Unifique: conheça a operadora de telecomunicações que estreia na bolsa hoje

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A operadora de telecomunicações Unifique está na lista de IPOs (Ofertas Públicas Iniciais) deste ano, com estreia prevista para esta terça-feira (26).

Com atuação principalmente em banda larga e telefonia fixa, a empresa diz que é a maior provedora de fibra óptica no estado de Santa Catarina, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

A companhia já cobre mais de 1 milhão de residências e possui mais de 18 mil km de rede de fibra óptica, com um modelo de negócios enxuto e escalável que permitiram a execução de um forte crescimento na região Sul do país.

Vamos conhecer melhor a empresa?

História da Unifique

A empresa foi criada em 1997 no município de Timbó, Santa Catarina, com a marca TPA (Timbó Provedor de Acesso).

A tecnologia usada na época era internet discada, com o acesso por meio da linha telefônica. O atendimento iniciou com um colaborador: Fabiano Busnardo, hoje CEO da Unifique.

Nos anos 2000, com a tecnologia de internet discada ficando para trás, a Unifique começou a construir as primeiras torres para o atendimento de internet via rádio. Em 2006, a companhia começou a construir sua própria rede de fibra óptica. O início dos projetos para o cabeamento foi na cidade de Timbó e mais tarde nas cidades de Rio do Sul e Ibirama.

Em 2010 a empresa iniciou o serviço de telefonia fixa, com atendimento residencial e empresarial. Três anos depois, a rede de fibra óptica foi ampliada. A TPA passou a investir muito mais para continuar expandindo a rede FTTH (fiber to the home).

Com a expansão do atendimento por Santa Catarina a mudança de nome veio em 2014. Assim, a empresa passou a se chamar Unifique.

Em 2016, a companhia passou a ofertar aos clientes combos de internet, telefone fixo e a TV por assinatura. Hoje são mais de 100 canais com opções à la carte e variedades em HD.

Em 2017, quando a empresa completou 20 anos, uma nova sede foi construída em Timbó. A empresa estava com atendimento de lojas físicas em várias cidades em SC, carteira de clientes crescendo, clientes físicos e empresariais.

No ano seguinte, a Unifique começou a construiu seu data center, inaugurado em 2019. E teve também o reconhecimento quando foi eleita a melhor banda larga fixa de Santa Catarina pela Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida da Anatel em 2018 e a melhor do Brasil em 2019 e 2020.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Unifique

Modelo de negócios da empresa

A Unifique totalizou, em 31 de março de 2021, 318 mil acessos em mais de 122 municípios em Santa Catarina e mais de 5 municípios no Paraná.

Além disso, está expandindo sua atuação para o Rio Grande do Sul, onde adquiriu em abril de 2021 uma operação com mais de 31 mil acessos.

“Os fundamentos sólidos de alta qualidade, escalabilidade e operação enxuta fortalecem a base para expansão contínua da Unifique. Os principais direcionadores de crescimento serão o aumento de penetração nas cidades de atuação, a partir de uma forte estratégia comercial, com produtos atrativos e bem precificados; crescimento orgânico nas áreas adjacentes; e também o crescimento inorgânico, impulsionado por um extenso know-how da Unifique em aquisições que, com sua plataforma plug and play, garante rápida integração e permite expansão mediante aquisições estratégicas para impulsionar a expansão em regiões vizinhas pouco exploradas”, diz a empresa no prospecto preliminar protocolado na CVM.

Os principais serviços oferecidos pela Unifique são:

  • Serviços de banda larga fixa;
  • Serviços de telefonia fixa;
  • Serviços de TV por assinatura com alta definição;
  • Serviços de atacado, incluindo interconexão;
  • Serviços de Hosting, Bare Metal, Colocation, BaaS, DRaaS, Saas;
  • Locação de equipamentos;
  • Serviços OTT (Over The Top): Unifique Play e PlayMaxi;
  • Telefonia celular – Operador Móvel Virtual (MVNO).

