FII Summit: para viver de renda é importante buscar a manutenção do patrimônio

Yolanda Fordelone
Colaborador do Torcedores

Os Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) chamam a atenção do investidor por possibilitar colocar em prática uma estratégia muito cobiçada: viver de renda. O primeiro dia do FII Summit finalizou a roda de conversas com um painel que abordou justamente sobre o tema “Estratégias para viver de renda com FIIs“.

A palestra contou com o professor de finanças, consultor e apresentador do FIIS em Exame, Arthur Vieira de Moraes, com o analista de valores mobiliários e fundador Desmistificando FIIs, Rodrigo Medeiros, e com o Manager 3 na EQI Investimentos, Pedro Moreira.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

A CEO e sócia fundadora da Matchpoint, Julia Botelho, também respondeu a alguns pontos em determinado momento da conversa.

Medeiros chamou a atenção para o fato de que os FIIs possibilitam a estratégia de renda mensal. diferentemente do mercado acionário, por exemplo, em que a distribuição de resultados não é mensal.

“Quando eu tenho um investimento em fundo imobiliário com uma renda mensal fica mais factível olhar meu patrimônio que me gera renda”, diz o especialista ao exemplificar que o sonho fica mais próximo da realidade.

Armadilha

Nesse ponto relacionado ao patrimônio, os participantes concordam que há uma armadilha: a busca pelos fundos mais rentáveis. “Buscar fundos mais rentáveis significa investir nos mais arriscados, o que é uma armadilha. É interessante procurar por fundos que tenham uma tendência de manutenção. Isso talvez seja mais importante do que buscar um fundo que renda mais agora”, afirmou Moraes.

Isso porque estamos falando de investimentos de longo prazo. O investidor que quer viver de renda precisa se preocupar em preservar o patrimônio para que este gere frutos ao longo do tempo.

“A rentabilidade passada do FII não garante rentabilidade futura. Por mais que seja algo básico, no dia a dia é desafiador sair dessa armadilha”, diz Pedro Moreira.

Como estamos falando de investimentos de longo prazo, Medeiros lembra ainda que é importante buscar um crescimento do patrimônio, mesmo que mínimo, acima da inflação. “Se nossa despesa sempre cresce, tenho de achar uma forma de a minha renda sempre crescer. É interessante reinvestir uma parte da renda no próprio patrimônio”.

Diversificação

Em meio a tantos FIIs, Moreira afiram que o mercado reúne desde fundos moderados que atendem ao investidor conservador como fundos mais agressivos que entram no radar de quem se dispõe a ter um retorno maior.

Em todo caso, a diversificação é o melhor remédio. “Os mercados são cíclicos. É  obvio, mas o óbvio precisa ser dito e relembrado”, diz Moraes.

Por isso, o professor reforça a importância de parar de tentar entender a melhor opção ou o que irá subir. “No começo do ano passado era quase unanimidade que o fundo de shopping ia melhorar bastante e virou um dos piores segmentos”.

Julia afirma que a diversificação atende sobretudo ao investidor que quer uma estratégia passiva, ou seja, não deseja acompanhar tão de perto o mercado. “A pessoa pode ter vários segmentos, como shoppings, logística, entre outros. Diria para dar preferência a fundos com ativos de melhor qualidade, como bons shoppings e imóveis bem localizados”, diz.

Em uma estratégia ativa, já valeria a pena a troca dos fundos da carteira de acordo com o momento e expectativa.

Quer saber mais sobre o tema, clique aqui e se inscreva no FII Summit. O evento, totalmente online e gratuito, segue até quinta-feira, 15 de abril.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Mais FII Summit