Zona do euro: inflação chega a 2% em maio; taxa de desemprego tem leve recuo

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/iStock Photos

Em leitura prévia divulgada nesta terça-feira (1) pelo Eurostat, escritório oficial de estatísticas da zona do euro, a inflação anualizada da região ficou em 2% em maio, ante 1,6% de abril.
O item energia teve a maior alta, indo para 13,1%, ante 10,4% de abril. Serviços teve a segunda maior alta, indo a 1,1%, ante 0,9% de abril.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.

inflação

Reprodução/Eurostat

Outro dado do Eurostat foi a taxa de desemprego da zona do euro, que recuou para 8% em abril, ante 8,1% de março. Na comparação com o mesmo mês de 2020, a alta é de 7,3%.

Na União Europeia como um todo, a taxa foi de 7,3%, com estabilidade em relação a março. A estimativa é que 15,380 milhões de pessoas estejam desempregadas na União Europeia, sendo 13,030 milhões na zona do euro.

desemprego

Reprodução/Eurostat