EQI Asset pretende atingir R$ 2 bilhões sob gestão no primeiro ano

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Ettore Marchetti, Sócio responsável pelo setor de renda fixa e multimercado da EQI Asset

A EQI Asset, gestora da EQI Investimentos, um dos maiores escritórios de agentes autônomos do país, vem crescendo em ritmo acelerado, conforme reportagem da EXAME Invest.

Em aproximadamente três meses, a gestora já bateu a marca de R$ 500 milhões sob gestão.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

De acordo com Ettore Marchetti, CIO (executivo-chefe de Investimentos) da EQI Asset, o objetivo é atingir cerca de 10% a 15% dos ativos sob custódia médios (AuC) da EQI Investimentos.

O escritório de agentes autônomos espera terminar 2021 com R$ 15 bilhões em ativos, isso significaria que a EQI Asset pode alcançar algo entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões em ativos sob gestão no final deste ano.

EQI Investimentos tem captado perto de R$ 1 bilhão por mês.

A asset é uma das verticais pensadas para gerar mais valor para os clientes do escritório, que está em processo junto ao Banco Central para abrir uma corretora nos próximos meses. A corretora será criada junto com o BTG Pactual (BPAC11), que terá fatia de 49%, mesma participação que detém na EQI.

A gestora nasceu no meio do quarto trimestre de 2020, com o convite para que profissionais experientes do mercado — com 15 a 20 anos de carreira — liderassem o projeto. Entre eles estão justamente Marchetti e Roberto Chagas, head de Renda Variável. Ambos vieram da Trafalgar Investimentos, que haviam fundado em 2017.

A equipe inicial contava com sete pessoas e triplicou de tamanho desde então, para 21 no fim de abril. Os primeiros fundos foram lançados na virada do ano, dentro da fase 1 do projeto para colocar a gestora em funcionamento no mercado.

São um fundo Multimercado Global Macro e outro Long Biased. Este foi incorporado diretamente da Trafalgar, após acordo entre as partes. É um fundo que já conta com R$ 80 milhões sob gestão em três anos de histórico.

Além disso, foram criados um fundo de ações e outros de renda fixa, estes para dar a liquidez aos clientes da EQI.

Conforme Marchetti, a gestora foi criada para ser uma asset multiproduto. Isso porque temos ao lado uma empresa que tem uma captação explosiva. E precisamos fornecer produtos para eles. Não faz sentido contar com apenas uma ou duas estratégias.

Fundos passivos e de crédito

A EQI Asset iniciou a fase 2 há aproximadamente um mês com a contratação de equipes prontas especializadas em determinados produtos. Começa com um time que vai para montar uma área de crédito estruturado, para lançar, por exemplo, fundos de crédito consignado e de CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários).

A empresa também está em estudo um fundo de crédito para automóveis. Será lançado também um FoF (fundo de fundos). E posteriormente, ainda sem prazo, produtos na área de Fundos Imobiliários. E ativos no mercado externo.

Na família de produtos também estão fundos passivos, chamados de Track. O primeiro deles é um fundo de bolsa americana que segue o índice S&P 500, nos EUA.

Além dos cerca de 40.000 clientes da EQI, a asset mira nos investidores institucionais e family offices.

“Conversamos com os family offices e os grandes bancos para poder captar na plataforma deles. Como é uma casa nova, há todo o processo de diligência. Mas, como a equipe é conhecida e já entregou resultados, é um processo menos burocrático”, diz Marchetti.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3