Pai Rico, Pai Pobre: as maiores lições deste best seller

Giovanna Castro
Jornalista formada pela UNESP.
1

Crédito: Pai Rico, Pai Pobre é um livro de Kiyosaki Robert T -Foto: Reprodução

O livro Pai Rico, Pai Pobre, de Robert  T. Kiyosaki, é um best seller que mantém a sua relevância mesmo 20 anos após seu lançamento.

Nele, o autor critica o fato de a escola não preparar as crianças para o mundo real, explica que um emprego estável não garante riqueza financeira e fala sobre os principais comportamentos e conceitos que levam uma pessoa a ser rica e outra não.

Para isso, ele apresenta um “pai rico” e um “pai pobre”, mas, quebra possíveis pré julgamentos sobre eles. Com uma narrativa envolvente e simples, o livro mostra que a riqueza vai além do dinheiro. Está na sabedoria, na tranquilidade financeira e, principalmente, no modo de ver as coisas.

Saiba mais sobre contratos de mini-índice ou minicontratos.

Por isso, é importante deixar de lado qualquer crença limitante que se possa ter sobre dinheiro. Geralmente, essas crenças vêm do âmbito familiar. Como, por exemplo, que dinheiro é algo que só vem com muito esforço. Ou que você nunca vai ser rico, porque não nasceu em “berço de ouro”.

Enquanto o “pai pobre” diz ao filho que “o amor ao dinheiro é a fonte de todo o mal”, o pai rico diz que “a falta de dinheiro é a raiz de todos os males”, por exemplo.

Pai Rico, Pai Pobre  é uma das leituras recomendadas pelos especialistas da EQI Investimentos. Obras que eles leram, gostaram e indicam.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Pai Rico, Pai Pobre é sobre sair da “corrida dos ratos”

Segundo Kiyosaki, a maioria das pessoas levam uma rotina de trabalho que ele chama de “a corrida dos ratos”. Ela começa desde o primeiro emprego, quando a pessoa ganha seu salário e, no mesmo momento, gasta todo o seu dinheiro em uma série de despesas essenciais e alguns bens supérfluos, esgotando rapidamente todo os seus recursos.

Ao receber uma promoção, essa pessoa tende a gastar o salário extra em mais despesas essenciais e bens supérfluos. Ela não se preocupa em gerar riqueza com esse dinheiro e ai está o principal fator de desgaste financeiro.

Isso é um padrão mental em relação à vida financeira, passado de geração em geração. Ou seja, independe do quanto a pessoa ganha, mas sim de seu comportamento ao apenas se preocupar com o agora.

O autor recomenda que quem está nessa situação saia dela o quanto antes. Dessa forma, o livro detalha então os principais caminhos para sair dessa rotina de “corrida dos ratos” e se tornar um “pai rico”.

Entre esses passos, está buscar se educar financeiramente, aprender como funciona o dinheiro e o mercado financeiro. Além disso, Kiyosaki é categórico: nunca pare de estudar. Afinal, para ele, investir em educação é investir em si mesmo e, por isso, nunca se enquadra como um gasto.

  • Clique aqui para comprar na Amazon Pai Rico, Pai Pobre 

Diferença entre passivos e ativos

Um dos ensinamentos de Pai Rico, Pai Pobre é saber diferenciar bens passivos, de ativos. Em resumo, os bens ativos são todos aqueles que te trazem rentabilidade ou lucro ao longo do tempo. Ou seja, aqueles que colocam dinheiro no seu bolso. É o caso de ações e outros investimentos.

Já os passivos são aqueles bens que tiram dinheiro do seu bolso, te trazem despesa e/ou se desvalorizam com o tempo. Esses podem ser carros, roupas, itens de consumo em geral.

Assim, o segredo para o sucesso financeiro está em deixar de comprar bens passivos (ou, pelo menos, diminuir ao máximo) e começar a investir mais em ativos. Dessa forma, você deixa de só trabalhar pelo dinheiro para colocá-lo para trabalhar por você também.

E aí está mais uma crítica que o autor faz sobre o modelo de educação tradicional. As escolas ensinam as pessoas a trabalharem para obter dinheiro e não como fazer esse dinheiro trabalhar para elas.

Comece cedo

Outro aprendizado importante de Pai Rico, Pai Pobre, é que, quanto antes começar a construir sua riqueza, mais sucesso você terá. Quanto antes você souber planejar sua vida financeira, mais fácil ficará alcançar seus objetivos.

Mas, ele lembra também que nunca é tarde demais. O segredo é começar agora e, segundo ele, entender a sua responsabilidade, parando de reclamar e agindo.

Isso se aplica não só sobre à educação financeira, mas também ao empreendedorismo. O livro explica como esse pensamento é importante para que as pessoas construam coisas e se tornem protagonistas de suas próprias vidas.