WEG (WEGE3) anuncia crédito tributário de R$ 510 mi e JCP

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação / Weg

A Weg (WEGE3) comunicou nesta terça-feira (22) que, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que definiu que o valor do ICMS a ser excluído da base de cálculo do PIS e da COFINS é o destacado na nota fiscal, suas controladas WEG Equipamentos Elétricos S.A. e WEG Drives & Controls Automação Ltda., concluíram os levantamentos dos valores envolvidos em seus processos em relação ao tema.

“Com base em tais levantamentos”, disse a empresa em comunicado ao mercado, “a melhor estimativa dos valores a serem recuperados pela companhia, antes dos efeitos fiscais, é de R$ 510,1 milhões, que serão reconhecidos nas demonstrações financeiras do 2º trimestre de 2021”.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

A Weg (WEGE3) registrou lucro líquido de R$ 764,2 milhões no primeiro trimestre de 2021, o que representa uma alta de 73,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Weg (WEGE3) comunica sobre JCP no valor de 86 mi

O Conselho de Administração da Weg (WEGE3) aprovou juros sobre capital próprio (JCP) no valor total de R$ 86.139.984,69.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

O montante corresponde a R$ 0,020529412 por ação. Fazem jus os titulares de ações em 25 de junho de 2021. De 28 de junho de 2021 em diante, as ações serão negociadas “ex-juros sobre capital próprio”.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

O pagamento de JCP ocorrerá em 11 de agosto de 2021 e será feito pelo valor líquido, de R$ 0,017450000 por ação, já deduzido o imposto de renda na fonte de 15% (quinze por cento), exceto para os acionistas isentos.

Copel (CPLE6) tem aprovada revisão tarifária

A Companhia Paranaense de Energia, a Copel (CPLE3 CPLE5 CPLE6 CPLE11) comunicou que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou, em sua 22ª Reunião Pública Ordinária, realizada hoje, o resultado do 5º Ciclo de Revisão Tarifária da Copel, com o estabelecimento de R$ 8.362,1 milhões para o valor da base de remuneração regulatória líquida.

Isso representa um incremento de aproximadamente 70% ante os R$ 4.920,4 milhões do 4º Ciclo de Revisão Tarifária.

Segundo a Copel, isso é “reflexo do reconhecimento como investimento prudente de 100% dos investimentos realizados nos últimos 5 anos e a consequente inclusão na base de remuneração”.

O aumento passa a vigorar a partir de 24 de junho próximo. Ele “aplica o efeito médio a ser percebido pelos consumidores de 9,89%, sendo de 9,57% em média para os consumidores em alta tensão e de 10,04% em média para os consumidores em baixa tensão”.

Energisa (ENGI11) também tem aprovada revisão tarifária

Da mesma forma que a Copel, a Energisa (ENGI11) também teve aprovada pela Aneel a 5ª revisão tarifária periódica de suas controladas Energisa Minas Gerais (EMG) e Energisa Nova Friburgo (ENF), a ser aplicada a partir de 22 de junho de 2021.

O efeito médio a ser percebido pelos consumidores em relação às tarifas atualmente praticadas será um aumento de 9,10% (EMG) e 4,95% (ENF).

A Revisão Tarifária Periódica acontece a cada cinco anos.

Raia Drogasil (RADL3) tem alteração acionária relevante

A Raia Drogasil (RADL3) recebeu comunicado neste 22 de junho de 2021 do J.P. Morgan Chase, informando que reduziu sua participação acionária na companhia.

O banco investidor passou a deter 77.898.981 ações ordinárias, equivalentes a, aproximadamente, 4,71% do total de ações.

Como é de praxe nesse tipo de comunicado, o J.P. Morgan Chase informa que a movimentação foi para fins de investimento e não tem a intenção de adquirir o controle ou influenciar a gestão da Raia Drogasil.

Renova Energia (RNEW11) informa aumento de capital

O Conselho de Administração da Renova Energia (RNEW3 RNEW4 RNEW11) aprovou o aumento do capital social, por subscrição privada de ações, dentro do limite do capital autorizado.

É o chamado “2º Processo de Aumento de Capital e Conversão”, presente nos termos do Plano de Recuperação Judicial da empresa.

O aumento de capital foi aprovado com o valor de até cerca de R$ 345,286 milhões, sendo admitida a homologação parcial, se o valor subscrito for igual ou superior a R$ 44.927.698,26, que corresponde ao valor mínimo dos créditos a serem capitalizados nos termos da recuperação judicial.

O processo de aumento de capital ainda estará sujeito a homologação pelo Conselho de Administração da empresa.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo.