Anfavea: produção veículos cai 4,2% em julho na comparação anual

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação

A produção de veículos em julho caiu 4,2% frente ao mesmo mês do ano passado. Já na comparação com junho deste ano, a retração é de 2%.  Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pela Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.

A entidade reportou ainda que as vendas de automóveis registrou uma ligeira alta de 0,6% frente a julho de 2020. Já com relação a junho, houve decréscimo de 3,8%.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Para o BTG Pactual (BPAC11), os dados são considerados fracos e refletem as disfunções na cadeia produtiva.

Anfavea: para BTG, baixo nível de estoques e a falta de insumos atrapalha

Relatório do BTG mostrou também que os dados de julho seguem refletindo as dificuldades produtivas encontradas pelo setor automobilístico.

A equipe Macro & Estratégia do banco aponta que a queda na produção de veículos é reflexo do baixo nível de estoques e a falta de insumos relevantes no processo produtivo.

Este fator tem levado algumas indústrias a anunciarem férias coletivas para os funcionários, apresentando desafios para a continuidade de dados positivos.

Mês fecha com 175,5 mil veículos licenciados

Os dados da entidade mostraram ainda que a venda de veículos no mercado interno fechou o mês com 175,5 mil unidades licenciadas. Isto significa uma redução de 3,8% em relação a maio e alta de 0,6% frente a julho de 2020.

Os dados de exportações também apresentaram queda na comparação mensal (-29,1%), exportando 23,8 mil veículos. Na comparação anual, queda de 18,4%.

Para o BTG, com a retomada, o aumento da demanda pode elevar a pressão sobre os preços de insumos da indústria e de usados. Isto frente a um cenário ainda de oferta reprimida.

A menor produção de veículos pode prejudicar os resultados da Produção Industrial e do Varejo Ampliado.

No mês passado, a produção de veículos já havia recuado 13,4% ante maio.

Já na comparação com junho de 2020, houve crescimento de 69,6% – justificado pela baixa base de comparação, com o período em que o país enfrentava período mais crítico da pandemia de Covid-19.