PMI composto e de serviços dos EUA caem; industrial sobe

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Freepik

O PMI, que na sigla em inglês significa Índice dos Gerentes de Compras, ficou abaixo do esperado pelo mercado nos Estados Unidos, com exceção do indicador industrial.

O primeiro ficou em 59,7 pontos, enquanto serviços registrou 59,8 pontos.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

A projeção era de 62 pontos no industrial e de 64,8 pontos em serviços. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (23).

Já o setor industrial atingiu 63,1 pontos, acima da projeção, que era de 61,8 pontos.

Acima dos 50 pontos significa que há crescimento da atividade. Abaixo disso, indica queda.

Pela segunda vez, os índices composto e de serviços ficaram abaixo do mercado. O mesmo ocorreu na pesquisa divulgada no último dia 6. A pesquisa foi divulgada pelo IHS Markit.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

PMI

Fonte: IHS Markit

PMI: indicador composto fica em 59,7 em julho

O indicador do índice composto fechou o mês de julho em 59,7 pontos em julho, abaixo dos 63,7 pontos observados no mês anterior. De acordo com a pesquisa, a taxa de produção registrou o ritmo mais lento de crescimento em quatro meses.

Apesar disso, foi registrada uma ligeira aceleração na ritmo de expansão da produção. Com isso, as empresas do setor privado continua a sinalizar um aumento substancial de novos negócios.

Chris Williamson, economista-chefe de negócios da IHS Markit, disse que os dados de julho apontam para o ritmo de desaceleração do crescimento pelo segundo mês consecutivo.

Taxa de serviços fica em 59,8 pontos

O levantamento mostrou que o índice ligado ao setor de serviços, registrou 59,8 em julho, abaixo dos 64,6 pontos observados em junho.

Para o IHS, isso indica que a taxa de expansão desacelerou mais uma vez do recorde de maio, mas permaneceu substancial em geral.

Há uma perda momentânea de crescimento. As empresas vincularam essa retração ao à escassez do mercado de trabalho entre outros fatores.

As empresas de serviços indicaram um forte aumento no custo em julho, em meio a altas nos preços dos fornecedores e uma maior necessidade de contratar trabalhadores adicionais.

Industrial sobe

Quanto ao indicador industrial, o segmento obteve um aumento mais intenso em novos pedidos. Além disso, os clientes já atendidos ampliaram sua demanda. Isto apoiou o resultado de 63,1 pontos em julho frente aos 62,1 pontos do mês anterior.

O ritmo de expansão da produção acelerou para um dos movimento mais intensos dos últimos sete anos, de acordo com o levantamento. Isto ocorre apesar dos relatos de escassez de matéria-prima.