Money Week: Carol Paiffer comanda empresa de traders

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Carol Paiffer

Conhecida por sua expertise em Day Trade, a empresária Carol Paiffer é uma das palestrantes do Money Week, maior evento de investimentos da América Latina que ocorre de 23 a 27 de novembro.

Aos 32 anos, ela comanda junto com o irmão, Joaquim Paiffer, a maior empresa de traders da América Latina. Os dois fundaram a Atom S/A (ATOM3), empresa listada na Bolsa de Valores e focada em Day Trade. Carol Paiffer ocupa o posto de CEO e diretora da área de investimentos. É ela também a “garota-propaganda” da empresa, que aparece nos vídeos, dá dicas e fala sobre o mercado trader.

Com resultados expressivos em 2020, a Atom quer expandir ainda mais e aproveitar o crescente interesse dos brasileiros na Bolsa de Valores para captar novos clientes e ensinar pessoas a operar daytrade.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Carol, assim como outros atores do mercado que têm se destacado nos últimos anos, tem um objetivo claro: contribuir para mudar a educação financeira no Brasil.

Da faculdade para a Bolsa de Valores

A paixão dos irmãos Paiffer pelo mercado financeiro não é de família. Filhos de um fazendeiro de Porto Feliz, cidade a 40 km de Sorocaba, foi só na faculdade que eles ouviram falar pela primeira vez da Bolsa de Valores por meio de um professor.

Carol Paiffer havia escolhido fazer faculdade de Moda, mas mudou de ideia ao conhecer o mercado financeiro. Formou-se então em Administração de Empresas, e, influenciada pelo irmão, começou a atuar no mercado em 2005. O foco desde o início estava claro: Day Trade. Ou seja, compra e venda de ações no mesmo dia.

Consulte os melhores diálogos e insights da Money Week.

Carol e o irmão, Joaquim, juntaram um valor para começar a investir em ações de primeira linha. Ela tirou R$ 3 mil da poupança e ele refinanciou um carro para conseguir R$ 10 mil. A operação deu certo, eles começaram a ter retorno e ganharam apoio financeiro do pai para seguir na empreitada.

Ela e o irmão começaram como agentes autônomos de investimentos, depois montaram uma asset para fazer a gestão dos clientes.

Foi na faculdade, em 2006, que eles abriram a Paiffer Investimentos, com três clientes. Dois anos depois, eles já tinham 600 clientes em carteira. Assim, a empresa começou a ganhar destaque.

A partir da compra da antiga Inepar Telecom, em 2013 surgiu a Atom, a primeira mesa de traders com capital aberto na Bolsa de Valores e agora a maior da América Latina. Assim, antes dos 30 anos, Carol Paiffer já era CEO e fundadora de uma empresa listada na Bolsa de Valores.

 

O negócio da Atom

A Atom Participações S.A atua em duas frentes. Nas palavras da própria Carol, a empresa é uma espécie de “Uber do mercado financeiro”. Ou seja, eles contratam pessoas para operar o dinheiro. Mas como muitas pessoas não entendem de Bolsa, eles decidiram criar o braço de educação da empresa, a Atom Educacional.

Hoje, a empresa possui este grande foco educacional. Ou seja, quer ensinar as pessoas a operar na Bolsa de Valores sem precisar de grandes capitais. A Atom Educacional é uma rede de franquias. São escolas espalhadas pelo país para compartilhar o conhecimento adquirido pelos Paiffer em 14 anos de operação na Bolsa de Valores.

A meta é ousada: fazer com que as pessoas possam operar de 1 a 2 horas por dia, de qualquer lugar no mundo, até mesmo pelo celular, e lucrar com Day Trade.

Carol Paiffer também ministra palestra e cursos pelo Brasil e pelo mundo para falar de Day Trade.

Lucros em 2020

Os resultados do segundo trimestre da Atom foram expressivos. A empresa deu um salto de 571% no lucro líquido em meio à pandemia. No primeiro semestre de 2020 o crescimento foi de 381% em relação a 2019.

A companhia somou R$ 3,397 milhões no segundo trimestre deste ano. No mesmo período do ano passado este indicador foi de R$ 500 mil. No primeiro semestre de 2019 o lucro foi de R$ 1,479 milhão. E, nestes primeiros seis meses, o lucro saltou para R$ 7,11 milhões.

A aposta no mercado educacional deu certo. O desempenho da área educacional da Atom foi 328% maior que no 2° trimestre de 2019: R$ 2,06 milhões.

Foram 8 mil novos alunos neste ano, com receita bruta total de R$ 8,8 milhões. A empresa vê um gap de oportunidade grande em comparação com outros países emergentes e quer aproveitar este espaço para crescer ainda mais.

“Estamos colhendo o trabalho árduo que fizemos no ano passado, em relação aos nossos alunos, às nossas estratégias e este é o começo de uma grande jornada”, disse a sócia e presidente da Atom, Carol Paiffer.

Livros, televisão e esportes

Entre os livros preferidos de Carol estão O Sonho Grande, Poder do Hábito, Mindset e Mentes Brilhantes Rombos Bilionários.

Ela adora esportes, já correu três maratonas pelo mundo (42 km em Miami, Mendonza e Florença), pratica hipismo, ciclismo, futsal e é escritora do livro “4traders”, a história de 4 traders mulheres que aprendem bolsa de valores em Nova York.

Por fim, neste ano, Carol vai estrear na televisão. Ela substituirá a empresária Cris Arcangeli no programa Shark Tank Brasil. Em meio a grandes investidores do país, Carol buscará negócios com propósito para poder investir.