Mamãe trader: mercado financeiro atrai mulheres interessadas em mais flexibilidade de horário

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Na lista de desejos de dez em cada dez mães está lá o mesmo item: que o trabalho não lhe tome tanto tempo, para poder curtir mais os filhos.

Exatamente por isso, muitas têm visto o mercado financeiro como uma oportunidade de garantir renda, mas trabalhando de casa e com flexibilidade de horário.

No universo de 1 milhão de mulheres que estão hoje na bolsa de valores, certamente é gigante a porcentagem de mães em busca de segurança financeira e qualidade de vida para a família.

No entanto, para quem enxerga aí uma oportunidade, é preciso dizer: não é tarefa fácil. E não vale confiar em promessas de ganhos estratosféricos sem empenho e disciplina.

Conversamos com traders a respeito e elas nos contaram como é possível conciliar filhos e mercado.

Não existe caminho fácil e estudo é fundamental

A lição número um para a mãe (e para qualquer pessoa) que deseja operar na bolsa de valores é estudar, estudar e estudar.

“Não vou mentir: é preciso, no mínimo, um ano de estudos”, diz Paula Reis, trader e fundadora do canal Mulher Trader do Youtube.

“A pessoa, quando vai tirar carteira de motorista, já sabe que não vai engatar a primeira e sair com facilidade na primeira subida. Como trader, você tem que ter a consciência de que vai pilotar um carro, mas não um qualquer, é um carro de fórmula 1. Precisa de preparo”, compara.

Ela recomenda que se ignore todo o marketing que cerca o mercado financeiro atualmente, com promessas de ganhos fáceis e muita ostentação.

“É como na vida profissional. Você não decide a profissão que vai seguir e a exerce da noite para o dia. Você vai para a faculdade, paga uma mensalidade, estuda por quatro anos e só depois tem uma profissão. Com o mercado financeiro não é diferente”, diz.

Mamãe trader: tema é difícil, mas todo mundo pode aprender

Apesar de exigir preparo, o trabalho de trader não demanda talentos excepcionais. Basta disposição para o estudo, paciência e disciplina. Qualquer um pode chegar lá.

“Tenho uma amiga, médica e mãe de gêmeos que me falava ‘mercado financeiro não é para mim’. E eu dizia ‘você se formou em medicina e dá conta de dois filhos ao mesmo tempo, você pode tudo!’”, conta Carol Paiffer, CEO da Atom S.A, empresa de formação de traders.

Paula Reis confirma: todas as características que um trader precisa ter podem ser conquistadas, não é preciso já possuí-las.

É possível trabalhar só 2 horas por dia… mas terá sempre um “manhê” no meio da operação

Uma mãe trader pode selecionar apenas duas horas do dia para realizar suas operações. E isto é uma realidade, confirmam as entrevistadas.

Mas é necessário que estas duas horas sejam de dedicação exclusiva.

Por isso, a recomendação é arranjar tempo na agenda. E, para tanto, é preciso contar com uma rede de apoio: escola, parentes ou alguém que possa dar conta das crianças enquanto você se dedica aos gráficos.

Isso pode soar uma bobagem, mas quem tem criança em casa sabe bem que muitos “manhês” surgem ao longo do dia – e, “inexplicavelmente”, em geral eles vêm nos momentos mais críticos.

“Mantenho um grupo no Telegram e outro dia este foi o tema. O que você faz quando surge um ‘manhê’? Você para a operação para acudir a criança ou segue mesmo assim?”, lembra Paula Reis.

Vanessa Skupin é mãe de dois meninos, um de 8 e outro de 13 anos. Ela conta que atua como trader de casa, ao lado dos meninos, que atualmente estão em homeschooling, por conta da pandemia.

Com isso, ela diz, o desafio ficou ainda maior. No seu caso, especificamente, ela optou por fazer operações mais longas e não todos os dias da semana.

Carol Paiffer ensina: não é preciso se dedicar oito horas por dia ao mercado, mas aquela uma ou duas horas em que você vai operar, você precisa de concentração total. “Não é a quantidade de tempo dedicada ao trabalho, mas é a qualidade desse tempo”, afirma.

Mamãe trader: não pense que vai ganhar fortuna do dia para a noite

Nas redes sociais, possivelmente você vai se deparar com influenciadores vendendo a ideia de que é possível ganhar R$ 40 mil em um único dia de trabalho.

Mas não se iluda achando que isso vai acontecer de cara com você, todos os dias do mês, a partir do “momento mágico” em que decidir ser trader. Certamente não será assim.

A recomendação para as mamães traders é mergulhar no mundo da bolsa com muito estudo e com a segurança de uma outra fonte de renda familiar, ao menos no início.

“Se você começar a operar pensando no boleto que precisa ser pago, não vai dar certo. No começo, é preciso ter a segurança emocional de que não é a sua atuação como trader que vai pagar as contas no final do mês”, recomenda Paula Reis.

Foi exatamente o que fez Vanessa. Ela conta que era, até poucos meses atrás, uma bancária concursada que também investia na bolsa.

Ela começou a investir influenciada pelo próprio trabalho, por meio da corretora do banco em que trabalhava. Foi se interessando cada vez mais pelo tema e buscando instrução na área. Tanto que, hoje, ela tem diversas certificações, inclusive a de agente autônoma.

Agora, deixou de lado a comodidade do cargo público e vai se dedicar às próprias operações e ao trabalho como assessora.

Dá para ganhar dinheiro, mas comece com poucas operações

Todas as traders recomendam começar com poucas operações, para sentir o mercado e ganhar experiência. Carol recomenda, inclusive, usar simuladores disponíveis na internet, para aprender sem arriscar dinheiro.

Mas elas também garantem que é possível, sim, obter ganhos. No entanto, o quanto você vai ganhar depende do dinheiro investido (o retorno será proporcional), de sua capacidade e de sua dedicação.

“Digo sempre que o mercado financeiro é meritocracia pura. Quanto mais você se dedicar, melhor vai ficar”, aconselha Paiffer.

É possível tirar R$ 100, R$ 200 por dia. Mas é possível tirar ainda mais, de R$ 1 mil a R$ 2 mil, elas dizem. E há quem opere alavancado, o que não é recomendado de maneira alguma aos iniciantes, porque o risco de se perder dinheiro é enorme.

Mamãe trader: a maior recompensa é ter tempo para os filhos

Com estudo, estrutura para atuar, e tendo os pés no chão, é possível para qualquer mãe (e para qualquer um) ser trader.

A recompensa é valiosa. “Temos um caso de uma aluna que para nós é muito representativo. Ela tem duas filhas e, antes de virar trader, ela vendia suspiros. Um dia, ela conseguiu, em duas horas, fazer com suas operações o equivalente ao que ela tirava em um dia inteiro de trabalho vendendo suspiro. Nesse dia, ela finalizou as operações, pegou as filhas e foi aproveitar a tarde na praia”, conta Carol. Sua alegria foi fazer o mesmo tanto de dinheiro, mas com muito mais tempo livre para curtir a família.