser um ganhador você precisa estudar e investir. O melhor investimento do mundo é ser parceiro de um grande negócio, e não ser dono de um pequeno negócio”, completou o velho investidor.

Pai e filha analisaram ainda que existem dois tipos de investidores na bolsa: os órfãos da renda fixa, que agora está rendendo 2% ao ano, e os que acharam que já perderam muito tempo.

Ambos vêm buscando enriquecimento rápido, mas não é assim que funciona. A gente experimentou um pouquinho disso [retorno rápido] agora na pandemia. A maioria das pessoas ganhou dinheiro, mas será que fizeram direito ou foi sorte? É perigoso pensar que no curto prazo terá ganhos de 50%, 100%. Quanto mais longevo for seu pensamento, maior a chance de retorno consistente”, reforçou Louise.

Conforme Luiz Barsi, ao se investir em bons projetos, a chance de retorno sobre o investimento é maior.

É folclórico dizer que se perde [na bolsa]. Se você especular, com certeza vai perder. Se você investir, com certeza você vai ganhar. Investindo em bons projetos, você jamais será malsucedido. As ações garantem o futuro”, diz ele.

Investir: prioridades definidas desde o berço

O título da palestra de Luiz Barsi e Louise Barsi foi “De pai para filha: educação financeira começa dentro de casa”.

E é justamente essa história que os investidores mostram interesse em ver se espalhar em outras famílias pelo Brasil.

É importante que os jovens entendam, desde cedo, o valor do dinheiro. A lição que eu tive ao receber uma carteira [de ações] aos 14 anos, e não simplesmente 300 reais, foi de entender o organismo que é uma empresa, que gera empregos, movimenta a economia”, comentou Louise.

É preciso ensinar a criança e o jovem que o dinheiro não cai do céu. Ele vem através do trabalho. Nesse caso, não do meu efetivamente, mas da empresa da qual eu era sócia. Entregar simplesmente o dinheiro na mão da criança pode não passar essa mensagem”, completou ela.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Money Week, Luiz Barsi, Louise Barsi

Louise Barsi e Luiz Barsi na Money Week

Responsável por passar os ensinamentos na prática à filha caçula, Luiz Barsi complementou o que Louise testemunhou revelando um outro ponto importante para uma boa educação financeira: estabelecer prioridades.

Educação financeira é administrar e controlar seus egos. Eu interpreto que o cidadão que gasta menos do que ganha, está educado”, afirmou. “É, também, estabelecer prioridades. Formatar um portfólio que me propicie uma renda mensal. Para que vou comprar 10 Mercedes, uma de cada cor?”, questionou.

Segundo Louise Barsi, a pressa do brasileiro em obter bons resultados nos investimentos é culpa da própria trajetória histórica do País.

A visão mais imediatista é resquício dos ‘ups and downs’ (altos e baixos) da nossa economia. É o voo de galinha. Jamais experimentamos um crescimento estrutural, de longo prazo, mas isso vem aos poucos. Passo após passo”, apostou, otimista.

Dividendos e aposentadoria

Para chegar onde está atualmente, Barsi Filho aprendeu como ninguém a investir em empresas com bons pagamentos de dividendos.

Dessa forma, ao longo dos anos, ele comprovou que o mercado de capitais não é puramente especulação. “Deve ser usado (os dividendos) como complemento de renda, de libertação financeira“, afirmou.

Segundo ele, metade da população vai deixar para os filhos dívidas – o que, em sua avaliação, é uma péssima herança, uma herança maldita.

“Hoje 97% dos idosos dependem do sistema do INSS. Essa é uma lição para os idosos do amanhã não passarem por isso”, complementou a caçula dos Barsi.

O maior investidor pessoa física do Brasil afirmou que tentou passar a receita de seu sucesso já no início da década de 1970, mas não foi ouvido.

Por isso, repetiu que a saída para uma aposentadoria mais tranquila não está no sistema previdenciário bancado pelo governo, mas pelo próprio cidadão, desde que educado financeiramente da maneira correta.

Acreditei no fato que a Previdência estava mal estruturada e um dia iria claudicar. Acabei provando que o sistema previdenciário não deveria ser suportado pelo Estado, e sim pelas empresas. Esse tipo de comportamento que eu pratico até hoje gostaria que tivesse sido implementado a todos os que se aposentam“, acrescentou Barsi, na Money Week.

Procure ajuda profissional

Luiz Barsi e a filha, Louise, sabem que, mesmo defendendo uma maior participação da população no mercado de capitais, muitos não podem, simplesmente, colocar o dinheiro guardado em um terreno que não conhecem bem. E não querem estimular isso.

Louise foi clara quando questionada sobre qual dica mais importante teria a quem sonha, um dia, ser tão bem-sucedida quanto ela no mercado financeiro.

A primeira dica é que estudem, sejam curiosos e incansáveis. Não dá para se jogar do avião sem saber abrir o paraquedas. A segunda é que é preciso coragem para dar esse primeiro passo. Sem ele não dá para dar o segundo”.

Luiz Barsi pegou carona na resposta da filha e emendou: “Não se anda um quilômetro sem dar o primeiro passo, mas o mais importante para o cidadão que está ingressando no mercado é procurar o profissional correto, e que tenha compromisso”, alertou.

“Entrar no mercado sem conhecer nada é a mesma coisa de contratar um advogado que nunca foi ao fórum. O que vai acontecer? Você vai perder a causa. Você não vai entrar no mercado sabendo o que o profissional [assessor de investimentos] sabe. Ele vai te orientar e conduzir a uma trajetória vencedora”, finalizou, fechando com chave de ouro sua participação na Money Week.

Sobre os palestrantes da Money Week

O maior investidor pessoa física da Bolsa de Valores brasileira é um senhor de 81 anos, que dá expediente no centro de São Paulo e dispensa luxos. Com uma fortuna estimada em R$ 2 bilhões, Luiz Barsi construiu seu patrimônio com uma estratégia baseada em dividendos..

Louise Barsi faz jus ao dito popular “filha de peixe, peixinha é”. Ela é a caçula de Luiz Barsi Filho, apelidado de Warren Buffett brasileiro, e conhecido no mercado financeiro como “rei dos dividendos”.

Quer saber sobre como investir e as melhores aplicações? Preencha o formulário abaixo!