Zona do euro: preços ao produtor caem 0,6% em maio

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Preços ao Produtor (IPP) da zona do euro caiu 0,6% em maio. O resultado veio um pouco acima do projetado pelo mercado, que era de -0,5%.

Em abril, a queda foi bem maior, de 2%. O mês de abril marca ainda um período bastante impactado pelas medidas de isolamento social para contenção ao coronavírus. Já em maio, boa parte da Europa já estava em processo de reabertura gradual.

Na União Europeia, a queda foi de 0,5% em maio. No mês anterior, o tombo foi de 1,9%. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (2) pelo Eurostat, o escritório oficial de estatística da União Europeia.

Na comparação com maio de 2019, os preços ao produtor diminuíram 5% na área do euro e 4,6% na União Europeia.

preço ao produtor

Preços ao produtor por grupo

O grupo energia teve queda de 1,4% em maio. Os bens de consumo não-duráveis caíram 0,6%. Os bens intermediários caíram 0,4%. Os preços dos bens de capital e bens de consumo duráveis permanecem estáveis.
Na União Europeia, os preços ao produtor diminuíram 1,2% no setor de energia, 0,6% para bens de consumo não-duráveis e 0,4% para bens intermediários. Enquanto os preços permaneceram estáveis para bens de capital e bens de consumo duráveis.

IPP por países

As maiores reduções nos preços ao produtor industrial em maio foram registradas na Bélgica (-4,6%), na Eslováquia (-1,7%) e na Lituânia
(-1,3%). Aumentos foram verificados na Grécia (1,2%), na Estônia (0,7%) e na República Tcheca (0,4%).