SLC (SLCE3) e Terra Santa (TESA3) têm incorporação aprovada

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação

A SLC Agrícola (SLCE3) e a Terra Santa Agro (TESA3) comunicaram nesta segunda-feira (21) que a aprovação da incorporação de ações foi obtida em assembleias gerais extraordinárias (AGEs) da SLC e Terra Santa ocorridas hoje.

Agora, segundo o aprovado, as questão pendentes foram resolvidas, incluindo a eficácia e consumação da incorporação, condicionada ao término do prazo de 30 dias para o exercício do direito de retirada pelos acionistas dissidentes da Terra Santa, e a conclusão da reorganização societária da Terra Santa, incluindo a concessão de registro de companhia aberta da TS Agro S.A. e o término do prazo de 60 dias para oposição de credores relativo à redução de capital da Terra Santa.

Ambas as empresas ainda informarão sobre o exercício do direito de retirada pelos acionistas titulares de ações de emissão da SLC e Terra Santa que não votaram favoravelmente à incorporação, que se abstiveram de votar ou que não compareceram às respectivas AGEs.

O prazo de 30 dias para o exercício do direito de retirada pelos acionistas dissidentes da Terra Santa se encerrará no dia 22 de julho de 2021.

Alper (APER3) e AgroGalaxy (AGXY3) assinam parceria

A AgroGalaxy (AGXY3) informou hoje que assinou com a Alper (APER3) um Memorando de Entendimentos Não Vinculativo. A parceria, “se consumada”, terá por objeto a exploração e distribuição dos produtos de seguros e benefícios operados pela Alper ao AgroGalaxy.

Nestes produtos estão incluídos seguros de safra, às sociedades do seu grupo econômico, seus clientes e seu mercado de operação.

A consumação da parceria e assinatura dos documentos definitivos “estão sujeitos ao acordo final entre as partes dos seus termos e condições”, ressaltou a AgroGalaxy.

BR Malls (BRML3) retoma shopping em Campo Grande

A BR Malls (BRML3) divulgou nesta segunda que, “seguindo a orientação das autoridades públicas no âmbito das medidas de prevenção da Covid-19”, retomou em 15 de junho último, a operação do Shopping Campo Grande, na capital do Mato Grosso do Sul.

Com isso, a BR Malls voltou a operar com 100% do portfólio aberto, ainda que com restrições de funcionamento.

A companhia informa, ainda, que “mantém os protocolos relativos à sanitização dos referidos empreendimentos, em adição às recomendações das autoridades de saúde com o objetivo de preservar e priorizar a saúde e o bem-estar tanto de nossos clientes e lojistas, como de colaboradores e parceiros.

Nesta segunda (21), Mato Grosso do Sul contabilizava 324.299 casos confirmados de Covid-19, com 7.826 mortos.

CCR (CCRO3) assina acordo com a RuasInvest

A CCR (CCRO3) assinou o Acordo de Acionistas da Concessionária das Linhas 8 e 9 do Sistema de Trens Metropolitanos de São Paulo com a RuasInvest, tendo a interveniência-anuência da ViaMobilidade Linhas 8 e 9.

“O referido acordo reflete os percentuais de participação da CCR (80%) e da RUASINVEST (20%) no Consórcio ViaMobilidade Linhas 8 e 9, que se sagrou vencedor da Concorrência Internacional nº 01/2020, promovida pelo Estado de São Paulo, pormeio da Secretaria dos Transportes Metropolitanos”, informa a CCR.

O Consórcio Via Mobilidade, liderado pela CCR, venceu em abril último o leilão para concessão das linhas das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A oferta foi de R$ 980 milhões. O valor é um ágio de cerca de 202% sobre o valor mínimo.

A concessão prevê investimentos de R$ 3,35 bilhões ao longo do contrato de 30 anos.

Deste valor, R$ 2,6 bilhões serão liberados nos primeiros seis anos. Ao todo, quatro consórcios deram lances.

Locamerica (LCAM3) paga JCP de R$ 48,4 milhões

A Locamerica (LCAM3) procederá ao pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor bruto total de R$ 48.438.407,62.

Tal volume equivale a R$ 0,0956889771 por ação, tendo como data-base a posição acionária de 24 de junho de 2021.

Os JCP serão pagos em 7 de julho de 2021.

Schulz (SHUL3) aprova pagamento de dividendos

A Schulz (SHUL3) autorizou o pagamento de dividendos em forma de JCP, relativos aos resultados já apurados até 31 de maio deste anos.

O valor bruto total é de pouco mais de R$ 8,044 milhões, o que corresponde ao valor bruto de R$ 0,046884868 e líquido de R$ 0,039852138 por ação preferencial; e a R$ 0,042622607 (valor bruto) e R$ 0,036229216 (valor líquido) por ação ordinária.

O crédito correspondente será efetuado em 20 de agosto próximo, com base na posição acionária de 24 de junho de 2021.