Oi (OIBR4) conclui alienação de torres; Magalu (MGLU3) compra app e plataforma

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Oi

A Oi (OIBR4) informou nesta terça (30) que concluiu alienação das torres móveis (UPI) à Highline do Brasil, empresa que foi declarada vencedora do leilão realizado em 26 de novembro.

Com a conclusão da operação, diz a Oi em comunicado, a totalidade das ações de emissão da SPE Torres (Sociedade de propósito específico) foi transferida para a Highline.

A Highline pagou hoje, segundo a Oi, parcela à vista no total de R$ 861,7 milhões do preço total de R$ 1,07 bi.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

Oi (OIBR3 OIBR4) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 1,798 bi no 4TRI

“O saldo remanescente será pago após as apurações e ajustes usuais a este tipo de operação”, lembra a companhia.

“A conclusão da operação representa a implementação de mais uma etapa do Plano de Recuperação Judicial e do Plano Estratégico de Transformação da Oi”, prossegue a nota.

“Assegura maior flexibilidade e eficiência financeiras e sustentabilidade de longo prazo, com o seu reposicionamento no mercado”, diz ainda a Oi.

BTG (BPAC11) tem viés positivo para Oi (OIBR3) após balanço do 4TRI20

“A operação faz da companhia a a maior provedora de infraestrutura de telecomunicações do país, a partir da massificação da fibra ótica e internet de alta velocidade, do provimento de soluções para empresas e da preparação para a evolução para o 5G, voltada para negócios de maior valor agregado e com tendência de crescimento e visão de futuro.”

Magazine Luiza (MGLU3): Tonolucro e GrandChef

A Magazine Luiza (MGLU3) comunicou que efetivou a compra do app Tonolucro e da plataforma GrandChef, para reforçar serviços e operações de entrega de alimentos e supermercados.

Tonolucro

Fundada em Palmas (TO), a Tonolucro é uma plataforma de entrega de comida e de itens de supermercado com participação de mercado nos estados de Tocantins, Goiás e Pará.

O app opera em mais de 40 cidades — incluindo unidades próprias e franquias — e conta com mais de 5 mil restaurantes parceiros cadastrados.

Magazine Luiza (MGLU3) tem alta de 30,6% no lucro no 4TRI

Segundo comunicado da Magazine Luíza, a plataforma oferece serviços para restaurantes, da digitalização do cardápio e gestão dos pedidos até a entrega e pagamento.

Os pedidos são entregues por motoristas cadastrados no aplicativo Tonolucro. “Além disso, a Tonolucro possui bases de apoio e protocolos de segurança para os entregadores, fortalecendo e cuidando de todos os participantes da cadeia”, diz a nota da Magalu.

GrandChef

A plataforma foi fundada em Paranavaí (PR) e opera para pequenos e médios restaurantes do Brasil. Por meio de aplicativos para celular e sistemas para desktop, faz gestão completa da operação do restaurante, incluindo o controle de pedidos online e offline (mesas, comandas e balcão) e a integração com plataformas de delivery — além da gestão financeira e controle de estoque.

Atualmente, a base de clientes da GrandChef é formada por mais de 3 mil restaurantes presentes
em 25 estados brasileiros.

Food Delivery no Magalu

“A aquisição da AiQFome marcou a entrada do Magalu no segmento de food delivery, aumentando os serviços oferecidos no seu SuperApp e a frequência de compra dentro do seu ecossistema”, diz a Magalu. .

“Hoje, a AiqFome está presente em 500 cidades e, em termos anualizados, processa cerca de 30 milhões de pedidos no valor total de R$ 1 bilhão 1 em GMV (sigla em inglês para Volume Bruto de Mercadoria), crescendo cerca de 200% comparado ao mesmo período do ano anterior”, acrescenta.

Em 2020, diz a companhia, o mercado de alimentação fora de casa movimentou R$ 196 bilhões.

Com a Tonolucro, explica ainda a Magalu, a AiQFome amplia rapidamente sua operação em Tocantins, Goiás e Pará, além de passar a oferecer novos serviços para os estabelecimentos parceiros, como a entrega e a maquininha de cartão (mobile terminals) para os entregadores.

A GrandChef, por sua vez, vai possibilitar a digitalização de restaurantes com operações ainda analógicas e oferecer novos serviços aos parceiros já cadastrados na AiQFome, como processos de autoatendimento, cardápio digital e pedidos e pagamentos na mesa.

“As aquisições representam mais um importante passo na estratégia da Companhia de digitalização do varejo brasileiro”, conclui a empresa.

 Aliansce Sonae (ALSO3) atualiza operações em shoppings

A Aliansce Sonae (ALSO3) informa sobre a reabertura das operações no Boulevard Shopping Belém e Parque Shopping Belém, ambos em Belém (PA), a partir desta terça (30).

Atualizou operações também no Boulevard Shopping Brasília (DF), desde a segunda (29), e no Passeio das Águas Shopping, em Goiânica a partir de 31 de março.

“Os shoppings estão seguindo rígido protocolo de reabertura para preservar a saúde e o bem-estar de todos os clientes, lojistas, colaboradores e parceiros, atendendo às recomendações das autoridades locais”, observa a empresa.

“Considerando as reaberturas mencionadas, a partir de 31 de março, nove shoppings do portfólio próprio da companhia estarão em operação, o que corresponde a 29,0% do total de NOI e 35,8% da ABL própria.”