Criptomoedas: insanidade ou oportunidade? Descubra aqui

Victor Meira
Com formação em Ciências Sociais e Jornalismo, experiência em redação nas editorias de esportes, empregos, concursos, economia e política.

Crédito: Créditos: Pixabay

O investimento em criptomoedas é uma tendência no mercado mundial. Apesar das moedas não terem nenhuma regulação governamental, elas chamam a atenção dos investidores devido à alta volatilidade do ativo, além da valorização que pode chegar a mais de 300% em um ano. Isso mesmo que você leu! O bitcoin, a principal criptomoeda do mundo, valorizou mais de 300% nos últimos doze meses, de acordo com a cotação de 15 de outubro.

Por esse motivo, o crescimento do interesse de adquirir uma moeda digital aumentou consideravelmente. Em consequência disso, o número de golpes também aumentou na mesma proporção. 

Neste artigo, vamos apresentar dicas sobre como investir em criptomoedas de forma segura e se proteger contra fraudes.

Se quiser saber ainda mais sobre o tema, saiba que ele será o foco de um dos painéis da Money Week, evento online e gratuito da EQI Investimentos, que acontece de 25 a 29 de outubro. Faça já o seu cadastro!

Por que colocar a criptomoeda na sua carteira?

A volatilidade é um dos principais fatores para o investimento em criptomoedas. Como a moeda consegue grandes oscilações nos preços, diversos traders enxergam as moedas digitais como uma oportunidade de conseguir lucros mais rápidos.

Mesmo com chances de conseguir uma boa margem de lucro, os riscos também são proporcionais aos ganhos. O investidor pode ter grandes chances de prejuízo. 

Desta forma, encarando as criptomoedas como um componente da renda variável, a diversificação também é fundamental para proteger a sua carteira para eventuais riscos. 

O mercado financeiro conta com várias opções de criptomoedas como: Bitcoin, Ethereum, Binance Coin, Lite Coin, Axie Infinity, dentre outras. 

Como investir em criptomoeda

O investimento em criptomoedas é seguro. Todas as transações em criptomoedas são rastreáveis, com um nível de clareza e rapidez ainda maiores do que no sistema financeiro tradicional. Mas é preciso destacar que é preciso alguns cuidados. Mais adiante, vamos apresentar algumas dicas de segurança para investir nas moedas virtuais. 

Antes de tudo, é preciso definir se a intenção é negociar sozinho ou contar com a assessoria especializada. Esta assessoria pode ser uma exchange, que irá fazer todo o trâmite necessário para comprar ou vender os criptoativos.

Feita a compra, o investidor precisa definir como fará o armazenamento, se na própria corretora ou sob sua própria custódia.

Neste caso, é preciso ter ferramentas seguras e fazer backup de tudo, para não perder a suas criptomoedas – há milhões de dólares perdidos com pessoas que perderam a chave de acesso às criptomoedas.

Além disso, para quem não quiser comprar diretamente bitcoins ou outra moeda digital, o investidor pode comprar ETFs (Exchange Traded Fund) vinculadas a criptomoedas. Na B3, há opções associadas a moedas digitais como QBTC11 e o ETHE11, Bitcoin e Ethereum, respectivamente.

Dicas de como se proteger de fraudes

Como já foi destacado anteriormente, o investimento em criptoativos é seguro. Mas como qualquer operação financeira feita pela internet, é preciso ficar atento a alguns detalhes. 

De acordo com um estudo divulgado pela Whale Alert, nos últimos quatro anos os investidores tiveram uma perda de US$ 38 milhões de dólares em fraudes e outros golpes. 

Como a moeda não tem nenhum tipo de regulação de nenhum governo, não há nenhuma entidade que controle as operações dessa natureza. Portanto, é mais complicado fazer uma reclamação quando há um tipo de golpe.

Confira abaixo os principais golpes e como se proteger deles.

Criptomoedas e a promessa de ganhos altos e fáceis

A volatilidade das moedas chama a atenção dos vigaristas. Muitos deles fazem propaganda apresentando dicas de como ganhar dinheiro fácil e com risco minimizado, além de pedir o dinheiro das vítimas para realizar as operações das criptomoedas.

A nossa recomendação é desconfiar de qualquer promessa de ganhos fáceis. Afinal de contas, toda operação tem os seus riscos e se ganhar dinheiro fosse tão fácil assim, todo mundo seria rico.

Criptoativos inovadores

São supostas moedas que “serão oferecidas no mercado futuramente”. Teoricamente, os farsantes vendem a ideia de que a criptomoeda terá uma valorização exorbitante. Com isso, pessoas apostam na valorização da criptomoeda e acabam comprando ativos que não existem e os criminosos somem com todo o dinheiro.

Para não cair nessa tentação, estude e conheça o mercado. Consuma o máximo de informações possíveis sobre criptomoedas. Assim, você terá menos chances de ser enganado por qualquer um.

Criptomoedas e corretoras falsas

As exchanges, ou corretoras de criptoativos, são plataformas parecidas com as de corretoras de ações. O objetivo delas é facilitar a compra, venda e troca de moedas digitais, por meio da conexão entre compradores e vendedores. 

Porém, alguns criminosos criam exchanges falsas com a montagem de sites e aplicativos. Com essas ferramentas, além do vigarista pegar todos os seus dados de cadastro, ele direciona todo o seu dinheiro para uma outra conta.

A principal dica para esse caso é verificar a plataforma de todas as formas como consultar a reputação da empresa Reclama Aqui; analisar as redes sociais e olhar os comentários; pesquisar o CNPJ e endereço de e-mail e até o mesmo o físico da corretora. Afinal de contas, de seguro morreu o velho.

Você também pode contar com o apoio de um assessor de investimentos para tomar a decisão certa e segura de investimento. Para tanto, preencha o formulário abaixo, que um assessor da EQI entrará em contato. 

E não esqueça de se cadastrar na Money Week para saber muito mais sobre criptomoedas!