Dólar foi novamente o investimento mais rentável em outubro

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/ Pixabay

O dólar novamente lidera os ganhos entre os melhores investimentos dentro de um próprio mês. Em outubro, a moeda americana registrou alta de 2,13%.

Já o Ibovespa, que caminhava para conseguir um lugar entre os investimentos mais rentáveis do mês, perdeu a posição por causa da forte queda desta sexta (-2,72%).

No acumulado até 30 de outubro o índice registrava perdas de 0,69%.

BDRs, Day Trade, Unicórnios e novos IPOs.

Hoje é dia de insights para investir em 2021.

Desconfiança do investidor

O mês de outubro foi marcado pela desconfiança do investidor com relação ao ajuste fiscal, a segunda onda de contaminação por Covid-19 na Europa e as eleições presidenciais nos Estados Unidos.

O Brasil deve encerrar este ano com a pior situação fiscal entre os maiores países emergentes.

Com condições desafiadoras tanto em relação às despesas quanto ao crescimento, o país gastou muito para combater a crise derivada da pandemia de Covid-19, o que levou sua dívida para quase o dobro da média de seus pares.

Isso poderá custar uma forte deterioração das contas públicas, que ameaça piorar a nota de classificação de risco do País.

Já as eleições americanas adicionam ainda mais volatilidade aos mercados, pois uma possível vitória do candidato Joe Biden significaria em maiores restrições e menos medidas pró-mercado.

Isso tudo, levou a alta volatilidade nos mercados e busca por ativos mais defensivos, como ouro e dólar.

Aqui, é possível comparar a performance de outros investimentos em outubro.

  • Dólar: 2,13%  (R$ 5,7379)
  • Ouro: – 0,8% (US$ 1.879,90)
  • IFIX: -1% (2.766,76)
  • Ibovespa: -0,69% (93.952,40 pontos)

Dólar

O dólar à vista fechou a sexta-feira em queda de 0,49%, cotado em R$ 5,7379.

No mês de outubro, a alta foi de 2,18%.

A valorização acumulada neste ano em relação ao real é de 43,1%.

Ibovespa

Outubro foi a terceira vez que o principal índice da Bolsa de Valores brasileira fechou negativo desde março.

Foram menos 0,69% agora, contra queda de 29,90% no terceiro mês do ano. Em março, houve a série histórica de seis circuit breakers.

Em agosto e setembro, o Ibovespa recuou 3,44% e 4,80%, respectivamente.

A retração observada é fruto da combinação de fatores locais e internacionais.

Este mês foi abalado pelo receio com estouro do teto de gastos, incertezas sobre as eleições americanas, segunda onda de contágio do coronavírus e seus possíveis impactos na economia mundial.

Apesar do Ibovespa ter fechado no vermelho, algumas ações registraram valorizações expressivas no período, como é o caso de CSN (CSNA3) +24,48%, Weg (WEGE3) +15,42%, Santander (SANB11) +14,63%, Magazine Luiza (MGLU3) +10,45% e Suzano (SUZB3) +9,88%.