Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta quinta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar corporativo desta quinta-feira (17) destaca que o Magazine Luiza (MGLU3) pode entrar na disputa pelos Correios, em um eventual processo de privatização da estatal.

O Carrefour (CRFB3) obteve autorização do Cade para a aquisição de 30 lojas do Makro. A Sequoia (SEQL3) estabeleceu faixa de preço indicativa para seu IPO. Veja mais notícias.

Radar: mercados

Os mercados globais estão em baixa, prioritariamente, na manhã desta quinta-feira. Repercutem as decisões dos bancos centrais pelo mundo todo. O Federal Reserve, dos Estados Unidos, manteve tudo igual e afirmou que as taxas de juros ficam entre zero e 0,25% até pelo menos 2023.

Conheça os Fundos Imobiliários para investir em Outubro

O Banco do Japão (BoJ) também manteve a política monetária estável, com juros a -0,10%.  Para hoje é aguardada a decisão do Banco da Inglaterra (BoE). A expectativa é por manutenção da política monetária.

Nos EUA, saem os novos pedidos por seguro-desemprego, que devem se manter pela terceira semana seguida abaixo de 1 milhão. A projeção é por 850 mil reivindicações, ante 884 mil da semana passada.

Destaque no Brasil

No Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve a taxa básica de juros (Selic) em 2%, como o aguardado. Isto ocorre após nove cortes seguidos.

Confira principais Ações para investir em Outubro

Ontem, a bolsa de valores fechou em baixa de 0,47%, aos 99.675,68 pontos. A Vale (VALE3) caiu forte, com a baixa no preço do minério de ferro.

Veja as cotações às 8h50:

  • S&P: -1,23%
  • Nasdaq: -1,95%
  • Dow Jones: +0,12%

Confira aqui a cobertura completa sobre a abertura dos mercados.

Radar: destaques corporativos

Confira as notícias das empresas.

Magazine Luiza (MGLU3) pode disputar Correios

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que o Magazine Luiza está entre as cinco empresas que manifestaram interesse no Correios, em uma eventual privatização. Outras empresas mencionadas por ele foram a Amazon, a DHL e o Fedex.

Carrefour (CRFB3): Cade aprova aquisição de lojas do Makro

O Carrefour  anunciou que a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição de 30 lojas operadas pela rede Makro.

Sequoia (SEQL3) pode levantar R$ 1,123 bi em IPO

A Sequoia Logística e Transportes definiu a faixa indicativa de preços referente a sua oferta pública inicial de ações (IPO). As ações serão precificadas entre R$ 14,25 e R$ 17,75. Caso a oferta fique no meio da faixa indicativa, no valor de R$ 16, a companhia poderá levantar R$ 1,123 bilhão com a oferta.

BRF (BRFS3) precifica senior notes de até 30 anos

A BRF (BRFS3) precificou uma oferta no exterior de senior notes, no valor de US$ 500 milhões. Elas têm vencimento em 21 de setembro de 2050, remuneradas à taxa de 5,750% ao ano. Além disso, caberá o pagamento de juros semestrais a partir de 21 de março de 2021.

GPA (PCAR3) e Assaí

O Grupo Pão de Açúcar, GPA (PCAR3), já tinha intenção de separar a marca Assaí e listá-la em bolsa, mas as condições não era tão favoráveis como agora, aponta o Valor.

O mercado de capitais está com demanda aquecida por novas companhias. O Assaí vem em expansão acelerada. E a estratégia de vendas digitais do GPA começa a ter bons resultados, o que ajuda a não deixar a empresa “esvaziada”.

Bradesco (BBDC4) vende crédito podre a rivais

O Bradesco (BBDC4) vendeu mais de R$ 4 bilhões em carteiras de empréstimos vencidos e não pagos a empresas como Recovery, do Itaú Unibanco, e Ativos, do Banco do Brasil, sedo que esta última levou cerca de R$ 2 bilhões, informa o Estadão.

Revendas da Ambev (ABEV3) aumentam vendas

A Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas de Logística da Distribuição (Confenar), relatou crescimento de 8,2% em suas vendas no acumulado do ano até agosto. No mês passado, aumento foi de 35%.

BNDESpar esclarece sobre financiamento à Gol (GOLL4)

Questionado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o BNDESpar confirmou notícia veiculada no jornal O Globo sob o título “Gol recebe proposta de financiamento do BNDES”.

A companhia informou que não publicou fato relevante sobre o programa de auxílio pois não é acionista da Gol, bem como não possui qualquer valor mobiliário negociado no mercado.

Copel (CPLE6) define preço de venda da Copel Telecom

O conselho de administração da Companhia Paranaense de Energia, Copel (CPLE3 CPLE5 CPLE6) autorizou a publicação do edital do leilão de desinvestimento da Copel Telecomunicações.

O preço mínimo do desinvestimento será de R$ 1,41 bilhão para o Equity Value. O leilão ocorre dia 9 de novembro.

A companhia informou ainda que sua subsidiária integral Copel Geração e Transmissão pagou juros aos seus debenturistas no último dia 15. Receberam os titulares das debêntures da 5ª Emissão, de série única.

Notre Dame (GNDI3) aumenta capital

A Notre Dame Intermédica (GNDI3) aprovou o plano de aumento de capital social da empresa. O aumento foi de R$ 120,221 milhões, com a subscrição de 6.094.325 ações ordinárias.

Rede Energia (REDE3): suspensa a realização de OPA

Em agosto, a Rede Energia (REDE3), subsidiária da Energisa (ENGI11), havia comunicado a decisão da Superintendência de Registro da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para que a Energisa realizasse oferta pública de aquisição de ações (OPA).

Mas a empresa recorreu e, ontem (16), foi concedido efeito suspensivo da decisão, até julgamento do recurso.

CCR (CCRO3) tem alteração em acordo de acionistas

A CCR (CCRO3) informou que foi consolidada a sexta alteração do acordo de acionistas da concessionária do RodoAnel Oeste.

Desse modo, a alteração foi realizada entre a controlada da CCR, Infra SP e a Encalso Construções.

RNI (RDNI3) vende fatia de 25% na SPE Goiânia I, por R$ 56,5 mi

A RNI (RDNI3), Rodobens Negócios Imobiliários, aprovou a venda de 25% da subsidiária Sistema Fácil, Incorporadora Imobiliária Goiânia I, a SPE Goiânia I, para a Rodobens Corporativa. O valor total do negócio foi de R$ 56,530 milhões.

CVC (CVCB3) destitui diretor

A CVC (CVCB3) informou que destituiu do cargo de diretor Ricardo Pinheiro Paixão. Ele era diretor sem designação específica da CVC.

Itaú (ITUB4) chega a 500 mil acionistas

O Itaú Unibanco (ITUB4) informou que atingiu a marca de 500 mil acionistas, refletindo um crescimento de 108% desde o final de dezembro de 2019.

Ser Educacional (SEER3) informa alteração acionária

A Ser Educacional (SEER3) comunicou alteração na participação acionária da acionista Oceana Investimentos.

A acionista realizou parte da venda de ações de emissão da Ser, desse modo, passou a deter 5.863.794 ações ordinárias. Em termos percentuais isso representa 4,56% das ações emitidas pela Ser.

Invepar (IVPR4B) se posiciona sobre decisão judicial

A Invepar (IVPR4B) e sua controlada Linha Amarela (LAMSA) informaram que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) suspendeu as decisões liminares que impediam a encampação da concessão da via expressa Linha Amarela. A mesma é objeto de contrato entre a LAMSA e a Prefeitura do Município do Rio de Janeiro. Cabe recurso.