Wine clube de vinhos faz pedido de IPO

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Wine IPO

A plataforma virtual Wine protocolou pedido de oferta inicial de ações (IPO), conforme prospecto publicado hoje (3).

Segundo prospecto, a oferta será primária (emissão de novas ações) e secundária (venda de ações dos atuais acionistas).

De acordo com a Wine, os recursos captados na oferta primária serão destinados para investimentos em
tecnologia; investimentos em campanhas de marketing e publicidade; investimentos em logística; investimentos com
a expansão de lojas físicas; e aquisições de outras empresas.

Invista em suas Escolhas. Conheça os Melhores Investimentos 2021.

Na tranche secundária, os recursos serão revertidos integralmente para os acionistas vendedores: Rogério Muniz Salume, Orbeat Som & Imagem Ltda. e para o fundo de investimento Península.

Os coordenadores da oferta são Itaú BBA, o Bank of America, o BTG Pactual, a XP e o ABC.

Wine

A Wine é um clube de assinatura de vinhos e e-commerce de vinhos, que opera através de um modelo direto ao consumidor e uma plataforma omnicanal abrangente, incluindo assinatura, e-commerce (via Wine e Vinho Fácil), B2B (tanto no mercado on-trade, que contempla bares, restaurantes e hotéis, quanto no mercado off-trade, representado por supermercados, quiosques e lojas de varejo), lojas físicas e eventos.

A companhia nasceu há 12 anos, com a missão de democratizar o consumo de vinhos no Brasil.

A Wine acredita estar bem posicionados para liderar o movimento de consolidação e transformação digital do mercado de vinhos e espumantes, que se caracteriza por ser um mercado de R$ 16 bilhões em 2019 (segundo a Ideal Consulting), com ainda amplo espaço para aumento do consumo per capita, e um ambiente competitivo de alta fragmentação.

Conforme o prospecto, a Wine tem como foco estratégico o clube de assinaturas “Clube Wine), seu principal diferencial para obter vantagem competitiva em um mercado menos disputado comparado ao de vendas de garrafas avulsas no e-commerce, que se tornou muito concorrido devido a baixa barreira de entrada para novos competidores, exigindo grandes investimentos de marketing e tornando o negócio menos rentável.

Lucratividade

A Wine registrou uma receita líquida de R$ 146,3 milhões no primeiro semestre de 2020, contra R$ 115,7 milhões do mesmo período de 2019.

O lucro bruto atingiu R$ 70 milhões, ante R$ 54,7 milhões.

O Ebtida ficou R$ 11,2 milhões no seis primeiros meses de 2020, contra um Ebtida negativo de R$ 4,9 milhões em igual período de 2019.

A margem Ebtida foi de 7,66% no primeiro semestre deste ano, ante margem negativa de 4,34%.

A dívida líquida encerrou junho de 2020 em R$ 9,7 milhões, contra R$ 14,9 milhões em igual período de 2019.