Treasuries: entenda o que são e porque viraram notícia no mundo

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores
1

Foto: renda fixa

Você já deve estar cansado de ouvir falar em Tesouro Direto aqui no Brasil, sobre o que é e qual o melhor investimento. Mas você sabia que Nos EUA existem os Treasuries (Tesouro Americano)? Se não, você precisa conhecer mais sobre ele!

Nas últimas semanas, oss Treasuries estão nas notícias dos principais sites de investimento. Isso porque uma alta repentina na taxa de juros foi encarada como “suspeita”.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Esse desconforto no mercado aconteceu porque quando uma taxa de renda fixa sobe muito e repentinamente pode haver (não há certezas) problemas com inflação.

Quando o investidor aplica no Tesouro, as taxas aplicadas são relacionadas com a expectativa da inflação. Então, um forte aumento pode ser indicador de uma expectativa de alta de preços.

Além disso, ele está atrelado a taxa básica de juros e que também pode ter uma alta e dificultar empréstimos para empresas já que esses se tornam mais caros.

O que aconteceu com o mercado?

Depois da taxa dos Treasuries chegar a 74% de aumento, o mercado começou a reagir. Em abril a taxa ficou na casa dos 1,66%, o que representa uma alta de 55,5% se comparado ao dia primeiro de 2021, onde a taxa era de 1,07%.

Essa elevação é normal no mercado após um momento de crise. Mesmo assim, os investidores mudaram suas carteiras, saindo do mercado de ações e investindo nos Treasuries.

O que o FED e o BCE dizem sobre a alta

O Federal Reserve dos Estados Unidos (FED) e o Banco central Europeu (BCE) divulgaram atas essa última semana minimizando a gravidade da alta dos juros nos Treasuries. Além disso, afirmam que essa elevação é um processo normal após a crise da pandemia.

O FED projeta um bom crescimento para o país para o ano de 2021. Mesmo que o cenário de pandemia ainda esteja ativo, o banco central americano prevê um crescimento de 4,5% a 6,5%.

Além disso, assegurou que a taxa de juros vai ficar entre zero e 0,25% para o ano atual até o primeiro trimestre de 2024. Essa informação poderia conter a dispersão da bolsa americana para os Treasuries. Porém, a elevação na taxa é tentadora para os investidores.

Outro fato que fortifica ainda mais a mudança no investimento é o número de pedidos de seguro desemprego. Isso porque, quanto mais desempregados, maior é o risco do aumento da inflação.

Dados divulgados no último dia 25 de março de 2021 apontavam que 658 mil pedidos de seguro desemprego foram feitos. Porém, nas próximas duas semanas ocorreram novas altas. Então, também é um fator que pode apontar uma possível alta na inflação com mais desempregados no país.

Os números de pedidos de desemprego nos EUA são:

  • Dados de 1º de Abril/21: 728 mil pedidos
  • Dados de 8 de Abril/21: 744 mil pedidos

De acordo com o FED, há também o cenário da melhora no cenário econômico após a crise do Covid-19 e expectativa por emissão de títulos do tesouro.

Então, com o crescente número de vacinação nos países, é natural que o comércio e indústria voltem a aquecer. Consequentemente, o investidor busca opções para guardar seus rendimentos de forma segura.

O que são Treasuries?

No Brasil, o nosso Tesouro Direto é muito conhecido e perfis mais conservadores são os maiores investidores desse tipo de investimento. Já nos EUA a ideia é a mesma, o investidor estará emprestando dinheiro para o governo e resgatando depois de um período com a remuneração de cada tipo.

O Treasuries é considerado um dos investimentos mais seguros do mundo e está atrelado às taxas básicas de juros e à inflação.

Então, para infelicidade de quem torce pela taxa básica de juros se elevar a pandemia derrubou todas as do mundo e o investimento em Tesouro Direto deixou de ser opção.

Mas, com o atual cenário global, enquanto a vacinação ocorre nos países, é natural que a taxa básica de juros volte aos patamares antes do ocorrido da pandemia e o interesse retorne.

Então, os Treasuries são os títulos de dívida pública americana, no Brasil há três tipos de tesouro que são:

  • Tesouro Prefixado, Tesouro Selic e o Tesouro IPCA

Já nos Estados Unidos são quatro tipos que são:

  • Treasury Bills ou T-Bills;
  • T-Notes ou Treasury Notes
  • Treasury Bonds ou T-Bond
  • TIPS ou Treasury Inflation Protection Securities

Quais são os tipos de Treasuries?

No Brasil, a diferença dos tipos de Tesouro Direto está ligada diretamente a sua rentabilidade. Um rende de acordo com a taxa básica de juros (Selic) e o outro é atrelado com a inflação.

Já nos Treasuries há quatro tipos: três relacionados com o prazo de resgate e um atrelado à inflação como o nosso IPCA. Veja a seguir o que é cada tipo de Treasuries.

Treasury Bills ou T-Bills

Esse tipo de Treasuries é de curto prazo e seu vencimento é de até um ano. Muitos países usam esse tipo de investimento como base para seus rendimentos.

T-Notes ou Treasury Notes

Os T-Notes já possuem um prazo mais longo de resgate, em torno de 2 a 10 anos.

Esse tipo de Treasury está sendo responsável pelas últimas movimentações no mercado, visto que eles podem ser utilizados como uma previsão do que acontecerá com o mercado frente à inflação e crescimento.

Treasury Bonds ou T-Bond

Esse tipo de investimento já possui o prazo de 20 a 30 anos e é muito utilizado para guardar reservas de uma vida de investimentos. Quem quer se programar para a época da aposentadoria, por exemplo, recorre ao investimento.

TIPS ou Treasury Inflation Protection Securities

Por fim, os TIPS são atrelados à inflação, ele possui mais de períodos de prazo que são de 5, 10 ou 30 anos.

É possível investir em Treasuries no Brasil?

Não é possível investir em Treasuries diretamente no Brasil. Porém, quem possui uma conta em corretora nos EUA pode facilmente comprar, assim como é com o Tesouro Direto no Brasil.

É possível abrir uma conta em corretoras como investidor/não residente. Outra maneira de investir em Treasuries seria através de ETFs (Exchange Traded Fund) que é um fundo de investimento.

Os Treasuries irão mudar o cenário de investimento nos EUA?

A mudança de investimentos é algo natural no mercado visto que o investidor sempre busca a melhor e mais segura rentabilidade.

De acordo com Aline Cardoso, gestora de renda variável da EQI Asset, a migração já está acontecendo. “O que vemos hoje ainda é uma rotação dentro da bolsa. O ano passado foi um período em que a tecnologia performou muito bem. Todas as empresas do “fique em casa” se favoreceram, como o e-commerce e tecnologia em geral. Ficaram para trás as empresas que fecharam as portas e as dos setores cíclicos. Agora, os investidores estão indo para essas”, avalia.

As bolsas americanas ainda têm resultado positivo no ano, com exceção da Nasdaq que já cai 2%, mostrando que a migração está acontecendo. O fato é que a abertura das taxas dos Treasuries está tão rápida que está gerando aversão a risco. “O mercado está esquizofrênico. Tem medo de inflação, medo das taxas abrirem demais, incertezas demais”, diz Aline.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo