SER (SEER3) não exerce direito de compra de unidades educacionais da Ânima

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A SER Educacional (SEER3) e a Ânima comunicaram nesta quarta-feira (13) que nenhuma das duas empresas exerceu suas opções de venda e de compra de 100% das quotas de três unidades educacionais. A questão envolve os centros universitários IBMR, no Rio de Janeiro, e UniRitter e Fadergs, em Porto Alegre.

A Ser poderia comprar esses ativos como contrapartida para retirar os processos arbitrais relacionados à venda da Laureate à Ânima.

Apesar disso, as empresas esclarecem que permanece em vigor o direito de preferência da Ser Educacional na aquisição das referidas mantenedoras, caso a Ânima Educação decida vendê-las. Mas esse direito expirará 30 dias após o fechamento da transação entre a Ânima Educação e a Laureate.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Já a Ser informa que permanece integralmente vigente o direito de preferência, em benefício da Ser, para aquisição de Ritter, Fdergs e IBMR, caso a Ânima decida vender tais entidades a terceiros, nos termos do acordo.

 

Gafisa (GFSA3) conclui aquisição do Hotel Fasano

A Gafisa (GFSA3) informou nesta quarta-feira (13) que concluiu a compra do Hotel Fasano Itaim, incluindo o restaurante, o centro de eventos e 32 “studios”.

Pela transação, a Gafisa pagou R$ 310 milhões à Even Construtora (EVEN3).

Assim, agora a participação da Gafisa Propriedades atinge 80,37% do Hotel Fasano Itaim, e 100% dos 32 apartamentos-studio.

Desta forma, a Gafisa inaugura as atividades da Gafisa Propriedades. Este é o novo braço da empresa voltado para a exploração de gestão de imóveis próprios e de terceiros.

“Assim, a nova empresa permitirá à Gafisa um balanço cada vez mais robusto, diversificando ativos e trilhando novos rumos para complementar os mais de 65 anos de história da companhia”, disse a empresa em fato relevante.

 

Smiles (SMLS3) divulga dados operacionais do 4TRI20

A Smiles (SMLS3) divulgou nesta quarta-feira (13) alguns dados operacionais e não auditados referentes ao 4TRI20.

Segundo a empresa, nos meses de outubro, novembro e dezembro houve recuperações de importantes indicadores de demanda.

O faturamento total da Smiles no 4TRI de 2020, por exemplo, atingiu 84% do apurado um ano antes.

No mês de dezembro, o faturamento ficou em 74% na comparação anual.

A venda bruta de bilhetes entre outubro/dezembro também ficou em 84% na comparação com o mesmo período de 2019.

Já o número de cadastros no quarto trimestre ficou em 57% na mesma base de comparação, porcentual que foi de 70% em dezembro na base anual.

Em outro comunicado, a Smiles convocou uma assembleia geral extraordinária para 5 de fevereiro. Em pauta estará a análise de uma possível abertura de ação de responsabilidade civil contra oito membros do conselho de administração em razão da compra antecipada de passagens aéreas que a Smiles fez em 5 de julho de 2020.

Em dezembro, os fundos Samba Theta e Centauro I, minoritários da Smiles, solicitaram a realização da assembleia questionando a compra de passagens pelo valor de R$ 1,2 bilhão, alegando que elas prejudicaram o caixa da Smiles.

Assim, segundo os fundos, a operação serviu apenas para transferir recursos do caixa da Smiles para sua controladora, a Gol.