Money Week: Júlia Wazlawic fala de resiliência e oportunidade em fundos imobiliários

Ana Silveira
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Money Week

Júlia Wazlawick, embaixadora da Necton Investimentos, foi uma das palestrantes do Money Week, evento on-line gratuito que termina nesta sexta-feira (29).

O tema apresentado pela criadora do DescomplicaJu foi fundos imobiliários.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O que são Fundos Imobiliários?

Se você for um investidor iniciante, pode estar se perguntando o que são fundos de investimento imobiliário ou FIIs. Julia Wazlawick explica que são como  se fossem um condomínio de investidores que juntam recursos e aplicam em conjunto no mercado imobiliário.

“A partir deste momento, o lucro obtidos com essas operações é distribuído aos participantes, na proporção do investimento de cada um deles”. Ou seja,  com os fundos, é  possível viver do dinheiro de aluguel de imóveis sem ter que se preocupar com condomínio, IPTU e ainda sem ter a necessidade da compra de um imóvel.

Como investir nos FIIs?

Os Fundos Imobiliários se propõem a formar um patrimônio e, com isso, investir em imóveis. O fundo pode ser usado para construir ou comprar imóveis que, depois, serão vendidos ou locados.

Mas como eu invisto neles e o que devo analisar?

“Os Fundos Imobiliários são identificados no pregão pelo ticker, um código que consiste em quatro letras maiúsculas seguidas do número onze. Mas tome cuidado: nem sempre tickers com final onze são de Fundos Imobiliários. Então, é sempre bom confirmar o nome do ativo antes de entrar”, orienta Júlia.

Quem investe em Fundos Imobiliários está sujeito a custos, ou seja, você deve pagar pelo serviço de administração e gerenciamento, por meio de uma taxa de  administração dos Fundos Imobiliários. Também pode ter uma taxa de performance, que é calculada com base no desempenho do fundo.

A embaixadora da Necton Investimentos alerta quanto à importante de ter conhecimento e informação de qualidade antes de optar por um fundo. “É um grande erro querer comprar uma cota de um fundo imobiliário com base apenas no código e na opinião dos outros”, ela diz.

Veja dicas para escolher Fundos Imobiliários

O primeiro passo para decidir qual fundo imobiliário escolher é olhar para o setor em que ele opera. Ainda segundo a explicação de Júlia, existem fundos de tijolo, que investem em galpões logísticos, moradias, shoppings e hospitais. E há os fundos de papel, que são atrelados aos CRIs (Certificado de Recebíveis Imobiliários), ligados ao setor imobiliário.

Desempenho dos FIIs durante a pandemia

Segundo Júlia, os Fundos Imobiliários tiveram desempenhos diversos durante a crise de Covid-19.

“Os desempenhos dos fundos de shoppings centers antes da pandemia tiveram um passado glorioso, mas durante a crise, tiveram perda pelo fechamento dos shoppings e o distanciamento social. Por  outro lado, durante a pandemia passamos a comprar várias coisas na internet e isso impulsionou os Fundos Imobiliários de armazéns logísticos que cresceram por conta do e-commerce”.

Portanto, ela orienta novamente, é necessário análise e boa informação. “O ideal é realizar um estudo de caso a caso e entender o contexto econômico antes de comprar uma cota de um fundo”, afirma.

Futuro dos FIIs

O mercado ainda vive um momento desafiador devido à pandemia, mas os fundamentos dos Fundos Imobiliários continuam sólidos, analisa Julia.

Ela cita como aspectos positivos a aceleração do cronograma de vacinação e a volta das atividades dos shoppings e escritórios. “Temos os juros aumentando, é verdade. Mas, comparando com anos anteriores, tínhamos uma Selic muito maior. Então, já estamos em um momento diferente de mercado”, avalia.

Leia também: Como ter renda passiva via dividendos de FIIs