Caged revela criação de 309,114 mil novas vagas com carteira assinada em junho, acima da projeção

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Agência Brasil

De acordo com o Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), foram criadas 309,114 mil novas vagas de emprego com carteira assinada no Brasil em junho. Esse resultado decorre de 1,601 milhões de admissões e de 1,291 milhões de desligamentos.

O resultado é superior à projeção de 150 mil novas vagas. Comparativamente, em maio, foram criadas 280,6 mil vagas.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Caged: saldo mensal de empregos

Caged

Reprodução/Caged

O estoque, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, em junho de 2021 contabiliza 40,899 milhões de vínculos.

No ano, o saldo é de 1.536.717 empregos, decorrente de 9.588.085 admissões e 8.051.368 desligamentos.

Os dados foram divulgados com antecedência nesta quinta-feira (29), às 10h30. Inicialmente, o anúncio estava previsto para as 13h. Isso decorre de uma reorganização de agenda, para viabilizar a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, na coletiva de imprensa.

Caged: principais dados de junho

Caged

Reprodução/Caged

Novo ministro do Trabalho

Em sua fala à imprensa após o anúncio do Caged, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou que Onyx Lorenzoni, à frente do novo Ministério do Trabalho e Previdência, manterá a direção das políticas trabalhistas da equipe econômica.

Em breve, devem ser anunciados os programas de bônus de inclusão produtiva e de incentivo à qualificação profissional e o serviço social voluntário, voltados à absorção de jovens no mercado de trabalho. “O ministério seguramente vai seguir, com o ministro Onyx à frente e com o nosso secretário geral Bruno Bianco, vai seguir na mesma direção, totalmente alinhado às nossas políticas”, disse.

Para Guedes, o país segue em ritmo acelerado de criação de vagas: “Se pegarmos os últimos 12 meses, geramos 2,8 milhões de novos empregos. O mercado formal atinge agora pela primeira vez desde 2015 e 2016 o patamar dos 40,8 milhões de empregos. Estamos criando 1 milhão de empregos a cada três meses e meio ou quatro meses”, afirmou.