Segundo a empresa, na banda larga, a Unifique se diferencia com soluções que ultrapassam as ofertas padrão. Em todas as cidades de atuação em fibra é possível contratar planos de 1 Gbps de internet. Além disso, novos planos de 2 Gpbs de internet estão sendo lançados no mês de maio de 2021.

Pilares estratégicos da Unifique

Modelo de negócios rentável, escalável e resiliente. A Unifique afirma se destacar entre as operadoras de telecomunicações pelos elevados índices de rentabilidade, tendo apresentado margem Ebitda Ajustado de 53,1% em 2020 e 56,9% no primeiro trimestre de 2021. Tal rentabilidade é resultado de seu modelo de negócios otimizado, que combina (i) ampla infraestrutura de fibra, que demanda menor manutenção em relação às redes legado; (ii) sólida estratégia comercial, com oferta inovadora de produtos, garantindo aumento de ticket médio; (iii) atendimento de qualidade e eficaz, com destaque para as estratégias de automatização e a satisfação dos clientes; e (iv) governança e gestão eficientes, com atuação ágil e sem burocracias e alinhamento de interesses entre colaboradores e Companhia. Cada um dos tópicos é detalhado nos pilares estratégicos seguintes.

Infraestrutura estado-da-arte com operação eficiente. A companhia possui uma infraestrutura estado-da-arte 100% integrada, com mais de 18 mil km de estrutura de fibra, aproximadamente 8 mil em backbone e 10 mil em backhaul, um Data Center Tier 3, mais de 210 pontos de presença, atingindo mais de 1 milhão de homes passed.

Operação eficiente em ampla base de fibra óptica. A Unifique possuía mais de 91% da base de acessos em FTTH (Fiber to the home) em 31 de março de 2021, utilizando equipamentos de alta qualidade, permitindo que a companhia otimize sua operação de rede, garantido níveis reduzidos de manutenção de redes legadas.

Infraestrutura robusta, estável e escalável. Para garantir o melhor serviço ao cliente final, a companhia possui uma infraestrutura robusta e estável, sempre mantendo a capacidade construída com o dobro da capacidade necessária para atendimento, de forma a garantir conexão de qualidade e baixo risco de interrupção.

Data Center Tier 3. Em 2020 a companhia conquistou a certificação Tier III pelo Uptime Institute, sendo um dos únicos participantes do setor com tal certificação no Brasil, reflexo do elevado nível de qualidade de sua operação e infraestrutura, a qual garante uma disponibilidade de 99,982%.

Novos equipamentos e tecnologias. A companhia também está sempre buscando se antecipar às necessidades dos clientes, realizando investimentos em iniciativas para capturar as tendências futuras. Atualmente, a companhia está no processo final de homologação do XGS-PON, uma rede óptica que garante uma transmissão simétrica de até 10GB de internet, suportando novas estratégias comerciais com velocidades ainda maiores.

Oferta completa e otimizada. Apesar de a banda larga ser o principal produto da Unifique, a companhia oferta ampla gama de produtos e serviços, buscando se antecipar às necessidades dos clientes e indo além das tradicionais ofertas de telecomunicações.

Inovação em produtos e serviços. A estratégia comercial da companhia se baseia também em inovação constante para atender cada vez mais às necessidades dos clientes, além de aumentar a digitalização e rentabilidade. Há diversas iniciativas mapeadas e em desenvolvimento.

Dados econômico-financeiro

O lucro líquido da empresa passou de R$ 27,4 milhões em 2018 para R$ 36,5 milhões em 2019 e R$ 50,4 milhões em 2020.

A receita operacional líquida da Unifique totalizou R$ 286,0 milhões em 31 de dezembro de 2020. Ou seja, incremento de 75% em relação ao exercício social anterior (de R$ 163 milhões). Em 2018 a receita foi de R$ 104 milhões.

O Ebitda ajustado da empresa cresceu de R$ 54,4 milhões (2018) para R$ 84,2 milhões (2019) e R$ 152 milhões (2020).

