Petrobras (PETR4) tem queda de 5% na produção de petróleo, gás e LGN no 1TRI

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.

Crédito: Agência Brasil

A Petrobras (PETR4 PETR3) divulgou nesta terça-feira (27) que a produção média de óleo, LGN e gás natural no primeiro trimestre deste ano foi de 2,77 milhões de boed, uma diminuição de 5% em relação ao mesmo período de 2020.

Conforme a Petrobras, o desempenho foi devido, principalmente, aos desinvestimentos concluídos ao longo de 2020 e início de 2021 e ao declínio natural de produção, que teve uma média de 11% nos projetos que já atingiram o seu pico de produção e entraram na fase de declínio.

Na comparação com o quarto trimestre de 2020, a produção subiu 3,1%.

A manteve um sólido desempenho operacional, mesmo com o agravamento da pandemia da COVID-19 no Brasil.

Nos campos do pré-sal, a produção totalizou 1,567 milhões de boed no primeiro trimestre, alta de 1,6% em relação ao mesmo período de 2019.

Já em relação ao quarto trimestre deste ano, o avanço foi maior, cerca de 7,0%.

A produção de óleo do pós-sal em águas profundas e ultraprofundas atingiu 521 mil boed no período, uma queda de 16% na comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Na comparação com o quarto trimestre de 2020, a produção caiu 6,3%.

A produção de terra e águas rasas no primeiro trimestre foi de 109 Mbpd, 5 Mbpd inferior ao trimestre anterior, principalmente em função do desinvestimento do campo de Baúna, na Bacia de Santos.

Pré-sal

Os campos do pré-sal, entre os quais se inclui o de Atapu, responderam por 69% da produção no período. Nos primeiros três meses do ano passado, eles produziram 63% do total.

“Apesar da continuidade do cenário de contingência, temos conseguido operar com segurança e eficiência e manter um bom desempenho”, registra o relatório.

O documento aponta alguns fatores que influenciaram a queda nos volumes produzidos. Houve declínio natural da produção em 11% dos projetos da estatal que já haviam atingido o pico.

Além disso, o relatório revela que os campos em terra e águas rasas tiveram produção 30,6% inferior ao primeiro trimestre de 2020. Esses campos têm sido um dos principais alvos de desinvestimentos da estatal.

Refino

O volume de produção total atingiu 1,821 milhões de bpd no primeiro trimestre de 2021. Isso representa uma queda de 0,8% em relação ao mesmo período de 2020.

Enquanto o volume de vendas subiu 2,3%, totalizando 1,667 milhões de bpd.

De acordo com a Petrobras, as vendas no primeiro trimestre de 2021 apresentaram queda em relação ao quarto trimestre de 2020 devido à sazonalidade do período e aos impactos decorrentes da intensificação das medidas restritivas.

Produção de diesel e gasolina sobem

As vendas de diesel foram 20% superiores ao primeiro trimestre de 2020, atingindo 732 milhões de bpd.

A produção de diesel totalizou 717 milhões de bpd, alta de 7,7% em relação ao primeiro trimestre de 2020.

Já o volume de vendas e produção de gasolina subiu 3,8% e 4,8%, respectivamente, no primeiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo trimestre de 2020.

A produção de óleo combustível caiu 3,8% no período quando comparado ao primeiro trimestre de 2020.

As vendas de gasolina somaram 330 mil barris por dia. O óleo combustível registrou 41 mil barris vendidos por dia. O crescimento, segundo o relatório, reflete maiores vendas para geração de energia termelétrica.

A pandemia de covid-19 foi apontada como principal fator que influenciou a queda na comercialização de querosene de aviação (QAV).

No primeiro trimestre de 2021, a companhia vendeu 112 mil barris por dia. A queda foi de 35% em relação ao mesmo período de 2020.

Os impactos decorrentes da pandemia, entre elas a redução do volume de viagens áreas, começaram a ser sentidas no Brasil em março do ano passado, no final do primeiro trimestre.

*Com Agência Brasil