Ultrapar (UGPA3) sofre ataque cibernético; Ecorodovias (ECOR3) tem queda no tráfego

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A Ultrapar (UGPA3) informou nesta terça-feira (12) que sofreu um ataque cibernético em seu ambiente de tecnologia da informação.

Assim, a empresa optou por interromper preventivamente alguns sistemas, afetando parcialmente as operações de suas subsidiárias.

A companhia diz que prontamente acionou seus protocolos de controle e segurança para bloquear o ataque e minimizar eventuais impactos e está operando em regime de contingência.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

“A Ultrapar está avaliando a extensão desse incidente e atuando para mitigar seus efeitos, empreendendo todos os esforços para normalizar suas operações, e manterá o mercado informado de qualquer informação relevante relacionada a este evento”, afirmou a empresa.

 

Ecorodovias (ECOR3) tem queda de 10,5% no tráfego

A Ecorodovias (ECOR3) divulgou nesta terça-feira (12) uma queda de 10,5% no tráfego nos últimos nove meses. Os dados levam em conta o início da pandemia, em 16 de março de 2020 até o último dia 10 de janeiro de 2021, com o mesmo período do ano anterior.

Assim, entre 18/03/2019 a 12/01/2020 as rodovias da Ecorodovias registraram um volume de tráfego de 241.518, valor que caiu para 216.081 entre 16/03/2020 a 10/01/2021.

Mas no volume de tráfego consolidado, que leva em consideração outras três rodovias (Eco135, Eco050 e Ecovias do Cerrado), a queda entre os períodos foi de 6,5%.

Ecorodovias (ECOR3)

 

Enjoei (ENJU3) anuncia novo diretor financeiro

A Enjoei (ENJU3) informou que, em reunião realizada nesta segunda-feira (11), aprovou a eleição de Marcos Antonio Pinheiro Filho ao cargo de diretor financeiro e de relações com investidores da empresa.

Marcos é um executivo com mais de 15 anos de experiências em finanças, compliance, e relações com investidores. Foi CFO da Smiles Fidelidade S.A até janeiro de 2020 e liderou áreas de finanças de grandes empresas no Brasil.

Anteriormente, ele foi executivo na Gol Linhas Aéreas Inteligentes S.A., MedialSaúde, Sodexho e Embratel.

Marcos é formado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica de SãoPaulo (PUC-SP), com pós-graduação em gestão pela Universidade Adolfo Ibanez (UAI – Chile) e MBA pela Universidade da California – Los Angeles (UCLA).

Ele assume o cargo no lugar de Guilherme Soares Almeida.