BEWU39: O BDR de ETF para investir nas empresas do Reino Unido

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Pixabay

Se você está pensando em diversificar a sua carteira em ativos internacionais, precisa conhecer o BDR de ETF. Esses investimentos, disponíveis para o público desde outubro de 2020, permitem diversificação de forma fácil e acessível.

Um desses títulos é o BEWU39, o BDR de ETF para investir na economia do Reino Unido. A seguir, saberemos como funcionam esses investimentos, e veremos mais detalhes sobre o BEWU39. Acompanhe!

BDR de ETF: como funciona esse investimento?

Antes de mais nada, vabe lembrar como funciona cada um desses investimentos separadamente.

Tome decisões assertivas com base em balanços e dados de mercado. Baixe agora a Planilha de Ativos de empresas listadas na Bolsa.

Os BDRs (Brasilian Depositary Receipts) são títulos que representam ações de empresas estrangeiras. Porém, esses títulos são negociados na bolsa brasileira, e em reais. Logo, para adquirir um BRD, o investidor não precisa ter uma conta no exterior. Basta negociá-los na própria B3, e terá alguns direitos dos acionistas da companhia lá fora, como recebimento de dividendos, por exemplo.

Já os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos que replicam determinado índice do mercado financeiro. Uma das vantagens desse investimento é justamente a sua simplicidade e acessibilidade. Isso porque, atualmente, o lote mínimo para a sua negociação é de uma unidade, o que barateou o investimento para o público em geral.

Vantagens do BDR de ETF

Muitos investidores se perguntam: afinal, se existem as duas opções, por que investir em um BDR de ETF?

Aprenda hoje a investir em Small Caps e encontre as oportunidades escondidas na Bolsa.

A resposta é simples: um BDR de ETF permite maior diversificação com menor custo. Isso porque, ao comprar um BDR de ETF, você estará investindo em um índice do mercado internacional que representa diversas empresas. Por outro lado, um BDR tradicional acompanhará apenas o desempenho da empresa que ele representa.

O que é o BEWU39

O BEWU39 é um BDR de ETF que acompanha o índice MSCI United Kingdon. Por sua vez, esse índice representa cerca de 90 empresas da região, que correspondem a, aproximadamente, 85% da capitalização do mercado.

Os setores que possuem as maiores participações no MSCI United Kingdon são os seguintes:

  • bens de consumo: 20%
  • financeiro: 19%
  • materiais: 12,5%
  • saúde: 10,6%
  • indústria: 10,5%
  • energia: 9,5%

Algumas das empresas mais conhecidas que formam o índice são Unilever, Astrazeneca, HSBC Holding, Diageo, Rio Tinto e GlaxoSmithKline.

Características do BEWU39

O BEWU39 tem gestão da BlackRock, e é destinado a investidores em geral. Historicamente, o ativo que ele corresponde nos EUA (o EWU) paga 2,96% de dividendos.

Em relação aos custos, o BEWU39 possui taxa de administração de 0,51% ao ano. Além disso, sofre a tributação de 30% sobre os dividendos, conforme legislação norte-americana. Já no Brasil, ainda há incidência de ,038% de IOF e cobrança de taxa de 3% do Banco B3, depositário da maioria dos BDRs.

Dados da economia do Reino Unido

Segundo o último relatório anual do BEWU39 (agosto de 2020), a recessão causada pela pandemia fez com que a queda do mercado acionário do Reino Unido fosse uma das maiores entre as economias desenvolvidas no ano passado. Nesse sentido, a desaceleração dos gastos domésticos e da atividade industrial só foi atenuada por maciças medidas de estímulo do governo.

Setores com piores desempenhos

O setor de energia foi o que mais impactou na queda do índice. Além disso, teve também a queda acentuada do petróleo, por causa do aumento da concorrência com Arábia Saudita e Rússia. Os baixos preços e a menor demanda pela commodity reduziram substancialmente as receitas e os dividendos das companhias.

 Por sua vez, o setor financeiro também teve um peso significativo na queda do Índice. Isso porque, além de auferirem receita mais baixa, os bancos aumentaram o provisionamento para cobrir o crescimento da inadimplência. Além disso, o setor também suspendeu o pagamento de dividendos, seguindo a orientação dos órgãos reguladores. O setor de comunicação também foi impactado negativamente pela contração da economia. Segundo o relatório, as restrições de viagens e o fechamento de negócios reduziram as receitas de serviços de televisão paga, comunicações comerciais, roaming móvel e publicidade.

Setores com melhores desempenhos

Por outro lado,  o setor de saúde contribuiu para o retorno do MSCI United Kingdom, principalmente nas ações farmacêuticas. Nesse sentido, pesou o otimismo do investidor quanto ao progresso da vacina contra o coronavírus e a expectativa de fortes vendas em mercados emergentes. Outro setor que mostrou recuperação foi o de materiais (insumos), impulsionado pela diversificação da indústria de metais e mineração. Além disso, a recuperação da demanda chinesa levou ao aumento dos preços do minério de ferro, o que apoiou os ganhos da indústria.

Contração recorde do PIB do Reino Unido

Em 2020, o PIB (Produto Interno Bruto) registrou baixa histórica de 9,9%. Isso por causa do impacto da pandemia, que paralisou diversos setores da economia britânica durante meses.

Segundo o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS), essa foi a maior queda desde o início das estatísticas sobre a economia da região. Inclusive, a retração da atividade econômica foi o dobro da registrada na crise de 2009.

Já no primeiro trimestre de 2021, a economia cresceu mais do que o esperado, mas ainda registrou retração de 1,5% no período. Segundo economista da Pantheon Macroeconomics, o impacto negativo sobre a economia da região foi menos rigoroso do que o previsto. No entanto, possivelmente o Reino Unido tenha permanecido em último lugar entre os países do G7 pelo quarto trimestre consecutivo. Por fim, o economista afirma que o PIB da região se encaminha para crescer 5% no segundo trimestre de 2021.

Assista ao vídeo abaixo, e saiba mais sobre a importância da diversificação internacional para os investimentos!