Money Week: Gustavo Cerbasi debate planejamento e proteção patrimonial

Ana Silveira
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Money Week

A necessidade de ter planejamento financeiro e adquirir novos hábitos para atingir metas em 2022 foi tema de painel nesta quarta-feira (27) na Money Week.

O evento, online e gratuito, segue até sexta-feira (29) e você pode participar, assistindo a todos os painéis. Para tanto, basta fazer seu cadastro, clicando aqui.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Para debater o assunto, foram convidados Gustavo Cerbasi, especialista em educação financeira, autor de diversos livros na área, e André de Brito Iziquiel, head de parcerias da Metlife.

Iniciando a conversa, Cerbasi advertiu os investidores, iniciantes ou não, de que não existe “investimento do momento”, mas, sim, ativos adequados para cada perfil e para cada momento da vida.

“Não adianta nada eu ter o perfil arrojado, se eu não tenho a minha reserva de emergência”, ele ensina.

A reserva a que Cerbasi se refere é uma quantia poupada (e devidamente investida em ativos seguros e com liquidez) que atenda às necessidades básicas do investidor e de sua família caso alguma emergência aconteça. O ideal é que a reserva atenda a um mínimo de três meses de sobrevivência diante de qualquer fato inesperado, como desemprego ou doença, por exemplo.

Cerbasi

Gustavo Cerbasi /Reprodução/Money Week

Além da reserva de emergência, outro ponto fundamental ao investidor – novamente seja iniciante ou não – é ter um seguro do seu patrimônio.

“Existe um tipo de seguro para cada investimento. Não existe riqueza sem proteção. É um hedge do seu patrimônio. É importante para qualquer momento do investidor, desde o iniciante”, afirma Iziquiel.

Cerbasi aponta que o caminho correto é ter um seguro com crescimento orgânico, isto é, você contrata quando a probabilidade de usá-lo é baixa, para pagar menos quando realmente precisar fazer uso dele.

Ao que Iziquiel complementa: “Costumo dizer que quem compra seguro é a saúde e não o dinheiro. Quanto mais cedo você contratar um seguro de vida, mais barato ele é”.

Iziquiel

André Iziquiel/Reprodução/Money Week

“As pessoas, infelizmente, pagam muito caro pelos seus erros. Você espera ter um acidente de carro para contratar o seguro. Você lembra do seguro profissional quando perdeu o emprego”, diz Cerbasi. E complementa: “Quanto mais incertezas na vida a pessoa tiver, mais robusta tem que ser sua reserva de emergência e sua proteção”.

O valor do seguro, ele diz, deve fazer parte do cálculo antes de qualquer aquisição. Por exemplo, se o seguro do carro está caro demais, é sinal de que o modelo do carro está errado ao seu perfil. Porque, ao decidir ter um carro, o seguro deve fazer parte do “pacote”.

Para quem ficou interessado pelo tema, saiba que a equipe daEQI Investimentos pode auxiliar os investidores na busca pela proteção patrimonial ideal.

Confira abaixo mais alguns ensinamentos de Cerbasi.

Como se preparar para crises?

Cerbasi alerta que, neste momento de crise econômica e social, é preciso haver uma adaptação da renda e dos investimentos. A boa informação e o planejamento podem significar a sobrevivência tanto para a pessoa física quanto jurídica.

“As pessoas se cuidam mais nas crises, mas é preciso estratégia sempre. A estratégia faz com que a ação seja eficiente”, diz. “É preciso cuidar na crise e cuidar um pouco também no período da euforia”.

Fases da vida exigem prioridades financeiras diferentes

Você já percebeu que a vida acontece em etapas? E que em cada etapa as atividades, as obrigações, o planejamento e os sonhos também são diferentes? Na prática, conforme o tempo vai passando, as prioridades financeiras vão mudando e, com elas, também o orçamento pessoal e familiar. É preciso organização e disciplina para antever as necessidades, sem apertos.

Dicas para quem está começando a investir

Se você está no time de pessoas que está começando a investir na bolsa nesse momento conturbado de pandemia mundial, o alerta de Cerbasi é que é preciso cautela. Segundo ele, boa parte desses jovens que entraram com um perfil arrojado e especulativo, pensando no trade e em caminhos de enriquecimento rápido, não fizeram reserva de emergência e estão muito expostos. Então, muito cuidado!