Tecnologia na hora de investir: mais segurança e performance

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Money Week

A quinta edição da Money Week também falou sobre tecnologia na hora de investir, mais especificamente sobre os inovadores softwares desenvolvidos para o mercado financeiro. Afinal, sem eles seria impossível realizar tantas operações por minuto de forma segura.

Sobre o assunto, conversamos com Jefferson Laatus, trader, CEO e estrategista-chefe do grupo Laatus. Jeferson também é parceiro da Neológica, uma fintech líder nesse mercado e criadora do famoso software Profit. Por sua vez, o Profit é uma plataforma que reúne análise, execução e acompanhamento do mercado financeiro e de capitais.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

A seguir, confira alguns dos principais pontos dessa conversa.

Tecnologia na hora de investir: conhecendo a Laatus

A Laatus é uma empresa educacional, cujo objetivo é profissionalizar o mercado financeiro. Segundo Jefferson, atualmente não há como ser um bom profissional desse mercado sem dispor de uma boa plataforma operacional que ofereça informações de mercado.

Para o CEO, a Neológica é a empresa que melhor supre essa demanda, e a que trouxe a democratização da tecnologia para o mercado financeiro. “Hoje em dia, o mercado financeiro é muito amplo. Quando se pensa em tecnologia na hora de investir, isso permite que o profissional atue em diversos segmentos, como assessoria de investimentos, gestão de fundos, mesa de operações, e assim por diante.”

Por sua vez, a Laatus forma profissionais operadores do mercado financeiro. Nesse sentido, o foco da empresa é mostrar como o mercado funciona, em especial o futuro, que é a especialidade da empresa.

Mudanças trazidas pela tecnologia

Jefferson ressaltou as mudanças pelas quais o mercado passou em termos de tecnologia nos últimos anos. Atuando no mercado financeiro desde 2000, o trader acompanhou toda a transição do pregão viva voz para o eletrônico.

“Assim que ocorreu a migração do viva voz para o eletrônico, as plataformas tecnológicas eram todas importadas e extremamente caras. Isso porque o Brasil ainda não tinha uma plataforma de alta performance que oferecesse toda a tecnologia necessária para as operações. Com o passar do tempo, começaram a surgir tecnologias nacionais e mais acessíveis, democratizando dessa forma as operações”, comenta o CEO.

Atualmente, a Neológica é a líder na tecnologia para investimentos. Tanto para as mesas de operações quanto para os clientes, não é possível imaginar o mercado sem essa tecnologia nos dias de hoje.

Profit: o software do home broker

Até algum tempo, o home broker nas corretoras era uma página na web, que o cliente podia acessar fazendo o login na corretora. Apesar de dar acesso às informações do mercado em tempo real, isso acontecia de forma muito lenta.

A partir da criação de softwares como o Profit, essa realidade mudou. Hoje em dia, ao instalar esse tipo de programa, consegue-se buscar informações de forma muito mais rápida e segura. Inclusive, a Neológica disponibiliza esse programa também como aplicativos para celulares.

Para Jefferson, um dos motivos do crescimento e aceitação do Profit foram as constantes atualizações. “Diferentemente de outros sistemas, a Neológica sempre se preocupou em entender as necessidades dos clientes em relação à tecnologia na hora de investir para aperfeiçoar o software. Dessa forma, o Profit nunca ficou obsoleto. Atualmente, para quem opera no day trade, esse software é o melhor do mercado”, observa o trader.

Espaço para operação na Laatus

De acordo com Jefferson, a Laatus tem o maior escritório de agentes autônomos da América Latina. Nesse sentido, a empresa oferece todas as condições para que os traders tenham uma rotina de operações no local.

“Nossa preocupação foi criar um ambiente controlado, no qual todos os operadores possam trocar ideias e respirar o mercado financeiro”, declara Jefferson. Para ele, o rendimento desses profissionais acaba sendo muito melhor nessa estrutura do que se, simplesmente, estivessem fazendo o trade em casa.

Tecnologia nos investimentos e as perspectivas para o Profit

Segundo Jefferson, ainda há muitas oportunidades de expansão da tecnologia nos investimentos. Para exemplificar, o trader faz uma comparação com o mercado norte-americano.

“Atualmente, já temos quase quatro milhões de usuários na bolsa de valores brasileira. Por outro lado, nos Estados Unidos, são mais de 200 melhor de pessoas que operam na bolsa. Ou seja, ainda estamos engatinhando nesse processo e, por isso, desenvolvemos um grande trabalho de educação financeira na Laatus. Isso porque entendemos que se, lá fora, há tantas pessoas que operam no mercado financeiro, é fruto de educação financeira de base”, diz.