Nikola Tesla: quem foi o homem que deu nome à revolucionária marca?

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Wikipedia

Quando falamos em Tesla, muitos pensam imediatamente na marca mega valiosa de carros elétricos. Ou então em Elon Musk, CEO da empresa e segundo homem mais rico do mundo, certo? Porém, poucos conhecem a história do grande gênio que deu nome à companhia: Nikola Tesla.

O curioso é que essa falta de reconhecimento também o acompanhou durante boa parte de sua vida. Tido por muitos como o “gênio mais injustiçado da história”, Nikola deixou um grande legado científico que, em grande parte, foi atribuído a outros inventores.

As invenções de Tesla proporcionaram muitas das facilidades tecnológicas que temos hoje em dia. A seguir, saiba mais sobre a história e descobertas desse visionário que transformou a tecnologia.

Quem foi Nikola Tesla?

De origem sérvia, Nikola Tesla nasceu em 1856 em um pequeno vilarejo do império austríaco, região que, atualmente, pertence à Croácia. Desde cedo, deu mostras de sua inteligência superior. Diz-se que, no ensino médio, por exemplo, era capaz de executar cálculos integrais de cabeça.

A memória de Tesla também era privilegiada, quase fotográfica segundo registros.  Isso porque ele tinha o dom de lembrar de livros inteiros e imagens em seus mínimos detalhes. Por isso, não foi surpresa o fato de terminar o ensino médio muito cedo.

Há muitas controvérsias em relação a aspectos pessoais de sua biografia. Um deles diz respeito à sua formação acadêmica, pois muitos afirmam que Tesla não concluiu a faculdade de Engenharia Elétrica. Além disso, muitos registros de seus inventos foram perdidos e, até mesmo, entregues por Tesla como pagamento de dívidas. Por isso, daremos foco ao seu trabalho e às suas descobertas conhecidas mais importantes. Acompanhe!

Chegada de Tesla nos Estados Unidos

Acredita-se que Tesla tenha chegado nos EUA por volta de 1880. Com pouco dinheiro, sobrevivia de pequenos trabalhos, até ser contratado anos mais tarde pela Edison Machine Works, empresa de Thomas Edison.

Tempos depois na empresa, Tesla disse a Edison que poderia melhorar a eficiência dos seus motores de corrente contínua. Edison não só concordou com o jovem funcionário, como ofereceu cerca de US$ 1 milhão (em valores de hoje) por esse trabalho.

Diante dessa oferta, Nikola Tesla cumpriu o que prometeu. Ou seja, redesenhou todos os motores e acabou com os problemas, deixando-os mais seguros e eficientes. Inclusive, o seu trabalho ainda é utilizado hoje em dia, em eletrodomésticos, sistemas de notificação de celulares e, até mesmo, nos motores dos carros Tesla, por exemplo.

Quando solicitou o pagamento a Edson, Tesla teve uma surpresa. Isso porque o empregador disse que o valor prometido não passava de uma brincadeira, e lhe ofereceu um pequeno aumento como retribuição. Consternado, Tesla deixou a Edison Machine para prosseguir sozinho com os seus projetos.

Corrente contínua x corrente alternada

Naquela época, os estudos sobre eletricidade tomavam cada vez mais força. Dessa forma, Tesla não teve dúvidas: juntou todos os seus recursos e colocou a sua energia no desenvolvimento da corrente alternada. Para obter dinheiro para sua pesquisa, o inventor começou a trabalhar como operário, cavando valas e ganhando muito pouco.

No entanto, pouco tempo depois, conseguiu formar uma parceria com George Westinghouse para o desenvolvimento da sua corrente alternada. Isso fez com que rivalizasse diretamente com Thomas Edison, criador da corrente contínua que era apoiada pela General Eletric.

Em relação à corrente contínua, tratava-se de um sistema mais caro, pois não conseguia transmitir eletricidade a longas distâncias sem que tivesse uma usina elétrica em cada ponto de distribuição. Outro ponto negativo também eram os raios formados por esse sistema, que colocavam em risco a vida da população.

Por outro lado, o sistema desenvolvido por Tesla demandava estrutura física mais simples, com cabos de transmissão mais finos e mais baratos. Além disso, a corrente alternada tinha voltagens mais altas e conseguia transmitir energia a longas distâncias. Pela patente desse estudo, Tesla recebeu um cheque de US$ 1 milhão da Westinghouse, mais US$ 2,50 por hp gerado.

Porém, isso não foi suficiente para reequilibrar as finanças do inventor. Isso porque, pouco tempo depois, a Westinghouse teve sérios problemas de gestão e quase entrou em falência. Pensando nas centenas de pessoas que ficariam desempregadas, Tesla acabou não descontado o cheque recebido pelos royalties de seus trabalhos.

O reconhecimento de Nikola Tesla

Depois de muitas disputas e difamações sofridas (principalmente por Thomas Edison), Tesla finalmente conseguiu comprovar a superioridade de sua corrente alternada.

Isso aconteceu na Feira Mundial de Chicago, em 1893. O evento tinha como objetivo principal mostrar a capacidade industrial e o potencial de inovação tecnológica norte-americana. Durante a feira, Tesla realizou uma exposição da corrente alternada que acabou com as controvérsias geradas por seu rival. Isso fez com que a Westinghouse ganhasse o contrato para iluminar todo o evento. Com o passar do tempo, a corrente alternada acabou se tornando o padrão de iluminação de todos os locais do mundo que tinham energia elétrica.