Unifique

Estratégia de crescimento da Unifique

Os pilares estratégicos de crescimento da Unifique podem ser divididos, principalmente, em três.

Crescimento orgânico. A localização da companhia na região Sul do país é estratégica para manter sua trajetória de crescimento orgânico, através de um ecossistema de alta tecnologia com uma estrutura operacional robusta para ampliar o market share. Com foco na experiência do usuário e na qualidade dos serviços, a Unifique vem se destacando, conseguindo crescer sua base de clientes mesmo em cidades com elevada concorrência. Adicionalmente, na região Sul existe um número significativo de usuários de banda larga de outras tecnologias, as quais possuem uma capacidade menor de entrega.

Crescimento Inorgânico. Com um track-record de excelência em aquisições, tendo realizado mais de 15 nos últimos 2 anos, a companhia consegue impulsionar seu crescimento nas cidades de atuação, entrar rapidamente em novas cidades, ganhar escala e ampliar sua infraestrutura, promovendo uma maior penetração em regiões com pouca atuação, a partir de uma plataforma plug and play, trazendo eficiência no processo de integração. Neste processo, a Unifique faz investimentos na atualização tecnológica das empresas adquiridas, possibilitando manter o padrão de qualidade e, assim, preservando uma baixa taxa de churn.

Outras iniciativas. Além do crescimento orgânico nas cidades de atuação e em cidades vizinhas, e do crescimento inorgânico com diversas oportunidades já mapeadas, a Unifique possui diversas outras frentes de crescimento, como o mercado B2B por exemplo, com intensificação das vendas para pequenas e médias empresas, serviços de data center, serviços de atendimentos especializados e exclusivos para atender às necessidades dos novos clientes e adição de serviços com margens elevadas, como a central telefônica virtual, câmeras virtuais na nuvem, entre outros. O leilão do 5G, com espectros a serem oferecidos a nível regional, e os produtos e serviços decorrentes de sua implementação estão sob monitoramento constante da administração da companhia.

Eventos recentes

Em 30 de abril de 2021 a Unifique adquiriu a integralidade do capital da Naja Serviços e Soluções em Tecnologia Ltda., passando, portanto, a ser sua controladora. A empresa adquirida tem sede em Flores da Cunha, do Rio Grande do Sul, e atende a região da serra gaúcha, vale dos sinos e região metropolitana de Porto Alegre.

A Unifique referendou em assembleia geral ordinária e extraordinária, realizada em 11 de maio de 2021, a distribuição de dividendos complementares à conta de reserva de lucros acumulada durante o exercício social de 2019, no montante total de R$ 28.803 mil, conforme aprovada em reunião da diretoria.

Principais fatores de risco da empresa

A tecnologia da informação é essencial para os negócios da companhia e pode estar sujeita a riscos de segurança cibernética;

A Unifique pode não ser capaz de lidar tempestivamente com as consequências de um incidente de segurança cibernética, o que poderá resultar em danos adversos e significativos à sua reputação e a seus resultados operacionais;

A incerteza contínua nos mercados financeiros globais e na economia global pode negativamente afetar os resultados financeiros da Unifique;

A companhia pode ser incapaz de responder à tendência recente de consolidação do mercado brasileiro de telecomunicações;

A necessidade de obter capacidade adicional para a rede da empresa com outros provedores pode aumentar os custos da companhia. Além disso, a necessidade de interligar a rede da Unifique a redes controladas por terceiros pode aumentar os custos da empresa.

Sobre o IPO

A Unifique protocolou o pedido de IPO em maio de 2021 na CVM.

A oferta será primária e secundária.

Os recursos obtidos com oferta primária deverão ser igualmente divididos entre crescimento orgânico (40%) e novas aquisições (40%). Os 20% restantes serão usados para demais investimentos.

A operação tem a XP Investimentos, o BTG Pactual e o Itaú como coordenadores, além da Brasa Capital como assessora financeira.