Vale (VALE3) assina acordo para deixar parceria em mina de carvão

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação

A Vale (VALE3) informou que assinou, nesta quarta-feira (20), um acordo com a Mitsui, parceira na operação, permitindo que as empresas estruturem a saída da companhia japonesa da mina de carvão de Moatize e do Corredor Logístico de Nacala, que liga Moçambique ao mar, passando pela República do Malauí, no sudoeste da África.

Conforme a nota, esse é o primeiro passo para o desinvestimento da Vale do negócio de carvão.

A transação está em linha com o foco da Vale em priorizar seus negócios core e sua agenda ESG.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

Termos do acordo

O acordo estabelece os principais termos para a aquisição pela Vale da totalidade das participações da Mitsui — 15% na mina de Moatize, juntamente com 50% de participação e todos os outros créditos minoritários que a Mitsui detém na CLN.

Segundo a Vale, o objetivo é que a saída da Mitsui “possa ser concluída durante 2021, o que está sujeito à execução do contrato definitivo e a condições precedentes usuais neste tipo de transação”.

“O acordo prevê que a Vale comprará, por US$ 1,00, a participação em cada um dos ativos de mina e logística de titularidade da Mitsui”, explica a Vale.

“Após o fechamento da transação, a Vale consolidará as entidades da CLN e, portanto, todos os seus ativos e passivos, incluindo o Project Finance do Corredor de Nacala, que tem cerca de US$ 2,5 bilhões de saldo remanescente.”

A consolidação do Project Finance, prossegue a Vale, implicará aproximadamente US$ 300 milhões por ano em despesas operacionais na mina de Moatize, associadas à tarifa do CLN.

A operação impacta o EBITDA do Negócio de Carvão, com reclassificação como despesas financeiras, amortização de dívidas, investimento de manutenção das operações.

“O futuro refinanciamento do Project Finance e simplificação da estrutura levará a uma economia anual estimada de aproximadamente US$ 25 milhões”, diz a Vale.

Processo de desinvestimento

Ao longo dos últimos 15 anos, a Vale tem atuado em parceria com os governos de Moçambique e Malauí, na implantação da mina de Moatize e dos 912 km do CLN, para transporte de carvão, além da revitalização das operações de carga geral e de transporte de passageiros.

“Os investimentos representam um legado relevante para esses países e são um importante vetor de desenvolvimento local”, lembra a Vale, nota ao mercado.

Copel (CPLE6) aprova migração para nível 2 de governança da B3 (B3SA3)

A Copel (CPLE6) aprovou envio de proposta para migração da companhia para nível 2 de governança da B3 (B3SA3). Com essa mudança, o tag along passa a ser de 100% para as ações ordinárias e preferenciais, conferindo tratamento equitativo aos acionistas da empresa.

Além disso, confere direito de voto para os acionistas preferencialistas em assuntos que tratem de transformação, incorporação, cisão ou fusão da companhia.

A Copel também divulgou uma nova política de dividendos, com o objetivo de proporcionar mais transparência e previsibilidade do fluxo de pagamentos de proventos aos acionistas.

Dessa forma, considerando o nível de endividamento, a geração de caixa operacional e o CAPEX, as propostas de
dividendos regulares serão calculados conforme os critérios abaixo:

  • Alavancagem abaixo de 1,5x = 65% do Lucro Líquido Ajustado;
  • Alavancagem entre 1,5x e 2,7x = 50% do Lucro Líquido Ajustado; e
  • Alavancagem acima de 2,7x = 25% do Lucro Líquido Ajustado

Alper (APER3) convoca AGE para tratar da aquisição da Next Marka + Ferfi

A Alper (APER3) convocou assembleia para deliberar sobre a aquisição da Next Marka e Ferfi. A assembleia será realizada em 05 de fevereiro de 2021.

Minerva (BEEF3) ajusta preço de bônus de subscrição

Após o pagamento de dividendos pela Minerva (BEEF3), o conselho de administração atualização o preço de bônus da subscrição da companhia.

Com isso, a partir de 9 de novembro o preço de exercício dos bônus de subscrição foi ajustado de R$ 6,42 para R$6,16, e, a partir de 4 de janeiro de 2021, passou a ser de R$ 6,12.

Se você quer saber mais sobre investimentos, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.