Mercado está reavaliando o risco Brasil; veja mais notícias

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O mercado está reprecificando o risco Brasil. De acordo com matéria do jornal Valor Econômico, isto ocorre por conta das ameaças de explosão do texto de gastos. Isto poderia gerar mais risco fiscal ao país.

Há a percepção de que o arcabouço fiscal criado em 2016 está dando um grande passo atrás, diz o ex-diretor do BC e sócio da Ibiúna Investimentos, Mário Torós.

Ainda de acordo com o jornal, as condições financeiras do país passam por uma piora. O que acaba levando a redução de boas perspectivas econômicas. O que pode impactar mais é o alto risco fiscal e um cenário econômico internacional mais adverso.

De acordo com a Folha de S.Paulo, crise e gastos preocupam investidor e afetam mercados. Com isso, o mercado já começa a falar em desembarque do governo Bolsonaro.

Analistas têm precificado as dificuldades impostas pelo risco de uma deterioração do quadro fiscal.

BC: agentes reduzem previsão do PIB para 2022

O Banco Central (BC) informou que agentes de mercado tem reduzido as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) para o próximo ano. O motivo, de acordo com o Valor Econômico, é a incerteza econômica sobre o risco fiscal.

Ainda de acordo com o jornal, o ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu que a alta dos juros longos já voltaram a superar 10%.

Proposta de mudanças no IR ampliam distorções

Para analistas de mercado, a proposta de mudanças no Imposto de Renda (IR) elevam as distorções. Nomes ouvidos pelo jornal O Estado de S.Paulo, apontam desequilíbrio na distribuição da carga tributária em projeto que está em discussão na Câmara. A própria área econômica do governo se preocupa com o impacto da reforma nas contas públicas.

Bolsonaro quer barrar inquérito sem aval do Ministério Público

O presidente Jair Bolsonaro quer vetar inquérito do Supremo do Tribunal Federal (STF) sem aval do Minstério Público. De acordo com O Globo, o presidente entrou com ação para suspender artigo que permite abrir investigações de ofício, sem passar pela PGR – Procuradoria Geral da República.