Icomex: China responde por 67% do superávit da balança comercial até agosto

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução / Site Governo Federal

O comércio com a China respondeu pela maior parte do superávit acumulado pela balança comercial do Brasil de janeiro a agosto deste ano, informa o Indicador de Comércio Exterior (Icomex) da FGV, divulgado nesta quinta-feira (16).

Em agosto, a balança comercial atingiu um novo valor recorde na série histórica, de US$ 7,6 bilhões, o que levou a um saldo de US$ 52,1 bilhões acumulados nos oito primeiros meses do ano.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Na comparação interanual do mês de agosto, as exportações aumentaram, em valor, 56,2% e as importações, 68,7%.

O saldo com a China foi de US$ 35 bilhões, o que representa 67% do total.

Segundo o relatório da FGV, o minério de ferro e o petróleo respondem por 45% das exportações brasileiras de janeiro a agosto, período em que a China comprou 63% das vendas externas brasileiras de minério, 69% de soja em grão e 49% de petróleo. A China também teve elevada participação nas compras de carne bovina (57%) e celulose (42%).

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Saldo da balança comercial em US$ bilhões

Icomex

Reprodução/FGV