Anos depois, em 1996, Marc Seifer descreve a apresentação de Tesla na biografia que escreveu sobre o inventor:

A exibição de Tesla, que ocupou parte do espaço da Westinghouse, contava com diversos dispositivos de corrente alternada em fase inicial de desenvolvimento, incluindo motores, armaduras, geradores e placas fosforescentes de eletricistas notáveis, como Helmholtz, Faraday, Maxwell, Henry, e Franklin, e uma placa do poeta favorito sérvio dele, Jovan Zmaj Jovanovich. Tesla também mostrou tubos de vácuo iluminados por meio de transmissão sem fio, o seu ovo de Colombo rotatório, folhas de luz criadas por descarga de alta frequência entre duas placas de isolamento, e outros sinais de neon que mostravam “Westinghouse” e “Bem-vindo, eletricistas”. As duas últimas amostras “produziam o efeito de uma descarga atmosférica modificada… acompanhada de um barulho ensurdecedor semelhante.” Esta foi, provavelmente, uma das mais sensacionais atrações vistas na instalação, já que o barulho poderia ser ouvido em qualquer lugar, e a luz do relâmpago era bastante brilhante.”

O embate entre Edison e Tesla é descrito também no filme A Batalha das Correntes, de 2017.

Outras invenções de Nikola Tesla

A contribuição de Nikola Tesla para a ciência vai muito além da corrente alternada. No entanto, ele não recebeu crédito por muitos inventos que desenvolveu.

A seguir, confira algumas dessas invenções:

Raio X

Oficialmente, a descoberta do raio X é atribuída a Wilhelm Rötgen, cientista alemão que recebeu o Nobel de Física em 1901 por esse invento. No entanto, há evidências de que Tesla já estudava a respeito. Porém a sua pesquisa foi interrompida anos antes, em 1895, por causa de um incêndio em seu laboratório.

Após publicar a sua descoberta, Rötgen chegou a ajudar Tesla a desenvolver o seu próprio raio X. Dessa forma, Nikola foi o primeiro na América a criar uma imagem raio X. O que se sabe de fato é que as imagens produzidas por Tesla tinham melhor definição do que as da máquina deRötgen.

Rádio

A autoria dessa invenção também é controversa. Isso porque o mesmo incêndio ocorrido em 1895 também teria destruído um teste que Tesla finalizava para realizar uma transmissão de rádio.

Um ano depois, Guglielmo Marconi, um italiano que trabalhava na Inglaterra, desenvolveu um sistema de transmissão sem fio. Porém era bastante inferior ao de Tesla, pois não conseguia transmitir ondas em grandes distâncias.

Em 1897 Tesla solicitou a patente de sua invenção, a qual foi concedida em 1900. Também em 1900, Marconi quis patentear o seu invento, porém isso lhe foi recusado, pelo fato de ser muito semelhante ao de Tesla. Tempos depois, o italiano acabou fundando a sua própria empresa, com dois apoiadores importantes: Thomas Edison e Andrew Carnegie.

Em 1901, Marconi realizou a primeira transmissão transatlântica da história. Para isso, utilizou várias patentes de Tesla, entre elas o Oscilador Tesla. Inexplicavelmente, em 1904 o órgão que concedeu a patente a Nikola reverteu a decisão e a deu a Marconi. Ao receber o Nobel pela invenção do rádio em 1911, Guglielmo foi processado por Nikola Tesla. No entanto, a questão se arrastou até pouco tempo depois da morte de Tesla. Finalmente, o Supremo Tribunal dos EUA reconheceu Nikola Tesla como o inventor do rádio em 1943.

Motor de indução elétrica

Esse tipo de motor utiliza corrente alternada, e é reconhecido por sua durabilidade, baixo custo e facilidade de operar. Nesse caso, Tesla conseguiu registrar a patente, apesar de Galileo Ferrari também ter trabalhado na descoberta de tecnologia semelhante.

Atualmente, o motor de indução elétrica ainda tem várias aplicabilidades no dia a dia. Nesse sentido, alguns exemplos são ferramentas elétricas, aspiradores de pó e secadores de cabelo.

Tele-autómato

O tele-autómato era um barco controlado por ondas de rádio. Nesse sentido, Nikola conseguia controlar o equipamento por meio de ondas de rádio que atuavam diretamente sobre a bateria.

Essa invenção fez com que Tesla inovasse em três diferentes aspectos da tecnologia. O primeiro deu origem ao controle remoto que utilizamos no dia a dia, ao permitir que comandasse o barco por meio de ondas. O segundo precedeu a robótica, já que o barco operava sem comando presencial. E, por último, a combinação entre os dois anteriores fez do tele-autómato o precursor dos atuais drones.

Bobina de Tesla

Nikola Tesla criou essa bobina em 1890, para utilizá-la em diversas pesquisas que fazia na época, entre elas o raio X. Trata-se de um transformador elétrico que trabalha por meio de corrente alternada, produzindo eletricidade com alta voltagem e baixa corrente.

Atualmente, essa bobina pode ser vista em museus, e é utilizada para fins educacionais e de entretenimento. Sua grande contribuição foi ter ajudado cientistas a compreender e utilizar a eletricidade.

Algumas outras contribuições importantes de Nikola Tesla foram o aperfeiçoamento das lâmpadas néon e as criações do transmissor de ampliação e da turbina Tesla. No entanto, estima-se que existam dezenas de outros inventos cujos registros foram perdidos ou apropriados com o passar dos anos.