EUA: payroll surpreende positivamente, com criação de 943 mil vagas em julho

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Unsplash

Na manhã desta sexta-feira (6) foi divulgado o principal indicador econômico da semana, o payroll, folha de pagamentos não-agrícolas oficial dos EUA.

Em julho, os EUA criaram 943 mil vagas e a taxa de desemprego diminuiu 0,5 ponto, passando para 5,4%. A expectativa do mercado era por taxa de desemprego de 5,7% e 870 mil novas vagas.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Comparativamente, em junho, foram 938 mil (revisados de 850 mil) novas vagas. Já em maio, o total de vagas criadas foi de 583 mil.

O resultado do payroll acima da projeção indica que a economia segue se recuperando bem e ainda tem fôlego para avançar a uma taxa razoável. O que favorece o discurso de que está chegando a hora do tapering pelo Federal Reserve (Fed), banco central americano, que já vem sinalizando que deve realizar a retirada de estímulos em breve.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Reprodução/Departamento do Trabalho

Emprego nos EUA: como vieram ADP e seguro-desemprego?

Complementando o cenário do emprego nos EUA, outros dois dados relevantes foram divulgados esta semana.

Os pedidos iniciais por seguro-desemprego, divulgados ontem (5), vieram em linha com a projeção: 385 mil, com redução dos 399 mil da semana anterior.

Já a pesquisa ADP, considerada uma prévia do payroll, mas que não contabiliza cargos públicos, decepcionou ao revelar a criação de 330 mil vagas, quando o mercado esperava 695 mil.

Leia também: O que os dados de emprego dos EUA dizem à economia?