Raia Drogasil (RADL3) adquire 50,75% da startup de tecnologia Healthbit

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Wikimedia

A Raia Drogasil (RADL3) anunciou nesta terça (9) que concluiu a compra de 50,75% da startup de tecnologia Healthbit.

A companhia informou que há a opção de compra da totalidade das ações remanescentes a partir de 2026. Não foi informado o valor da transação.

.”A Healthbit é uma startup de tecnologia focada em big data como solução para redução da sinistralidade em saúde nas grandes empresas e para a promoção da saúde e prevenção de doenças para os seus funcionários por meio do desenvolvimento de novas tecnologias”, informa comunicado da Raia Drogasil.

Fundada em Campinas(SP) há 5 anos, a Healthbit atendeu 1 milhão de pessoas em 2020 entre seus quase 140 clientes pessoa jurídica.

Raia Drogasil: investimento

O investimento na Healthbit, observa a Raia Drogasil, permitirá à companhia desenvolver novas soluções de promoção de saúde e prevenção de doenças para funcionários e beneficiários de empresas e operadoras de saúde

“A operação está em linha com a nossa estratégia, inclusive por meio da Univers, a PBM própria da Raia Drogasil, que atende 57 milhões de funcionários e beneficiários de mais de 1.000 grupos empresariais e de 350 operadoras de saúde”, acrescenta.

IR: como declarar investimentos em ações

“Essa aquisição faz parte da RD Ventures, plataforma de Corporate Venture Capital, que busca investir em start-ups que contribuam com a estratégia de crescimento e aceleram a jornada de digitalização em saúde da Raia Drogasil”, explica o comunicado.

“Foi realizada por meio do RD Ventures Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, veículo de investimento da Companhia.”

A Healthbit é a terceira start-up investida dentro do programa, que também inclui Manipulaê e tech.fit.

Seguindo o modelo dos investimentos anteriormente realizados, os sócios fundadores permanecerão na operação juntamente com os demais 50 colaboradores que fazem parte dessa estrutura.

Totvs (TOTS3) fecha aquisição de 92% da RD Station por R$ 1,861 bilhão

AES Tietê (TIET11): alteração acionária

A AES Tietê (TIET11) comunicou que a AES Holdings, por meio de sua controlada AES Holdings Brasil II S.A., adquiriu ações de emissão da companhia.

Foram 8.713.602 units, representando 2,2% do capital social total da AES Tietê.

Após a aquisição, a soma das participações detidas indiretamente pela The AES Corporation passou a representar um total de 45,0% do capital social da AES Tietê, equivalente a 72,1% das ações ordinárias e 27,4% das ações preferenciais.

Small caps de varejo reúnem empresas conhecidas do pequeno investidor

Pague Menos (PGMN3) encerra recompra de ações

O conselho de Administração da Pague Menos (PGMN3) aprovou o encerramento do Programa de Recompra de Ações da companhia, autorizado em reunião realizada em 9 de dezembro de 2020.

O programa revia a recompra de até 1.100.000 de ações, representativas de 0,69% das 158.889.134 ações em circulação naquela data.

Pelo programa, a companhia adquiriu, desde seu lançamento, o montante de 1.040.000 ações ordinárias, que permanecem em tesouraria.