Lojas Americanas (LAME4) registra alta de 0,6% no lucro no 4TRI

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

A Lojas Americanas (LAME4) registrou um lucro líquido de R$ 400,4 milhões no quarto trimestre de 2020, aumento de 0,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

No ano, o lucro líquido somou R$ 394 milhões, uma redução de 22,1% na comparação com 2019.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O resultado financeiro foi negativo em R$ 139,2 milhões no quarto trimestre do ano passado, redução de 47,4% sobre as perdas financeiras do quarto trimestre de 2019.

As despesas somaram R$ 519 milhões, retração de 10,8% em relação ao quarto trimestre do ano passado.

O GMV total cresceu 18,4%, atingindo R$ 13,5 bilhões no 4T20, sustentado pela alta penetração das vendas online. O GMV online representou 69,1% do GMV total do Universo Americanas.

O lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 1,235 bilhão no quarto trimestre de 2020, redução de 5,4% na comparação ano a ano.

Enquanto isso, a margem Ebitda ajustado foi de 16,6%, baixa de 3,6 p.p.

Receita cresce 15%

A receita líquida atingiu R$ 7,43 bilhões no período, uma elevação de 15% na comparação anual.

O lucro bruto subiu 10,5% no quarto trimestre do ano passado, atingindo R$ 2,516 bilhões.

A margem bruta ficou em 33,9% no trimestre, baixa de 1,3 de ponto percentual.

Conforme a Lojas Americanas, a margem bruta foi impactada pela maior penetração das vendas online e pelo ajuste de sortimento, priorizando itens essenciais que ganharam representatividade no mix de vendas.

Investimentos

Ao longo de 2020, os investimentos no consolidado e na controladora totalizaram R$ 1,744 bilhão e R$ 876,4milhões, respectivamente.

Dívida

Em 31 de dezembro, o Universo Americanas apresentava uma posição de caixa líquido de R$ 6,3 bilhões ante uma dívida líquida de R$ 2,2 bilhões no mesmo período do ano anterior, uma melhora de 2,5x Ebitda.

A redução do endividamento líquido consolidado reflete os impactos das operações de otimização da estrutura de capital da Americanas e da B2W, com a operação de follow-on da Americanas, com subsequente aumento de capital da B2W, e a emissão de Bonds no mercado internacional.

O prazo médio da dívida encerrou o trimestre acima de 62 meses.

Na visão da controladora, a plataforma física apresentou uma posição de caixa líquido de R$ 609,2 milhões ante uma dívida líquida de R$ 3,3 bilhões no mesmo período do ano anterior, uma variação de +1,4x o Ebitda.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Veja os principais destaques do balanço da Lojas Americanas: