Oceana Offshore protocola pedido de IPO

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/ Grupo CBO

A Oceana Offshore protocolou na última sexta-feira (7) pedido de registro para oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

Conforme o prospecto, a oferta prevê distribuição primária e secundária de ações ordinárias, com listagem no segmento Novo Mercado da B3.

Os coordenadores da oferta são BTG Pactual, Bradesco BBI, Citi, Santander, XP Investimentos, BB Investimentos e Banco ABC.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Sobre a Oceana

A Oceana Offshore, em conjunto com suas controladas (Grupo CBO), atua no setor de apoio marítimo à indústria de exploração e produção offshore de óleo e gás natural em operações de alto grau de complexidade.

De acordo com o prospecto, o grupo conta com a segunda maior frota de embarcações de apoio marítimo no país, que possuem características tecnológicas adequadas e prontas para operar junto ao setor de exploração e produção.

Além disso, o Grupo CBO acredita ter iniciado, em 2019, um novo ciclo de crescimento, que será pautado pela aquisição de embarcações existentes (e já operacionais) visando a atender ao representativo aumento de demanda por embarcações de apoio que acreditamos que irá ocorrer no Brasil em virtude da exploração do pré-sal.

oceana ipo

Composição acionária

O capital social da Oceana é de R$ 1,137 bilhão, dividido em 130,8 milhões de ações ordinárias.

Os acionistas da companhia são Vinci Partners e Pátria, ambas com 40%, e o BNDESPar, com 20%.

Lucratividade da Oceana

O Ebtida ajustado do grupo totalizou R$ 470,8 milhões no primeiro semestre de 2020. No primeiro semestre de 2019 foi de R$ 370,8 milhões.

A margem Ebtida ajustado atingiu 70,3% no primeiro semestre de 2020, ante 68% em igual período de 2019.

A receita líquida somou R$ 1,1 bilhão em 2019 e R$ 669,3 milhões no primeiro semestre de 2020.

Riscos

A oceana destacou os principais riscos relacionados a companhia e a oferta, são eles:

  • rebaixamento na classificação de crédito do Brasil;
  • intervenções governamentais, resultando em alteração na economia, tributos, tarifas, ambiente regulatório ou regulamentação no Brasil;
  • alterações nas leis e nos regulamentos aplicáveis ao setor de atuação da Companhia, bem como alterações no entendimento dos tribunais ou autoridades brasileiras em relação a essas leis e regulamentos;
  • alterações nas condições gerais da economia, incluindo, exemplificativamente, inflação, taxas de juros, câmbio, nível de emprego, crescimento populacional, confiança do consumidor e liquidez dos mercados financeiro e de capitais;
  • impossibilidade ou dificuldade de viabilização e implantação de novos projetos de desenvolvimento e prestação de nossos serviços;
  • condições que afetam nosso setor de atuação e a condição financeira de nossos principais clientes;
  • a mudança no cenário competitivo no nosso setor de atuação;
  • fatores negativos ou tendências que podem afetar nossos negócios, participação no mercado, condição financeira, liquidez ou resultados de nossas operações;
  • capacidade da Oceana de contratar novos financiamentos e executar o nosso plano de expansão

Destinação dos recursos

De acordo com a Oceana, os recursos captados serão direcionados para o desenvolvimento de seu plano de crescimento por meio da aquisição de embarcações, atualização e adequação de sua frota atual e ampliação da da sua participação de mercado através da aquisição de empresas do mesmo setor.