Projeção para o PIB sobe para 3,5%; inflação chega a 5,05% em 2021, mas fica dentro da tolerância da meta

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/iStockphoto

A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia divulgou nesta terça-feira (18) seu Boletim MacroFiscal de maio de 2021. O documento, apresentado a cada dois meses, revela as projeções com que a equipe econômica trabalha para os principais indicadores do país.

A projeção de crescimento do PIB para 2021 aumentou de 3,2% para 3,5% relativo ao último boletim, divulgado em março. Com destaque para a expectativa de bom resultado da atividade econômica no primeiro trimestre, mesmo diante das novas medidas de distanciamento para contenção da pandemia e a despeito do fim do auxílio emergencial.

O setor de serviços (PMS/IBGE) tem apresentado recuperação em 2021 e está mais próximo do nível pré-crise. Além de ser o setor mais relevante da economia, também é o mais impactado pela pandemia. Ainda assim, o setor cresceu 2,8% no primeiro trimestre em relação ao trimestre anterior.

Para 2022-2025, a projeção de aumento da atividade econômica se manteve em 2,5%.

“A vacinação em massa, a consolidação fiscal e as reformas pró-mercado, todas em curso, pavimentarão o caminho para um crescimento sustentável que dê suporte a emprego, renda e maior nível de bem-estar da população brasileira”, aponta o documento.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Boletim Macro

Reprodução/SPE

Inflação deve ficar em 5,05% em 2021, dentro do intervalo de tolerância da meta

A expectativa para a taxa de inflação (IPCA) para 2021 é de 5,05%. Apesar de o valor estar acima da meta de inflação de 3,75% para o ano, deve-se destacar que ele se encontra dentro do intervalo de tolerância. A projeção do IPCA converge para o centro da meta a partir de 2022 (3,5%).

Boletim Macro

Reprodução/SPE

Projeção para o PIB: crescimento entre países

Sobre o panorama global, o documento destaca que a projeção do PIB melhorou em diversos países, apesar de as incertezas continuarem elevadas, “com efeitos econômicos, sanitários e educacionais relevantes no curto e no longo prazos”.

Nos últimos meses, observa-se maior dessincronização na retomada do crescimento nos países. Para as maiores economias, as projeções de crescimento se elevaram, com destaque para as revisões positivas de mercado para o PIB em 2021 dos Estados Unidos e do Reino Unido. A projeção para a China aumentou marginalmente (0,3 p.p.), enquanto a estimativa para a União Europeia reduziu-se em relação ao mês de janeiro de 2021.

Boletim Macro

Reprodução/SPE

Boletim reforça necessidade de vacinação ampla

Ainda no boletim, a secretaria reafirma a necessidade de vacinação da população o quanto antes.

“A vacinação em massa é imprescindível tanto para o crescimento econômico atual como para o crescimento futuro. À medida que a vacinação avança, as restrições à mobilidade vão sendo reduzidas e ocorre o retorno seguro às atividades de produção e consumo. Isto, por sua vez, aumenta o produto da economia (melhorando principalmente o setor de serviços, o mais afetado pela pandemia), o emprego e a renda das famílias concomitantemente à retirada das restrições às atividades. Já pelo lado das expectativas, uma vacinação mais abrangente e mais rápida da população aumenta as projeções de mercado para o crescimento do PIB para o ano de 2021, pois produz maior otimismo dos agentes quanto à recuperação econômica robusta”.